Seleção de Estudos Bíblicos - Estudos Bíblicos

Buscar
Ir para o conteúdo

Menu principal:

Seleção de Estudos Bíblicos

Seleção de Esboços Especiais
___________
 
I

OS TRÊS ESTÁGIOS DA FÉ

Texto Bíblico

“E Jesus lhes disse: Por causa da vossa pequena Fé; porque em verdade vos digo que, se tiverdes fé como um grão de mostarda, direis a este monte: Passa daqui para acolá—e há de passar; e nada vos será impossível.” (Mateus 17:20).

INTRODUÇÃO

  A Fé sobre a qual alude a Bíblia Sagrada é o principal meio à disposição dos santos para manter contato contínuo com Deus. O apóstolo João na sua Primeira Epístola 5:4 faz a seguinte declaração: Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa Fé. A Fé bíblica não pode ser confundida com “pensamento positivo.” Enquanto que através da Fé o homem se concentra em Deus, através do pensamento positivo ele se concentra nele mesmo. A prova disto é que na Bíblia está escrito que sem Fé é impossível agradar a Deus. (Hebreus 11:6).
 
DISCRIMINAÇÃO
 
1° Estágio - Fé Natural
Com este estágio de Fé o homem pode crer acertada,  ou erradamente - é a fé que se alcança no berço e Paulo fala dela em sua carta aos Romanos 1:19-20:  “Porquanto o que de Deus se pode conhecer neles se manifesta, porque Deus lho manifestou.  Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder como a sua divindade, se entendem e claramente se veem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis.”

2° Estágio - Fé Comum
Este é o estágio da fé que pode ser dimensionado ((Mateus 17:20). Fé que uma vez foi entregue aos Santos - Paulo escreve a Tito: Verdadeiro filho, segundo a Fé comum - Tt 1:4.

1.Esta é a Fé para a Salvação – Jd 3.
2.Esta é a Fé que vem pela pregação - Rm 10:17
3.Esta é a Fé que traz à pessoa à graça salvadora - Efésios 2:8:  Porque pela graça sois salvos, por meio da Fé; e isso não vem de vós; é dom de Deus.
4.Toma caráter de fé santíssima - Judas 20:  Mas vós, amados, edificando-vos a vós mesmos sobre a vossa santíssima Fé, orando no Espírito Santo.
5.Não é a fé que opera milagres é fruto do Espírito Gl 5:22-23.
6.É evidenciada pela submissão a Deus: Lc17:5-10 – Tg 2:14-26.
 
3° Estágio - Fé Dom do Espírito
Além da Fé natural, da Fé comum, há também a Fé que é dom do Espírito, conforme consta em 1Co 12:9. Esta é a Fé que opera milagres. Neste estágio a Fé é Dynamis (grego δυναμις) é uma antiga palavra grega que significa "poder" ou "força".  É a raiz das palavras "dinâmico", "dinamite", e "dínamo" com sentido de energia constante. A palavra "dunamis" às vezes é vista em textos filosóficos, devido à sua importância. A associação entre o poder (do grego dunamis) e o Espírito Santo é frequentemente feita no Novo Testamento, onde os dois termos são intercambiáveis (por exemplo, Lc 1.35; 4.14; At 10.38; Rm 15.19; 1 Co 2.4; 1 Ts 1.15). O poder do Espírito Santo concedido aos primeiros discípulos, no entanto, não pode se restrito ao poder para evangelizar” (PALMA, A. D. O Batismo no Espírito Santo e Com Fogo: Os Fundamentos e a Atualidade da Doutrina Pentecostal. 1.ed., RJ: CPAD, 2002, pp.86,87).

 
DIMENSÕES DA FÉ

 
Estas dimensões só podem ser consideradas na Fé que aparece no Segundo Estágio – é a Fé que uma vez foi entregue aos santos: “...senti a necessidade de vos escrever, exortando-vos a pelejar pela fé que de uma vez para sempre foi entregue aos santos” (Jd 3). Esta é a Fé que a pessoa recebe no dia em que aceita Jesus como seu Salvador. Ela pode permanecer sempre no mesmo tamanho, ficar estagnada – ela pode crescer – ela pode esvanecer e acabar.
 
1.Fé Pequena - Mt 14:31;
2.Fé Crescente - 2Ts 1:3;
3.Fé como grão de mostarda - Lc 17:6;
4.Fé Grande Mt 15:28.
 
DIMENSÕES DA FÉ

 
Ora, a Fé é o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das coisas que se não veem. Porque, por ela, os antigos alcançaram testemunho. Pela Fé, entendemos que os mundos, pela palavra de Deus, foram criados; de maneira que aquilo que se vê não foi feito do que é aparente. (Hb 11:1).

Em todos os aspectos das nossas vidas, quer seja no sentido material, quer seja no espiritual, somente conseguimos viver mediante a Fé que Jesus confiou a nós. A natureza da Fé que hoje vivemos são exemplos fieis da Fé com a qual nossos pais venceram prescritas  no Antigo Testamento.
 
Jorge Albertacci
Pastor Emérito
Da Assembleia de Deus
Retiro – Volta Redonda – RJ
___________

 
II

QUE HOMEM BOM!!!
 
TEXTOS BÍBLICOS
 
Números 27:18-23; Josué 1:1-2
 
Números 27
18 - Então, disse o SENHOR a Moisés: Toma para ti a Josué, filho de Num, homem em quem há o Espírito, e põe a tua mão sobre ele.
19 - E apresenta-o perante Eleazar, o sacerdote, e perante toda a congregação, e dá-lhe mandamentos aos olhos deles,
20 - e põe sobre ele da tua glória, para que lhe obedeça toda a congregação dos filhos de Israel.
21 - E se porá perante Eleazar, o sacerdote, o qual por ele consultará, segundo o juízo de Urim, perante o SENHOR; conforme o seu dito, sairão, e conforme o seu dito, entrarão, ele, e todos os filhos de Israel com ele, e toda a congregação.
22 - E fez Moisés como o SENHOR lhe ordenara; porque tomou a Josué e apresentou-o perante Eleazar, o sacerdote, e perante toda a congregação;
23 - e sobre ele pôs as mãos e lhe deu mandamentos, como o SENHOR ordenara pela mão de Moisés.
 
Josué 1
1 - E sucedeu, depois da morte de Moisés, servo do SENHOR, que o SENHOR falou a Josué, filho de Num, servo de Moisés, dizendo:
2 - Moisés, meu servo, é morto; levanta-te, pois, agora, passa este Jordão, tu e todo este povo, à terra que eu dou aos filhos de Israel.

INTRODUÇÃO
 
No exercício do ministério pastoral que o Espírito Santo me confiou, muitos companheiros com o perfil de Josué me foram confiados também! Homens, mulheres e jovens. Estes já convertiam, ou vinham de outros lugares, cujos instintos era o de me ajudar. Desejosos em ver a Igreja crescer, com conversões de almas e novos convertidos descendo às águas batismais. Foram pessoas credenciadas pelo Santo Espírito do Senhor. Estas credencias que eles portavam, consistiam da chama que lhes ardia no peito de ver a mão de Deus, salvar, curar, batizar e preparar outros com a mesa capacidade.
 
AS CREDENCIAIS DE JOSUÉ
 
Credenciais as mais autênticas foram as que não faltaram para Josué suceder a Moisés como líder do povo de Deus. Sua qualificação para isto era a mais completa, visto que Deus para isto já o havia preparado. É sempre assim que Deus faz: não deixa faltar companheiros no meio da jornada (Nm 27:18-23).
 
Josué era uma das duas testemunhas oculares vivas das dez pragas, bem como da libertação do Egito – sua experiência foi adquirida no labor, no dia a dia, com a mão na massa. Trabalhando e em tudo cuidando do povo de Deus, como fiel companheiro e ajudante de Moisés por quarenta anos.
 
O vislumbre que vemos de Josué antes da morte de Moisés estão associados a importantes eventos da história de Israel. Quando o exército de Israel precisava de um líder, Josué foi comissionado para ser o general (Êx 17:8-9).
 
FIDELIDADE
 
Quando Deus entregou os Dez Mandamentos a Moisés no Monte Sinai, Josué era o seu acompanhante (Êx 24:13; 32:17). Ainda jovem, foi encarregado do Tabernáculo quando a idolatria do povo fez com que Moisés o removesse do acampamento (Êx 33:11).
 
