O Tríplice Ministério de Jesus: Profeta, Sacerdote e Rei - Estudos Bíblicos

Buscar
Ir para o conteúdo

Menu principal:

O Tríplice Ministério de Jesus: Profeta, Sacerdote e Rei

Estudos Bíblicos II
JESUS VEIO ATEAR FOGO SOBRE O ALTAR

Levítico 6:12-14

“O fogo, pois, sobre o altar arderá nele, não se apagará; mas o sacerdote acenderá lenha nele cada manhã, e sobre ele porá em ordem o holocausto, e sobre ele queimará a gordura das ofertas pacíficas.  O fogo arderá continuamente sobre o altar; não se apagará. E esta é a lei da oferta de manjares: um dos filhos de Arão a oferecerá perante o SENHOR, diante do altar.”
 
Vim lançar fogo na terra e que mais quero, se já está aceso? Lucas 12:49.

Falando de um modo geral, o Senhor declarou em (Lucas 12:49): Vim lançar fogo na terra. Através disso alguns entendem a pregação do Evangelho, e do derramamento do Espírito, do fogo santo; isto Cristo veio lançar com o propósito de purificar o mundo, para purgar a impureza, para queimar o joio, e já estava aceso. O Evangelho tinha começado a ser anunciado; alguns prefácios ali estavam relacionados ao derramamento do Espírito. Cristo batizou com o Espírito Santo e com fogo; este Espírito desceu como línguas repartidas. Mas, pelo que se segue, parece que o Senhor estava mencionando o fogo da perseguição. Cristo não é o seu Autor, como ocorre com o pecado dos incendiários, os perseguidores; mas Ele o permite, Ele o comissiona, como um fogo purificador para o teste dos perseguidos. Este fogo já estava aceso na inimizade dos judeus carnais com Cristo e seus seguidores. “Que mais quero, se já está aceso? O que fazes, faze depressa. Se já está aceso, que mais quero? Devo esperar que se apague? Não, porque ele deve atingir a mim mesmo, e a todos os meus seguidores, e isto redundará em uma grande glorificação a Deus Pai.”  O próprio Senhor deveria sofrer muitas coisas; Ele deveria atravessar este fogo que já estava aceso (Lucas 12:50): Importa, porém, que eu seja batizado com um certo batismo. As aflições são comparadas tanto com o fogo quanto com a água, Salmos 66:12; 69:1-2.
 
Fogo (Lc 3:16). No Antigo Testamento, “o fogo” fazia parte da liturgia hebreia: simbolizava a presença de Deus, a purificação e o juízo divino (Êx 3:2; Sl 50:3; Is 6:1-7). Em Lucas 3:16, o fogo é apresentado como elemento purificador na vida de quem recebe o batismo no o Espírito Santo. O Consolador ajuda-nos a viver em santidade, pois, em nós, efetua a santificação (2 Ts 2:13). Já regenerados pelo Espírito Santo, tornamos nosso corpo templo do Espírito Santo (1 Co 6:19). Isto significa que todas as nossas ações devem visar a glória de Deus. Ao sermos redimidos do mundo, passamos a pertencer unicamente a Ele. Deixe que o fogo do Espírito queime-lhe toda a impureza, fazendo real a presença de Deus em sua vida.
 
Era necessário haver um SACERDOTE vinculado ao Templo do Senhor para receber o sacrifício do servo:  Jesus Cristo, o Sumo-Sacerdote, precisa fazer parte da história da Igreja do servo, somente Ele poderá receber nosso sacrifício.
 
Era necessário haver um ALTAR EDIFICADO. Tanto o Tabernáculo quanto o Templo de Salomão, mais tarde, possuíam o Grande Altar de sacrifícios queimados:  Os nossos sacrifícios a Deus devem ser o resultado da submissão do nosso espírito, da nossa alma e do nosso corpo físico, queimados na nossa própria vida. Romanos 12:1 – “ROGO-VOS, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.”
 
Era necessário que o sacerdote colocasse LENHA NO ALTAR. NOTA: A Lenha aponta para as glorificações do servo. Entretanto, somente Jesus Cristo deve ser a motivação única para que glorifiquemos ao Senhor, mantendo nosso altar aceso. Palavras de Jesus em João 16:14 “Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar”. Pv 26:20a “Sem lenha o fogo se apagará.” 
 