Josué mostrou sua lealdade à liderança quando percebeu que tal fato estava sendo ameaçado (Nm 11:24-29). Em Cades-Banéia Josué foi escolhido para ser o representante da sua tribo, a de Efraim (Nm 13:8-16). Josué alcançou o título de “Servidor de Moisés” (Êx 24:13; Js 1:1). Servidor, porque, Moisés tivesse presente ou não, ele o representava.
 
Os termos servidor e servo são usados alternadamente em referência a Josué (Êx 33:11; Nm 11:28). Enquanto servia como oficial comandante do exército, ele destruiu os inimigos de Israel (Êx 17:13). Nos períodos em que seus irmãos se rebelaram contra Deus, Josué manteve sua fé no plano do Todo-Poderoso.
 
A MORTE DO SEU LÍDER, MOISÉS
 
Depois de muitos anos de trabalho em conjunto, Josué perde seu oficial superior, Moisés. Todavia, ele se manteve em contato com o Senhor, que lhe falou: “Josué filho de Num” – Quando o nome “Josué” é traduzido para o grego, ele se torna “Jesus” (At 7:45; Hb 4:8). Este nome significa “Salvador.”
 
Sua principal ambição era fazer a vontade divina. Josué foi um homem de coragem inabalável e perseverança invencível que mostrou profunda confiança diante das dificuldades. Suas ações imediatas lhe deram vitórias.
 
O RECONHECIMENTO DA PARTE DOS SEUS LIDERADOS
 
As outras pessoas lhe deram grande honra em função da desconsideração altruísta de seus próprios interesses pessoais. Ele nunca deixou de demonstrar uma profunda preocupação pelos interesses daqueles a quem liderava. Desse modo, na plenitude dos tempos, quando Deus precisava de um homem bem preparado, Ele escolheu Josué. A confiança da parte dos seus liderados, ele adquiriu, não por imposição, não por falta de paciência, e nem por brutalidade. Abaixo, relaciono três principais motivos que levaram o povo a depositar inteira confiança e obediência em Josué.

Dentre as muitas qualidades morais e espirituais que pontuam a vida e a história de Josué, estas três são imprescindíveis àqueles que desejam exercer liderança sobre o povo de Deus:
 
1. Obediência. Porque era obediente a Deus, Josué também foi um “servidor obediente” ao seu líder (Êx 17.9,10; 24.13). Obedecer por amor, equivale à verdadeira submissão, isto é, colocar-se sob a autoridade de alguém. O verdadeiro líder, apesar de reconhecer sua autoridade, nunca age isolada e presunçosamente. Josué aprendeu bem cedo que o sucesso de seu ministério dependeria de sua obediência a Moisés, seu líder, e à Palavra de Deus (Js 1). Ele sabia que no tempo apropriado Deus o honraria como líder principal de Israel.
 
2. Fidelidade. Josué tinha um caráter íntegro, por isso, pode manter-se leal a Deus e a Moisés. Ele assumira um compromisso de fidelidade que o tempo não conseguiu abalar. Fidelidade ou lealdade é uma qualidade moral de Deus (Tg 1.17). Paulo nos ensina em 2 Timóteo 2.13 que a fidelidade de Deus é o corolário da sua auto coerência. Moisés, em seu belíssimo cântico, antes de morrer (Dt 32.4,15,18), ilustrou a lealdade divina valendo-se metaforicamente da “rocha”, isto é, “Ele é a Rocha” em que se pode confiar.
Josué aprendeu a confiar na fidelidade divina, logo, em tudo que fazia, sua fidelidade era demonstrada em atitudes firmes no cumprimento das alianças feitas com Deus e dos seus mandamentos (Dt 7.9).
 
3. Caráter ilibado. Na liderança, o bom caráter é determinante para o sucesso de qualquer empreendimento. Em diversas situações Josué soube manter o equilíbrio e assim não quebrar os princípios aprendidos com Moisés. Ora, o caráter tem a ver com o mundo interior de motivos e valores morais que moldam nossas ações. É, na verdade, o elemento delimitador absoluto da qualidade da nossa liderança. É ele que fortalece nossas capacidades enquanto as mantêm sob controle. O caráter faz distinção entre os que administram bem o poder e os que abusam dele. Os valores de um caráter cristão ideal, tais como piedade, abnegação, integridade e honestidade, são imprescindíveis à vida de um líder cristão. (Lições Bíblicas CPAD - 1º Trimestre de 2009).
 
O Senhor encontrou naquele homem alguém que ouviria Suas instruções. Josué era alguém que cumpriria suas tarefas. Estas qualidades de caráter tão associadas à disposição de Josué são sempre aprovadas por Deus.
Os anos de treinamento de Josué o haviam preparado para esta missão específica. Os planos e os propósitos de Deus teriam sequência. Fica óbvio aqui que o programa de Deus excede o tempo de vida de qualquer homem.
 
CONCLUSÃO
 
Além disto, dos doze espias, somente ele e Calebe mostraram completa confiança de que Deus o Pai os acompanharia até a conquista da terra prometida. Seu apoio a Moisés, sua dedicação por quarenta anos o qualificara como um homem preparado em todos os aspectos para assumir o comando da nação. Que privilégio! A seu tempo, Moisés morreu, mas Josué estava pronto e preparado para dar continuidade à obra!

Pr. Jorge Albertacci 

___________

 
III
 

 
EXPLORANDO O LADO MÍSTICO DO POVO
 
... Quando, porém, vier o Filho do Homem, porventura, achará fé na terra? - (Lucas 18:18).
Creio que nunca na história da humanidade houve tanta fé, quanto nos dias de hoje. Quando as pessoas lotam os grandes templos, as casas de oração e os montes nas caladas da noite. Doando o que pode e às vezes até o que não está ao seu alcance, mas doam – doam tudo, mas, sempre em busca de algo material.

Desprezando o conhecimento da Palavra de Deus e consequentemente desnorteados pelos caminhos agnósticos da superstição. Atropelam os inescrupulosos líderes, televisivos ou não, em busca de tudo. Tudo, tudo, menos da SALVAÇÃO! – Achará porventura, fé, entre os homens quando Jesus voltar? - Incoerência? Claro que não! Por que Jesus nunca falou desta fé superficial e concupiscente em que o povo vive hoje. Daí a pergunta aos Hebreus 2:3: “Como escaparemos nós, se não atentarmos para uma tão grande salvação, a qual, começando a ser anunciada pelo Senhor, foi-nos, depois, confirmada pelos que a ouviram?”

Dificilmente se vê nos dias atuais alguém pregando o evangelho propriamente dito. O povo parece que desaprendeu (se é que havia aprendido) a forma de pregar ensinada por Jesus. O ensinamento de Jesus em (Mateus 6:33) foi bem claro: “Mas buscai primeiro o Reino de Deus, e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas. ”Se buscarmos primeiramente o Reino e a Justiça de Deus, podemos ser qualificados como dignos de receber as demais coisas.

Somente seremos dignos do nosso salário, se houvermos trabalho corretamente. Não quero com isto afirmar que Deus somente nos abençoa através de barganha. Não, esta não foi minha intenção, até mesmo porque Deus não tem nada para barganhar com ninguém. Todavia, devemos observar Suas recomendações. Um bom exemplo para isto temos na oração do Pai nosso, quando Ele ensina: “Perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores” - (Mateus 6:12). Se não levarmos em conta o segundo tópico deste versículo, simplesmente perdemos tempo em nossa oração.

Pelos caminhos da fé,

Pr. Jorge Albertacci

___________

 
IV

 

Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que por tradição recebestes dos vossos pais. Mas com o precioso sangue de Cristo, como de um Cordeiro Imaculado e incontaminado. "O qual na verdade em outro tempo foi conhecido ainda antes da fundação do mundo mas manifestado nestes últimos tempos por amor de vós.”

A entidade de suprema importância que existe neste mundo é a Igreja do Senhor Jesus Cristo. Pode haver muitas outras coisas boas, mas nada supera em importância a Igreja.

Ela é a Igreja do Deus vivo, a coluna e esteio da verdade. Ela é amada, prezada e nutrida por Jesus Cristo, que a Si mesmo se entregou por ela.  Ela é a reunião dos salvos, chamados do mundo para uma vida em que tudo se faz novo. Ela tem uma séria e, sublime missão, qual seja a de proclamar ao mundo as grandezas de Deus, a mensagem de Jesus Cristo, o Dom do Espírito Santo.

___________

 
V
 
 
O EVANGELHO NA SUA COMUNIDADE DEPENDE UNICAMENTE DE VOCÊ


O ministério de Cristo na sua comunidade está limitado a VOCÊ! Ele anseia para falar às almas sobre a salvação, a fim de persuadi-las dos seus pecados e convencê-las sobre o Evangelho — esta é a obra do Espírito Santo — mas Ele ESTÁ EM VOCÊ; Ele trabalha através dos SEUS lábios, do SEU corpo. Se VOCÊ não for e testemunhar ou transmitir a mensagem, a SUA comunidade será perdida. Cristo ordenou viver EM VOCÊ e Ele não pode visitar os perdidos independentemente de VOCÊ, como Ele não pode ficar de pé numa praça pública e pregar o Evangelho sem um pregador através do qual Ele possa falar.
 
Meu Deus! Como nós gostamos de viver egoisticamente; temos prazer em ficar sozinhos orando e enviando uma torrente de pequenas ordens e bonitos recados os quais o maravilhoso Espírito Santo poderá executar para nós. Isso nos poupa muito trabalho. Além disso estamos tão ocupados — com as novelas da TV, os programas indecorosos onde mulheres se desnudam rebolando nos telões da sua sala na frente de crianças e adolescentes, com os nossos CLUBES PREDILETOS, nossas atividades recreativas, e com os nossos próprios afazeres.
 
Pela suprema bondade de Deus, aos 19 anos de idade eu já dirigia reuniões nas casas dos irmãos (por ordem do meu pastor) com 20, já dirigia congregação (1961), mas os pecadores que vieram a JESUS “eu os busquei” lá na roça, derrubando matas, plantado, a pé o de bicicleta nas arenosas estradas do noroeste paranaense. Hoje, uma boa parte destes são pastores, evangelistas, presbíteros, outros já estão na eternidade; alguns destes se concentram e Foz do Iguaçu, (PR).
 
Em outro extremo (sudeste) sul capixaba, não foi diferente. Finalmente aqui em Volta Redonda, onde estou circunstancialmente a 52 anos (1962-2014), antes de assumir a presidência da Igreja, meu ministério não foi diferente – buscar os pecadores lá fora onde eles se encontram.
 
Mas, uma coisa que me faz louvar a Deus, é que meu grande mestre, no ministério da evangelização e na música (Corais e Bandas de Metal) hoje é meu amigo aqui no Facebook! Pastor José Israel Nascimento, E IRMÃ CECÍLIA. Até na Jubilação eu o alcancei! Seu exemplo e vida me marcou para a eternidade.
 
Pr. Jorge Albertacci 

___________

 
VI
 
 
TOMEMOS ISTO POR LIÇÃO
 
A mais importante experiência que uma pessoa pode adquirir neste mundo é a experiência de que em tudo sua vida depende de Deus. Tanto no lado espiritual como no material. Todo mortal está subordinado a Deus em todos os aspectos, tanto na vida como na morte. Jesus Cristo, nosso Senhor, está no comando de todas as coisas, no Céu, na terra e no inferno. Nem sempre as coisas que pretendemos estão em conformidade com os Seus desígnios. Nem sempre o que pleiteamos é o que necessitamos. Logo, nosso dever é voltar a orar, orar e orar, e concordar que em todas as coisas a prevalência está sujeita à vontade do Senhor.

Às vezes oramos, pedimos, clamamos e até mesmo choramos, mas, não contamos com a resposta. Neste caso, devemos tomar por lição as palavras de Tiago 4:3 "Pedis e não recebeis, porque pedis mal." Temos que entender ainda que o brocardo jurídico: vox populi, vox Dei, só reflete a verdade quando dito ao contrário: vox populi, vox populi - vox Dei, vox Dei.

Ao homem de bom senso cabe se esforçar para alcançar sua meta, mas, quando esta não é atingida é porque Deus não quis assim. Toda reclamação inconsequente, pode sim, caracterizar insubordinação à vontade de Deus. A ira provoca nas pessoas uma reação egoísta de se autodefender de tudo e de todos. A ira não provém de Deus, notemos que ela aparece entre os aspectos da obra da carne: Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, prostituição, impureza, lascívia, Idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, Invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus (Gálatas 5:19-21).

Quantas vezes nosso travesseiro recolheu nossas lágrimas? Lágrimas que só nós mesmos e Deus as conheceu. E quantas vezes já choramos até mesmo sem motivo? Por quantas vezes nossos joelhos ficaram marcados por conta daqueles momentos em que nos encontramos em nosso quarto clamando por um socorro, e que esse socorro somente chegou quando não esperávamos mais. Mas, só assim que entendemos a vontade de Deus, quando compreendemos que o socorro chegou na hora certa.

Se não aproveitarmos o máximo que pudermos o tempo da nossa intrepidez, podemos ser surpreendidos quando a noite do cansaço e do desânimo chegar.

"Perturbai-vos e não pequeis; falai com o vosso coração sobre a vossa cama, e calai-vos." 

(Salmo 4:4)

Pastor Jorge Albertacci
Volta Redonda/RJ - 30/10/2014

___________

 
VII
 
 
A SALVAÇÃO NO PRESENTE

Nos escritos do apóstolo Paulo fica evidenciada a gratidão pela mudança que o encontro com Cristo provocou em sua vida. A mudança deu a ele uma convicção que o ajudou a superar as dificuldades do dia a dia.

Antes de conhecer a Cristo ele tinha uma posição privilegiada no ambiente judaico, uma posição almejada por muitas pessoas. Quando escreveu a epístola aos Romanos, ele já não tinha mais aquele status, mas a experiência da justificação o libertou do domínio do pecado e deu-lhe a segurança que nunca havia conquistado com sua vida religiosa pregressa.

A garantia da salvação presente e da comunhão com Deus proporcionavam ao apóstolo a convicção, pouco antes da sua morte, de ter combatido um bom combate e guardado a fé (1Tm 4:6-7).  Segurança garantida somente às pessoas, que por meio de um a vida devotada e de santidade. Mantém seu ideal de obediência e gratidão a Cristo.

Mensagem da Casa Publicadora das Assembleias de Deus.
Jorge Albertacci Alcenir Albertacci


___________

 
VIII
 

NA CASA DE DEUS, O MINISTRANTE, HOMEM OU MULHER, DEVE SER ACIMA DE TUDO, UMA PESSOA EQUILIBRADA

Um Bom Exemplo Para Isto Temos na Vestimenta do Sumo Sacerdote:

“E nas suas bordas farás romãs de pano azul, e de púrpura, e de carmesim, ao redor das suas bordas; e campainhas de ouro no meio delas ao redor. Uma campainha de ouro e uma romã, outra campainha de ouro e outra romã haverá nas bordas do manto ao redor, e estará sobre Arão quando ministrar, para que se ouça o seu sonido, quando entrar no santuário diante do SENHOR e quando sair, para que não morra” (Êx 28.33-35).

(Uma CAMPAINHA de ouro e uma ROMÃ, outra CAMPAINHA de ouro e outra ROMÃ haverá nas bordas do manto ao redor). Como é inspirador meditar nessas coisas do Céu! Nesse preparo maleável! Nem um, nem outro, mas, os dois alternadamente!

Não sendo de forma alternada, um, acaba sendo demais - porque denota falta de equilíbrio, e assim se torna exaustivo, sem graça, desequilibrado.

É como o SAL e o AÇUCAR! A ÁGUA e o ALIMENTO! O CANTAR e o CHORAR! O ORAR pedindo e o ORAR AGRADECENDO! Esse equilíbrio denota a necessidade da presença dos Dons Espirituais e do Fruto do Espírito na vida do Obreiro e na Igreja num todo.

Todavia, a manifestação dos dons em nada deve fazer lembrar o que se passa nas sessões do baixo espiritismo, de macumba ou de candomblé. O que mais se vê no seio das Igrejas nos dias de hoje. Cada dia mais distante dos princípios adotados pela Igreja Primitiva, das doutrinas dos apóstolos e das normas exaradas nas Sagradas Escrituras.

Os grandes TRANSATLÂNTICOS no mar, estão tão seguros como os grandes SUPERSÔNICOS no ar!