Era necessário que o proprietário do sacrifício o apresentasse a Deus, degolando-o com as próprias mãos, antes de sangrá-lo e entregá-lo ao sacerdote. NOTA: O servo, antes de entregar-se a Jesus como sacrifício de adoração, precisa degolar sua própria carne, sua vontade, seus desejos mundanos - DEGOLAR-SE é morrer para o pecado. Sem degola o animal não morria. O sacerdote só poderia receber o animal MORTO.
 
O SERVO NA NOVA ALIANÇA É ESSE ANIMAL
· Era necessário que o sacerdote colocasse O SACRIFÍCIO sobre a lenha. A vida do servo precisa estar nos domínios das glorificações a Deus. Somente Jesus motiva-me a estar nesses domínios.
· Era necessário O CUTELO para sangrar o sacrifício. Precisamos ser sangrados como prova de que estamos realmente mortos. CUTELO é faca. FACA é instrumento de extermínio. EXTERMÍNIO de sacrifício que agrada a Deus é cruz. CRUZ é sinônimo de domínio próprio. Gl 2:20. Sacrifício sangrado é sacrifício na cruz.

. Era necessário COLOCAR TODO O SACRIFÍCIO no altar para ser totalmente queimado. 

· TUDO QUANTO É INERENTE AO SERVO deve ser colocado em cima do altar. OS DEDOS, AS UNHAS, AS PERNAS, O CORAÇÃO. João Batista, disse: ELE VOS BATIZARÁ COM O ESPÍRITO SANTO E COM FOGO .


· O Sangue do sacrifício não podia ser jogado fora, ERA NECESSÁRIO DERRAMÁ-LO TOTALMENTE NAS BASES DO ALTAR. 

· O sangue de Cristo precisa estar literalmente aspergido nas bases da vida do servo de Deus. As bases do servo são: o espírito e a alma do mesmo. É exatamente no espírito e na alma que começa a obra de Deus na vida do servo.

· Inevitavelmente, tanto o sacerdote quanto o ofertante, sentiam o fortíssimo CHEIRO DE CARNE QUEIMADA.
 

· Humildemente, os servos de Deus precisam ver o resultado positivo de seus sacrifícios em prol do Senhor. Deus, certamente, também estará vendo os resultados dos sacrifícios do servo.

NA NOVA ALIANÇA, O SERVO DE DEUS PRECISA E DEVE EMITIR OS RAIOS DO SOL DA JUSTIÇA EM SUA VIDA PESSOAL ÀS PESSOAS. NÃO IMPORTA A QUE DISTÂNCIA ESTEJAM FAMÍLIAS, SOCIEDADES. O SERVO DE DEUS PRECISA EMITIR UMA VIDA DE PROFUNDA E ÍNTIMA COMUNHÃO COM DEUS. SOL GERA FOGO.
 
“O fogo arderá continuamente sobre o altar; não se apagará”

Epílogo: O fogo é a maior referência do altar.

Altar sem fogo é altar sem vida.

O fogo no altar é a maior referência de Deus e da aprovação do mesmo.

Pode haver lenha e sacrifício, mas a vida do altar está no fogo.

No entanto, a base do fogo no altar é a lenha. Porém, a lenha não pode ser lenha verde, molhada, desapropriada pra fogo. É preciso ser apropriada pra fogo, para pegar fogo, juntar-se ao fogo, unir-se ao fogo, lenha seca. Não confundir lenha seca com crente seco. Lenha exposta ao sol seca-se e é esse tipo de lenha o mais apropriado para queima. O servo de Deus precisa e deve expor-se a Jesus, o Sol da Justiça. O preparo precisa começar com Jesus. É PRECISO QUE O TENHAMOS NA PRÓPRIA VIDA. Depois, é necessário que tenhamos uma vida de glorificações a Deus, isto é COLOCAR LENHA NO ALTAR. 

“O fogo arderá continuamente sobre o altar; não se apagará” SE HOUVER LENHA!!!!!!

Estudos do Pr Joel Machado - Instituto Bíblico de Teologia Cristã Enom - Excelência em Teologia!
 
 
COLOCAR A LENHA SOBRE O ALTAR, COMPETÊNCIA DO SACERDOTE (Intransferível)

Ao sacerdote compete, todas as manhãs, colocar a lenha sobre o altar para mantê-lo aceso. Foi Deus quem acendeu o primeiro fogo sobre o altar (Levítico 9:23-24) “E povo, O sacerdote preparou o altar, a lenha e o holocausto: Deus ascendeu o fogo.”
TODOS OS PROCEDIMENTOS DECORRENTES DESSES ACONTECIMENTOS ERAM SOMBRAS DOS BENS FUTUROS - Hebreus 10.
 