Pr. Jorge Albertacci 


___________

 
IX
 

O EVANGELHO NA SUA COMUNIDADE DEPENDE UNICAMENTE DE VOCÊ

O ministério de Cristo na sua comunidade está limitado a VOCÊ! Ele anseia para falar às almas sobre a salvação, a fim de persuadi-las dos seus pecados e convencê-las sobre o Evangelho — esta é a obra do Espírito Santo — mas Ele ESTÁ EM VOCÊ; Ele trabalha através dos SEUS lábios, do SEU corpo. Se VOCÊ não for e testemunhar ou transmitir a mensagem, a SUA comunidade será perdida. Cristo ordenou viver EM VOCÊ e Ele não pode visitar os perdidos independentemente de VOCÊ, como Ele não pode ficar de pé numa praça pública e pregar o Evangelho sem um pregador através do qual Ele possa falar.

Meu Deus! Como nós gostamos de viver egoisticamente; temos prazer em ficar sozinhos orando e enviando uma torrente de pequenas ordens e bonitos recados os quais o maravilhoso Espírito Santo poderá executar para nós. Isso nos poupa muito trabalho. Além disso estamos tão ocupados — com as novelas da TV, os programas indecorosos onde mulheres se desnudam rebolando nos telões da sua sala na frente de crianças e adolescentes, com os nossos CLUBES PREDILETOS, nossas atividades recreativas, e com os nossos próprios afazeres.

Pela suprema bondade de Deus, aos 19 anos de idade eu já dirigia reuniões nas casas dos irmãos (por ordem do meu pastor) com 20, já dirigia congregação (1961), mas os pecadores que vieram a JESUS “eu os busquei” lá na roça, derrubando matas, plantado, a pé o de bicicleta nas arenosas estradas do noroeste paranaense. Hoje, uma boa parte destes são pastores, evangelistas, presbíteros, outros já estão na eternidade; alguns destes se concentram e Foz do Iguaçu, (PR).

Em outro extremo (sudeste) sul capixaba, não foi diferente. Finalmente aqui em Volta Redonda, onde estou circunstancialmente a 52 anos (1962-2014), antes de assumir a presidência da Igreja, meu ministério não foi diferente – buscar os pecadores lá fora onde eles se encontram.

Mas, uma coisa que me faz louvar a Deus, é que meu grande mestre no ministério da evangelização e na música (Corais e Bandas de Metal) hoje é meu amigo aqui no Facebook! Pastor José Israel Nascimento, E IRMÃ CECÍLIA. Até na Jubilação eu o alcancei! Seu exemplo e vida me marcou para a eternidade.

Pr. Jorge Albertacci 

___________

 
X
 

PREPARAÇÃO - ENTENDA ISTO!

Jesus recomendou aos Seus discípulos: E eis que sobre vós envio a promessa de meu Pai; ficai, porém, na cidade de Jerusalém, até que do alto sejais revestidos de poder (Lc 24:49).  O precípuo objetivo do Mestre Divino, foi o de tê-los preparados para a evangelização tão logo, ocorresse a Festa de Pentecostes. O que aconteceu, conforme pré-agendado desde os primórdios para o 50º dia após a realização da Festa da Páscoa.  "E cumprindo-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar; e, de repente, veio do céu um som, como de um vento veemente e impetuoso, e encheu toda a casa em que estavam assentados. E foram vistas por eles línguas repartidas, como que de fogo, as quais pousaram sobre cada um deles. E todos foram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem" At 2:1-4).

Foi nesse dia festivo que Pedro despertou da indolência e partiu para uma pregação dinâmica de forma a convencer de uma só vez cerca de 3.000 almas para o Reino de Deus. Esse foi o objeto do Senhor: ter nos Seus discípulos alguém que Lhe representasse em meio a tanta incredulidade.
Até mesmo, o agora, intrépido Pedro, que o havia negado três vezes consecutivas não muitos dias antes desse episódio se encontrava, agora, capacitado par levar as Boas Novas do céu onde necessário fosse.

No Dia de Pentecostes o Senhor homologou de forma peremptória a Carta Magna da Nova Aliança estabelecida há dias antes no Alto do Calvário, no Monte Caveira de onde ainda hoje ressoa o Grito de Salvação do Nosso Deus! Esse ressoar se evidencia muito, com o comparecimento de pessoas de todo mundo nos arredores de Jerusalém, que de uma forma ou de outra se convergem para lá atraídos, uns pelo fato histórico e outros para expressar sua fé.

Hoje, todos os crentes estão convocados por Deus para partirem para o trabalho - saírem impolutos e encrespados para o exercício da evangelização. Para que essa obra fosse, ou seja, levada a efeito a tempo e fora dele, Jesus os encorajou dizendo: "Eis que eu estou convosco todos os dias, até à consumação dos séculos. Amém!" Mt 20:20 - e disse mais o Senhor: "Eis que vos dou poder para pisar serpentes, e escorpiões, e toda a força do Inimigo, e nada vos fará dano algum" (Lucas 10:19).

Não há nem agora e nem perante o Tribunal de Cristo alguma coisa que nos fornece fulcro para escusas, para desculpas incabíveis. Por que, diferente de nós, existe meios de armazenar dados PROTEGIDO POR DEUS!

Pr. Jorge Albertacci 
___________

 
XI

 
A IGREJA SÓ DISPÕE DE UM RECURSO: A PALAVRA DE DEUS
 
"Ouvi, Senhor, a tua Palavra"
(Habacuque 3:2).
 
A Palavra de Deus abundante, fluente, poderosa, revigorante e renovadora é o grande agente divino para o avivamento. Hoje a Palavra saiu dos púlpitos da maioria das igrejas e foi substituída ardilosamente e quase sempre por músicas, festas, jograis e apresentações teatrais que não falam aos corações e que acabam aborrecendo a Deus. 

Mas não é só no culto que a mensagem do evangelho foi abafada; também nos jornais, nas rádios, na televisão, e pior ainda: na vida dos pregadores, que denominados de evangélicos expõem as maiores heresias, tudo, tudo simplesmente por fama e por dinheiro. Um movimento que promova um verdadeiro avivamento é extremamente necessário nesse tempo em que dificilmente as pregações revelam o Reino e o Poder de Deus ao mundo.
 
Os homens com seu livre arbítrio pode até fazer o que quiser e na hora que quiser em detrimento do evangelho de Cristo, mas, uma coisa é certa e Paulo falou dela na sua 2 Timóteo 2:9: Por isso sofro trabalhos e até prisões, como um malfeitor; mas a palavra de Deus não está presa.

___________

 
XII
 
Mateus 3:1-6
Depois de Malaquias, não houve profeta até João Batista. Apareceu primeiro no deserto da Judéia. Não era um deserto desabitado, senão parte do país, não densamente povoado nem muito isolado. Nenhum lugar é tão remoto como para excluir-nos das visitações da graça divina.
 
Pregava a doutrina do arrependimento:
 
"Arrependei-vos". A palavra aqui usada implica uma mudança total de modo de pensar: uma mudança de juízo, da disposição e dos afetos, uma inclinação diferente e melhor da alma. Considerem seus caminhos, mudem seus pensamentos: pensaram errado; comecem de novo e pensem certo. Os penitentes verdadeiros têm pensamentos de Deus e de Cristo, do pecado e da santidade, deste mundo e do outro, diferentes dos que tinham. A mudança do pensamento produz uma mudança de caminho.
 
Este é o arrependimento do evangelho, o qual se produz ao ver a Cristo, ao captar seu amor, e da esperança de perdão por meio dEle. É um grande estímulo para que nós nos arrependamos; arrependam-se, porque seus pecados serão perdoados se vocês se arrependem. Voltem-se a Deus pelo caminho do dever, e Ele, por meio de Cristo, se voltará a vocês pelo caminho da misericórdia. Agora é tão necessário que nos arrependamos e nos humilhemos para preparar o caminho do Senhor como o era então.
 
Há muito que fazer para abrir caminho para Cristo numa alma, e nada mais necessário que o descobrimento do pecado, e a convicção de que não podemos ser salvos por nossa própria justiça. O caminho do pecado e de Satanás é um caminho retorcido, mas para preparar um caminho para Cristo é necessário endireitar as veredas. (Hebreus 12.13).
 
Os que têm por atividade chamar os outros a lamentar o pecado e a mortificá-lo, devem levar uma vida séria, uma vida de abnegação e desprezo do mundo. Dando aos outros este exemplo, João preparou o caminho para Cristo.
 
Muitos foram ao batismo de João, mas poucos mantiveram a profissão que fizeram. Talvez haja muitos ouvintes interessados, mas poucos crentes verdadeiros. A curiosidade e o amor pela novidade e variedade podem levar a muitos a ouvir uma boa pregação, sendo afetados momentaneamente muitos que nunca se submetem a sua autoridade. Os que receberam a doutrina de João testemunharam seu arrependimento confessando seus pecados. Estão prontos para receber a Jesus Cristo como sua Jz somente os que são levados com tristeza e vergonha a reconhecer sua culpa. Os benefícios do reino dos céus, agora já muito perto, foram selados pelo batismo.
 
João os purificou com água, em sinal de que Deus os limparia de todas suas iniquidades, dando a entender com isto que, por natureza e costume, todos estavam contaminados e não podiam ser recebidos no povo de Deus a menos que fossem lavados de seus pecados no manancial que Cristo abriria (Zacarias 13.1).
 
Mateus 4:18-22
Quando Cristo começou a pregar, principiou a reunir discípulos que deviam ser ouvintes, e depois pregadores, de sua doutrina, que deviam ser testemunhas de seus milagres, e depois testemunhar acerca deles. Não foi à corte de Herodes, nem foi à Jerusalém aos sumos sacerdotes nem aos anciãos, senão ao mar da Galiléia, aos pescadores. O mesmo poder que chamou a Pedro e a André poderia ter trazido a Anás e a Caifás, porque nada é impossível a Deus. mas Cristo escolhe o simples do mundo para confundir o sábio.

A diligência é um chamado honesto a comprazer a Cristo; e não é um obstáculo para a vida santa. A gente ociosa está mais aberta às tentações de Satanás que aos chamados de Deus. é coisa feliz e cheia de esperança ver filhos que cuidam de seus pais e cumprem com seus dever. Quando Cristo voltar, será bom ser achado agindo assim. Estou em Cristo? É uma pergunta muito necessária que devemos fazer-nos, e depois dela, estou em meu chamado?

Tinham seguido antes a Cristo como discípulos comuns (João 1.37); agora devem deixar seu ofício. Os que seguem bem a Cristo devem, a seu mandado, deixar todas as coisas para segui-lo a Ele, devem estar dispostos a separar-se delas. Esta instância do poder do Senhor Jesus nos exorta a dependermos de sua graça. Ele fala e está feito.

Mateus 4:23-25
Aonde ia Cristo, confirmava sua missão divina por meio de milagres, que foram emblema do poder curador de sua doutrina e do poder do Espírito que o acompanhava. Agora não encontramos em nossos corpos o miraculoso poder curador do Salvador, mas se formos curados pela medicina, o louvor é igualmente dEle. Aqui se usam três palavras gerais. Ele sanou toda enfermidade ou doença; nenhuma foi demasiado má, nenhuma demasiado terrível como para que Cristo não a curasse com uma palavra. Mencionam-se três doenças: a paralisia que é a suprema debilidade do corpo; a loucura, que é a doença maior da mente; e a possessão demoníaca, que é a maior desgraça e calamidade de todas elas; porém Cristo curou todo e, assim, ao curar as enfermidades do corpo, demonstrou que sua grande missão no mundo era curar os males espirituais. O pecado é enfermidades, doença e tormento da alma; Cristo veio para tirar o pecado e, assim, curar a alma.  Comentário Bíblico Matthew Henry – CPAD
 
Jorge Albertacci

___________


 
XIII
 
 
O LIVRO SAGRADO

Estamos estudando sobre o livro mais importante do mundo. Livro por excelência, o mais vendido e lido em todo o mundo; o maior best-seller de todos os tempos. Falamos das Escrituras Sagradas, ele é um manancial de bênçãos para todas as pessoas, sejam: sábios, leigos, ricos, pobres, raças, tribos, nações, e línguas. Todos podem ser abençoados e alcançados por este livro maravilhoso.
 
Para o mudo ele é a boca;
Para o cego a visão;
Para o perdido o caminho;
Para o sedento a fonte de água;
Para o marinheiro a bússola;
Para o viajante o mapa;
Para o enfermo o remédio;
Para o desesperado a esperança;
Para o triste a alegria;
Para o infeliz a felicidade;
Para o condenado a salvação;
Para o prisioneiro a liberdade;

Para os salvos ele é tudo, pois nele que encontramos a Palavra de Vida Eterna, nele nós encontramos o caminho que conduz ao céu. Nele nós aprendemos a amar ao Deus Pai, ao Deus Filho, e ao Deus Espírito Santo. É através deste livro que aprendemos que sem Deus nada podemos fazer. (Jo 15:5).
 
Um dia estávamos perdidos, mas através deste livro, encontramos o caminho. Estávamos com sede e descobrimos nele a fonte de água viva.

Foi este livro que nos orientou a buscar respostas certas para todas as nossas dúvidas. Estamos falando da BÍBLIA SAGRADA. Do vocábulo grego "bíblos", temos o plural "Bíblia’’, que quer dizer livros. Daí o nome da nossa Bíblia, um sinônimo de Bíblia é "As Escrituras’’, do grego ta "gramata ou hai graphai" como vemos nos textos:
1- Perguntou-lhe Jesus: nunca lestes nas Escrituras’’ (Mt 21:42).
2- Ainda que não lestes esta Escritura: A pedra... ’’(Mc 12:10).

Pr. Jorge Albertacci 

___________

 
XIV

O REAVIVAMENTO NO BRASIL COMEÇOU COM AS ASSEMBLEIAS DE DEUS

No início do século XX, apesar da presença de imigrantes alemães e suíços de origem protestantes e do valoroso trabalho de missionários de igrejas evangélicas tradicionais, nosso país era quase que totalmente católico. A origem das Assembleias de Deus no Brasil está no fogo do reavivamento que varreu o mundo por volta de 1900, início do século 20, especialmente na América do Norte.

Os participantes desse reavivamento ficaram cheios do Espírito Santo da mesma forma que os discípulos e os seguidores de Jesus durante a Festa Judaica do Pentecostes, no início da Igreja Primitiva (Atos 2). Assim eles foram chamados de "pentecostais." Exatamente como os crentes que estavam no Cenáculo, os precursores do reavivamento do século XX falaram em línguas quando receberam o batismo no Espírito Santo. Outras manifestações sobrenaturais tais como profecia, interpretação de línguas, conversões e curas também aconteceram (Atos 2).

Quando Daniel Berg e Gunnar Vingren chegaram a Belém do Pará, em 19 de novembro de 1910, ninguém poderia imaginar que aqueles dois jovens suecos estavam para iniciar um movimento que alteraria profundamente o perfil religioso e até social do Brasil por meio da pregação de Jesus Cristo como o único e suficiente Salvador da humanidade e a atualidade do Batismo no Espírito Santo e dos dons espirituais.

As igrejas existentes na época - Batista de Belém, Presbiteriana, Anglicana e Metodista, ficaram bastante incomodadas com a nova doutrina dos missionários, principalmente por causa de alguns irmãos que se mostravam abertos ao ensino pentecostal. A irmã Celina de Albuquerque, na madrugada do dia 18 de junho de 1911 foi a primeira crente a receber o batismo no Espírito Santo, o que não demorou a ocorrer também com outros irmãos.

O clima ficou tenso naquela comunidade, pois um número cada vez maior de membros curiosos visitava a residência de Berg e Vingren, onde realizavam reuniões de oração. Resultado: eles e mais dezenove irmãos acabaram sendo expulsos da Igreja Batista. Convictos e resolvidos a se organizar, fundaram a Missão de Fé Apostólica em 18 de junho de 1911, que mais tarde, em 1918, ficou conhecida como Assembleia de Deus. Em poucas décadas, a Assembleia de Deus, a partir de Belém do Pará, onde nasceu, começou a penetrar em todas as vilas e cidades até alcançar os grandes centros urbanos como São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Porto Alegre.

Em virtude de seu fenomenal crescimento, os pentecostais começaram a fazer diferença no cenário religioso brasileiro. De repente, o clero católico despertou para uma possibilidade jamais imaginada: o Brasil poderia vir a tornar-se, no futuro, uma nação protestante.

Pr. Jorge Albertacci
CONCLUSÃO
 
O culto que a Igreja presta a Deus deve ser sempre motivo de ação de graças pelo dom da vida, pela salvação e por tudo quanto Ele por Sua misericórdia tem feito por todos nós. O culto que prestamos a Deus deve ultrapassar todas as fonteriras das quatro paredes. Devendo ser prestado segundo os preceitos da Palavra de Deus em Romanos 12:1-2, e João 4:23-24.



Pastor Jorge Albertacci

Assembleia de Deus do Retiro
Volta Redonda - RJ
E-mail: prjorgealbertacci@yahoo.com.br


___________


XV

A Organização do Culto Que Prestamos a Deus
Êxodo 25:1-9
 
INTRODUÇÃO

Todas as instituições reconhecidas como pessoa jurídica de direito privado, tais como: as associações; as sociedades; as fundações; as organizações religiosas; os partidos políticos e as empresas individuais de responsabilidade limitada, para funcionar como legitimidade, é necessário que seja organizada.
 
1.  Local para O Culto: "E me farão um santuário e habitarei no meio deles" – (25:8) - Deus está presente em todo o lugar. Paulo disse que Ele não está preso à templos  (Atos 17:24). Mas Ele quer que separemos, consagremos e santifiquemos um lugar especial para a adoração. Daí a necessidade de templos. Um local devidamente reconhecido pelo poder público em todas as instâncias.
 
2.  Ofertas para O Culto: "Que me tragam uma oferta alçada" – (25:1). A organização do culto tem despesas, exige elementos materiais, cabe aos adoradores sustentar essa despesa. A entrega de ofertas é mostra de gratidão. Como Davi, não devemos prestar culto que não nos custe nada. ( 2 Sm 24:24). A Igreja do Senhor é isenta de quaisquer tributos, desde que, ela faça jus, como pessoa jurídica sem fins lucrativos.
 
3.  Líder para O Culto: "Farás chegar a ti teu irmão Arão e seus filhos" – (28:1) - Toda comunidade precisa de líderes. Assim também com aqueles que reúnem para o culto. Por isso Deus chama e separa pessoas para a liderança do culto em seus vários aspectos.
 
4.  Cooperadores para O Culto: "Eis que Eu tenho chamado por nome a Besaleel... e com ele Aoliabe."  (31:1-6) - Os líderes não podem conduzir sozinhos o culto. Eles precisam de colaboradores. E esses colaboradores devem Ter também as qualidades espirituais dos homens mencionados neste texto e dos mencionados em (At 6:3 e 1 Tm 2:2).
 
5.  O azeite da Santa Unção: "Tu pois toma para ti das principais especiarias" (23,25, 31-33). Jesus para pregar foi ungido com o Espírito Santo, e nós também -agora com o azeite nós ungimos os doentes - (Tg. 5:14).
 
6.  O Véu do Tabernáculo: "E este véu vos fará separação"(27:33) – Esse véu foi rasgado pela morte de Jesus para que todos possam entrar.  (Mt 27:51). O sacrifício vicário do Senhor Jesus na cruz, rasgou o véu de alto abaixo, abrindo-nos um caminho novo. A Carta aos Hebreus nos revela isto de forma compreensível: “Tendo, pois, irmãos, ousadia para entrar no Santuário, pelo sangue de Jesus,  pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou, pelo véu, isto é, pela sua carne,  e tendo um grande sacerdote sobre a casa de Deus,  cheguemo-nos com verdadeiro coração, em inteira certeza de fé; tendo o coração purificado da má consciência e o corpo lavado com água limpa,  retenhamos firmes a confissão da nossa esperança, porque fiel é o que prometeu.” – (Hb 10:19-23).
 
7. Ordem na celebração do Culto“Portanto, irmãos, procurai, com zelo, profetizar e não proibais falar línguas.Mas faça-se tudo decentemente e com ordem. – (1Co 14:39-40). E falem dois ou três profetas, e os outros julguem. Mas, se a outro, que estiver assentado, for revelada alguma coisa, cale-se o primeiro. Porque todos podereis profetizar, uns depois dos outros; para que todos aprendam, e todos sejam consolados. E os espíritos dos profetas estão sujeitos aos profetas. Porque Deus não é Deus de confusão, senão de paz” – (1 Co 14:29-33).
 
8.  Dia para O Culto: "Guardareis o Sábado porque santo é para vós." – (31:14-15). Toda nossa vida deve ser um culto a Deus. Em todos os dias devemos separar tempo para Deus. Deus quer que além disso separemos um dia santo para o culto que o Senhor bem merece.
 
CONCLUSÃO
 
O culto que a Igreja presta a Deus deve ser sempre motivo de ação de graças pelo dom da vida, pela salvação e por tudo quanto Ele por Sua misericórdia tem feito por todos nós. O culto que prestamos a Deus deve ultrapassar todas as fonteriras das quatro paredes. Devendo ser prestado segundo os preceitos da Palavra de Deus em Romanos 12:1-2, e João 4:23-24.



Pastor Jorge Albertacci

Assembleia de Deus do Retiro
Volta Redonda - RJ
E-mail: prjorgealbertacci@yahoo.com.br


___________


XVI

A CHAMA PENTECOSTAL

Em 18 de Abril de 1906 o Daily Times, Jornal de Los Angeles, publicou uma reportagem de primeira página sobre o avivamento. Durante quase mil dias, dezenas de milhares de pessoas de todas as partes do globo visitaram a Rua Asuza e foram tocadas pelo derramamento abrasador do Espírito Santo. Esse movimento é considerado por muitos como a tocha que acendeu a fogueira mundial do Pentecostes no século XX. Vale ressaltar que todo esse movimento em Los Angeles, aconteceu dentro de um mês. 

Jorge Albertacci 
___________


XVII

NÃO ENCONTREI UM SEQUER

Ezequiel 22:29-31

Ao povo da terra oprimem gravemente, e andam roubando, e fazem violência ao aflito e ao necessitado, e ao estrangeiro oprimem sem razão.

E busquei dentre eles um homem que estivesse tapando o muro e estivesse na brecha perante mim por esta terra, para que eu não a destruísse; mas a ninguém achei.

Por isso, eu derramei sobre eles a minha indignação; com o fogo do meu furor os consumi; fiz que o seu caminho recaísse sobre a sua cabeça, diz o Senhor JEOVÁ.

Jorge Albertacci 
___________


XVIII

PELO AMOR DE DEUS

1 Coríntios 15:1-58
 
Quando não trabalhamos e não vigiamos corretamente, temos grande chance de passar a sermos perniciosos na obra do Senhor. Perniciosos porque, nossa tendência é complicar o que Jesus descomplicou para todos nós lá na cruz do Calvário, onde, Ele mesmo, sem a cooperação de ninguém. Ninguém porque ninguém está disposto a carregar a cruz de ninguém e nem tampouco a morrer por alguém.
 
Jesus veio descomplicar, o que o diabo havia complicado. Não são poucos os que fazem coro com o diabo para complicar o Evangelho para as pessoas.
 
Se depois de Jesus haver descomplicado tudo, aparecer alguém de nós, ensinado que para se compreender as Escrituras, é necessário que tenha este ou aquele conhecimento que, para compreender as Escrituras é necessário que a pessoa tenha esta ou aquela visão. Isto é complicar o descomplicado, é tentar apagar a luz que Jesus acendeu, é tentar desmerecer o sacrifício vicário de Jesus.
 
Se fosse tão complicado como muitos ensinam, o que seria das pessoas, que assim como eu, nasceram na roça, sem ter possibilidade de frequentar escola? Me refiro às escolas do 1º grau mesmo, como ficaria? Como ficaria a situação espiritual daqueles que não tiveram o santo privilégio de nascer em berços esplêndidos  da forma que nasceram os sabichões da vida?
 
É bom que todos saibam que Jesus Cristo veio a este mundo destinado não aos sabichões e santarrões da vida, mas, Ele veio para os de vida complicada, doente, leproso, destituído de tudo, arrasados, vivendo às margens da sociedade. Ele veio às pessoas enroladas com o casamento, complicadas com corrupção, afinal de contas, Ele veio para todos nós, inclusive para mim! O mundo vive a cegueira do presente século. A cada dia mais complicado sob o curso do deus deste sitema que satanás estabeleceu neste mundo. 

Por isso, tendo este ministério, segundo a misericórdia que nos foi feita, não desfalecemos; antes, rejeitamos as coisas que por vergonha se ocultam, não andando com astúcia nem falsificando a palavra de Deus; e assim nos recomendamos à consciência de todo o homem, na presença de Deus, pela manifestação da verdade. Mas, se ainda o nosso evangelho está encoberto, para os que se perdem está encoberto.
Nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus. (2 Coríntios 4:1-4).
 
Principalmente nos tempos pós-modernos que apareceram os pregadores da doutrina da prosperidade e da maldição hereditária amedrontando os que ainda não se firmaram seus pés sobre à Rocha. São os novatos na fé, que precisam ser ajudados. Mas, com suas poucas experiências, acabam sendo presas fáceis de agoureiros incomplascentes, que com suas mentes entenebrecidas que confundem os neófitos da Igreja.
 CONCLUSÃO

À luz da Palavra de Deus, em nenhuma hipótese pode-se admitir que um servo fiel a Cristo carregue consigo resquícios de maldição, vinda de tetravôs, bisavôs, avôs, pais, macumbeiros, bruxos, feiticeiros, de demônios, do próprio satanás, ou de quem quer que seja. O crente em Cristo é sempre uma fonte de bênção, ele tanto é abençoado como também abençoa. Jesus disse: Vocês já estão limpos, pela palavra que lhes tenho falado. (João 15:3).

Jorge Albertacci
___________



XIX

NA CASA DE DEUS, O MINISTRANTE, HOMEM OU MULHER, DEVE SER ACIMA DE TUDO, UMA PESSOA EQUILIBRADA

Um Bom Exemplo Para Isto Temos na Vestimenta do Sumo Sacerdote:

“E nas suas bordas farás romãs de pano azul, e de púrpura, e de carmesim, ao redor das suas bordas; e campainhas de ouro no meio delas ao redor. Uma campainha de ouro e uma romã, outra campainha de ouro e outra romã haverá nas bordas do manto ao redor, e estará sobre Arão quando ministrar, para que se ouça o seu sonido, quando entrar no santuário diante do SENHOR e quando sair, para que não morra” (Êx 28.33-35).

(Uma CAMPAINHA de ouro e uma ROMÃ, outra CAMPAINHA de ouro e outra ROMÃ haverá nas bordas do manto ao redor). Como é inspirador meditar nessas coisas do Céu! Nesse preparo instrutivo! Nem um, nem outro, mas, os dois alternadamente! É como o SAL e o AÇUCAR! A ÁGUA e o ALIMENTO! O CANTAR e o CHORAR! O ORAR pedindo e o ORAR AGRADECENDO! 

Esse equilíbrio denota a necessidade da presença dos Dons Espirituais e do Fruto do Espírito na vida do Obreiro e na Igreja num todo. Todavia, a manifestação dos dons em nada deve fazer lembrar o que se passa nas sessões do baixo espiritismo, de macumba ou de candomblé. O que mais se vê no seio das Igrejas nos dias de hoje.  Cada dia mais distante dos princípios adotados pela Igreja Primitiva, das doutrinas dos apóstolos e das normas exaradas nas Sagradas Escrituras, preceituadas pelo próprio Senhor.

Os grandes TRANSATLÂNTICOS no mar, estão tão seguros como os grandes SUPERSÔNICOS no ar!

Pr. Jorge Albertacci 
___________



XX
 
NO CULTO DIVINO DEVE HAVER PROFECIA

1.) PARA CONSOLAR = Confortar: Isaías 40:1 Consolai, consolai o meu povo, diz o vosso Deus. 2 Coríntios 1:4 que nos consola em toda a nossa tribulação, para que também possamos consolar os que estiverem em alguma tribulação, com a consolação com que nós mesmos somos consolados de Deus. 1 Ts 4:18 Portanto, consolai-vos uns aos outros com estas palavras. O próprio Espírito Santo é o nosso Consolador!

2.) PARA EDIFICAR = Elevar social e espiritualmente. 1 Coríntios 10:23 Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas edificam. 1 Ts 5:11: Pelo que exortai-vos uns aos outros e edificai-vos uns aos outros, como também o fazeis.

3.) PARA EXORTAR = Aconselhar; animar; encorajar. O verbo "exortar", que corresponde a parakaleo (no grego), não tem o sentido de "repreender" – Mas convencer o irmão mais fraco a fazer ou pensar nas coisas de Deus. Ajudar para que suas forças sejam renovadas no Senhor!

Romanos 12:8: ou o que exorta, use esse dom em exortar; o que reparte, faça-o com liberalidade; o que preside, com cuidado; o que exercita misericórdia, com alegria. Tito 2:15: Fala disto, e exorta, e repreende com toda a autoridade. Ninguém te despreze.

Pr. Jorge Albertacci Alcenir Albertacci
___________



XXI

NOSSA LUTA COTIDIANA É SEMPRE CONTRA: 

Efésios 6:10-18

01. O espírito de cobiça – Acã – Js 7:1-26;
02. O espírito de rebeldia – (Jonas) – Jn 1:3;
03. O espírito do mundanismo – (Demas) – 2Tm 4:10;
04. O espírito de negligência a oração – Tg 4:2;
05. O espírito de vingança – (quem não perdoa) – Mt 6:14-15;
06. O espírito de murmuração – (Os Coríntios) – 1Co 10:10;
06. O espírito de crítica destrutiva – (Tobias) – Nee 4:3;
07. O espírito de indiferença – Gálio - At 18:17;
08. O espírito de exaltação – (soberba) – Tg 4:9-10;
09. O espírito de desobediência – insubordinação – (Saul) – 1Sm 15:22.
10. O espírito de incredulidade - (Os conterrâneos de Jesus) – Mc 6:5-6.

CONCLUSÃO

Quando o crente prioriza no seu coração morada somente para Jesus nenhum destes espíritos o dominará em nada. Ele é vitorioso pela presença do Senhor constantemente norteano a sua vida. Assim nos ensinou Jesus: "Então diz: Voltarei para a minha casa, de onde saí. E, voltando, acha-a desocupada, varrida e adornada. Então vai, e leva consigo outros sete espíritos piores do que ele e, entrando, habitam ali; e são os últimos atos desse homem piores do que os primeiros. Assim acontecerá também a esta geração má." (Mateus 12:44-45 - NVI).

Jorge Albertacci

___________



XXII

LUTERO 

Lutero traduziu o Novo Testamento para o alemão, num período de onze semanas, quando estava refugiado no castelo de Wartburg. Essa tradução foi publicada em setembro de 1522. A tradução do Antigo Testamento só foi concluída após 12 anos de trabalho (publicada em 1534), sendo que Lutero contou com a colaboração de uma equipe de professores de teologia de Wittenberg (que não se dedicaram ao projeto em regime de tempo integral). A tradução de Lutero antecipa, em parte, o modelo de tradução de equivalência dinâmica, utilizado na Nova Tradução na Linguagem de Hoje. Lutero, se expressou assim: “Não se deve perguntar às letras na língua latina como se deve falar em alemão, (…) e sim, é preciso perguntar à mãe em casa, às crianças na rua, ao popular na feira, ouvindo como falam, e traduzir do mesmo jeito, então vão entender e notarão que se está falando alemão com eles”. Por ter seguido este princípio, a tradução da Bíblia feita por Lutero caiu no gosto popular, embora não tivesse sido a primeira tradução para a língua alemã. Fonte SBB - Rio de Janeiro.

Jorge Albertacci

___________


XXIII

ENTENDENDO A BÍBLIA

A Bíblia é traduzida desde, pelo menos, a época de Esdras e Neemias (leia Ne 8:8 ). Naquela época, era necessário fazer uma tradução oral ou falada para o aramaico, necessidade sentida ainda nos tempos de Jesus. No entanto, a mais antiga tradução da Bíblia em forma escrita é a Septuaginta, que foi feita ao longo dos últimos 200 ou 300 anos antes de Cristo. SBB - RIO DE JANEIRO.

Jorge Albertacci

___________



XXIV

PENTECOSTAL

Levítico 6:13

A mensagem pentecostal é a demonstração da essência da fé cristã, é a comprovação de que Jesus está presente na vida do pregador da verdade, bem como em todas as atividades da Igreja de Cristo na terra.

A mensagem pentecostal é a chama viva que arde no peito de cada crente em Cristo, e que está disposto a sofrer em defesa dela. Ela é o fogo que Deus acendeu na Nova Aliança, assim como àquele que Ele mesmo acendeu no passado - Levítico 6:12-13: “O fogo, pois, sobre o altar arderá nele, não se apagará; mas o sacerdote acenderá lenha nele cada manhã, e sobre ele porá em ordem o holocausto, e sobre ele queimará a gordura das ofertas pacíficas.

"O fogo arderá continuamente sobre o altar; não se apagará”
___________



XXV
 

COMO NASCEU A MENSAGEM PENTECOSTAL

Na Manhã da Nova Aliança, o Sumo Sacerdote, Jesus Cristo, nosso Senhor, acendeu o fogo, a chama pentecostal que jamais se apagaria. Ele mesmo pôs a lenha em ordem, e no dia de pentecostes a chama começou a arder. Ardeu no Cenáculo em Jerusalém, Atos 2:1-4; ardeu na casa de Cornélio, Atos 10:44-47; ardeu em Éfeso, Atos 19:1-6 – como arderá para sempre nos crentes da Dispensação da Graça, Atos 2:39.

A MENSAGEM PENTECOSTAL É SEMPRE EVIDENCIADA PELO FOGO

No decorrer da história, notamos que Deus sempre norteou o Seu povo através, ou com o fogo. Foi assim durante a peregrinação dos hebreus, a partir do Egito até à terra de Canaã: – “E o SENHOR ia adiante deles, de dia numa coluna de nuvem, para os guiar pelo caminho, e de noite numa coluna de fogo, para os alumiar, para que caminhassem de dia e de noite. Nunca tirou de diante da face do povo a coluna de nuvem, de dia, nem a coluna de fogo, de noite” (Êxodo 13:21- 22). Sempre foi assim.

Pr. Jorge Albertacci Alcenir Albertacci

___________


 
XXVI
 
NOSSA FAMÍLIA É DÁDIVA DE DEUS

1 Tessalonicenses 4:3-5 (NVI)

"A vontade de Deus é que vocês sejam santificados: abstenham-se da imoralidade sexual. Cada um saiba controlar o próprio corpo de maneira santa e honrosa, não com a paixão de desejo desenfreado, como os pagãos que desconhecem a Deus."

Se precisássemos de uma razão para explicar porque Deus uniu as primeiras pessoas no Éden, poderíamos declarar sem medo de errar: a preservação da família.

Ao contemplarmos o mundo de hoje, com uma proporção cada vez maior de indivíduos que abandonam o lar, com tudo o que ele representa, em busca de seus próprios interesses, vamos constatar quanto este mundo está distanciado do propósito de Deus.

A sexualidade desenfreada, a tão mencionada nas Escrituras, concupiscência da carne, é a grande responsável pelos desvios de conduta que levam o homem e a mulher de hoje a pecarem, banalizando a sexualidade, fazendo dela motivo que em tudo desagrada a Deus. Inclusive, no sentido da herotização de adolescentes e crianças, reforçando nestes serem indefesos o desejo precoce para outros atos ilícitos, tais como as baladas,  droga, bebidas alcoólicas, roubos, assaltos, arrastões e até mesmo à morte precoce para muitos.

O sexo não deve ser concebido como algo imoral, feio e vulgar. Também não deve ser concebido como instrumento de prazeres egoísticos e de desventura infligida ao próximo. Deve, antes, ser compreendido à luz da Bíblia como algo criado por Deus no ser humano para sua satisfação pessoal e preservação da espécie acompanhadas de vidas santas, puras e virtuosas.

Jorge Albertacci Alcenir Albertacci

___________

 
XXVII
 
TEMOS LUZ NO CORAÇÃO

Lâmpada para os meus pés é tua palavra e luz para o meu caminho. O povo que estava assentado em trevas viu uma grande luz; e aos que estavam assentados na região e sombra da morte a luz raiou. Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte; falou-lhes, pois, Jesus outra vez, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida. Persiste em ler, exortar e ensinar, até que eu vá. Aquele que diz que está na luz e aborrece a seu irmão até agora está em trevas.  (Sl 119:105; Mt 4:16, Mt 5:14; Jo 8:12).

Pr. Jorge Albertacci
 
___________


 
XXVIII
 
DEUS FALA A QUEM INTERESSAR OU NÃO

Salmo 19 - Hebreus 1:1-4

"Os céus manifestam a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos. Um dia faz declaração a outro dia, e uma noite mostra sabedoria a outra noite. Sem linguagem, sem fala, ouvem-se as suas vozes em toda a extensão da terra, e as suas palavras, até ao fim do mundo. Neles pôs uma tenda para o sol, que é qual noivo que sai do seu tálamo e se alegra como um herói a correr o seu caminho.

A sua saída é desde uma extremidade dos céus, e o seu curso, até à outra extremidade deles; e nada se furta ao seu calor. A lei do SENHOR é perfeita e refrigera a alma; o testemunho do SENHOR é fiel e dá sabedoria aos símplices. Os preceitos do SENHOR são retos e alegram o coração; o mandamento do SENHOR é puro e alumia os olhos.

O temor do SENHOR é limpo e permanece eternamente; os juízos do SENHOR são verdadeiros e justos juntamente. Mais desejáveis são do que o ouro, sim, do que muito ouro fino; e mais doces do que o mel e o licor dos favos. Também por eles é admoestado o teu servo; e em os guardar há grande recompensa.

Quem pode entender os próprios erros? Expurga-me tu dos que me são ocultos. Também da soberba guarda o teu servo, para que se não assenhoreie de mim; então, serei sincero e ficarei limpo de grande transgressão. Sejam agradáveis as palavras da minha boca e a meditação do meu coração perante a tua face, SENHOR, rocha minha e libertador meu!" (Salmo 19).

“Havendo Deus, antigamente, falado, muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, a nós falou-nos, nestes últimos dias, pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de tudo, por quem fez também o mundo. O qual, sendo o resplendor da sua glória, e a expressa imagem da sua pessoa, e sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, havendo feito por si mesmo a purificação dos nossos pecados, assentou-se à destra da Majestade, nas alturas; feito tanto mais excelente do que os anjos, quanto herdou mais excelente nome do que eles”  (Hebreus 1:1-4).

Jorge Albertacci Alcenir Albertacci
 
___________


 
XXIX
 

SEMPRE COM SUA ATENÇÃO VOLTADA PARA NÓS!

(Geneis 3:8-10 - NVI)

Ouvindo o homem e sua mulher os passos do Senhor Deus que andava pelo jardim quando soprava a brisa do dia, esconderam-se da presença do Senhor Deus entre as árvores do jardim.  Mas o Senhor Deus chamou o homem, perguntando: "Onde está você? "  E ele respondeu: "Ouvi teus passos no jardim e fiquei com medo, porque estava nu; por isso me escondi."  


COMENTÁRIO

Desde o princípio, ainda no Jardim do Éden, o desejo de Deus sempre foi o de comunicar com Seus filhos o tempo todo. Ele visitava Adão no Éden, e ainda hoje visita-nos dia e noite.

Deus vem ao nosso encontro. Nunca deixa nenhum de Seus filhos esquecidos. Sabendo disto, é necessário que estejamos sempre prontos para recebê-lO. É muito comum buscarmos a Deus constantemente, mas, nem sempre nos preparamos para recebe-lO.

Esta falha do ser humano, começou com Adão, que ao ouvir o Senhor lhe chamando para a visita diária, percebeu que não estava preparado. Além de ter cometido pecado, ainda se encontrava  nu. Tanto ele como sua esposa, Eva. É muito normal nós nos prepararmos para tudo na vida, mas, dificilmente nos preparamos para receber o nosso Deus, não somente em nossas casas, mas, em nossos corações também.
CONCLUSÃO

Que Deus em Cristo, abençoe a todos os meus irmãos, para que estejam sempre preparados para receber a Jesus, que inclusive, está às portas para buscar os Seus no arrebatamento.

Pr. Jorge Albertacci Miss. Alcenir Albertacci
 
___________


 
XXX
 

 
O MAIOR INVESTIMENTO

(Ecresiastes