Hoje qual é a lenha que acende o fogo do nosso altar? (Hebreus 11:4-6).
 
“Temos um altar de que não têm direito de comer os que servem ao tabernáculo.” (Hebreus 13:10).
 
 “Não sabeis vós que os que administram o que é sagrado comem do que é do templo? E que os que de contínuo estão junto ao altar participam do altar?” (Hb 9:13).
 
 
“Portanto, se trouxeres a tua oferta ao altar e aí te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti,  deixa ali diante do altar a tua oferta, e vai reconciliar-te primeiro com teu irmão, e depois vem, e apresenta a tua oferta.  Concilia-te depressa com o teu adversário, enquanto estás no caminho com ele, para que não aconteça que o adversário te entregue ao juiz, e o juiz te entregue ao oficial, e te encerrem na prisão.” (Mt 5:23-25).
 
 
E eu, em verdade, vos batizo com água, para o arrependimento; mas aquele que vem após mim é mais poderoso do que eu; não sou digno de levar as suas sandálias; ele vos batizará com o Espírito Santo e com fogo. (Mt 3:11).
 

“Porque, na verdade, João batizou com água, mas vós sereis batizados com o Espírito Santo, não muito depois destes dias.” (At 1:5).
 
“Cumprindo-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar;  e, de repente, veio do céu um som, como de um vento veemente eimpetuoso, e encheu toda a casa em que estavam assentados.  E foram vistas por eles línguas repartidas, como que de fogo, as quais pousaram sobre cada um deles.  E todos foram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem.” (At 2:1-4).
 
JESUS PROMETE

João 16:7  Todavia, digo-vos a verdade: que vos convém que eu , porque, se eu não for, o Consolador não virá a vós; mas, se eu for, enviar-vo-lo-ei.
 
João 16:8  E, quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça, e do juízo:
 
DIFERENÇA FUNDAMENTAL ENTRE CRISTO E ARÃO
 
1. Jesus, sacerdote perfeito. A Lei previa a possibilidade de erro ou pecado por parte dos sacerdotes (v.3; Lv 4.3). O próprio sumo sacerdote Arão tinha a orientação de Deus para oferecer sacrifícios não só pelo povo (Lv 16.15ss.), mas por si próprio (Lv 16.11-14). Enquanto o sumo sacerdote do Antigo Testamento estava sujeito a pecar, Jesus nunca pecou. Ele é perfeito. Satisfez todas as condições para o perfeito sacerdócio. Foi ungido como Rei, como Filho (Sl 2.6,7); e Sacerdote Eterno (Sl 110.4); foi enviado por Deus (Jo 5.30); veio em nome do Pai (Jo 5.43). Jesus não se glorificou a si mesmo para fazer-se sumo sacerdote (v.6). Diante de todas essas qualificações, o Mestre nunca ofereceu sacrifícios por si próprio. Ele deu-se a si mesmo por nossos pecados (Gl 1.4).
 
2. Sacerdote eterno (v.6). O escritor aos hebreus faz referência a dois textos bíblicos no livro de Salmos para demonstrar o caráter especial do sacerdócio de Cristo: um sacerdócio que não tem fim: “Tu és meu filho; hoje te gerei” (Sl 2.7); e “Tu és um sacerdote eterno, segundo a ordem de Melquisedeque” (Sl 110.4).
 
Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis o vosso corpo em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.  E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.  Porque, pela graça que me é dada, digo a cada um dentre vós que não saiba mais do que convém saber, mas que saiba com temperança, conforme a medida da fé que Deus repartiu a cada um. (Rm 12:1-3).
 
CONCLUSÃO
 
Sendo Jesus: Profeta, Sacerdote e Rei – Ele veio atear fogo sobre o Altar e retornou ao Céu. João Batista o apresentou como o Cordeiro que tira o pecado do mundo. Com para Ele não apareceu nenhum substituto, assim como apareceu para Isaque no Monte Moriá - Ele mesmo foi sacrifiado por todos nós na cruz do Calvário, isentando-nos de quaiquer outros sacrifícios. Na verdade, o Fogo em apreço foi aceso no dia de Pentecostes. Aceso para nunca mais apagar, pois antes do arrebatamento da Igreja não haverá outro Período Intertestamentário. 
 

PESQUISA POR
Jorge Albertacci
Assembleia de deus do Retiro
Volta Redonda - RJ
 
VR/RJ 04/03/2017
 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal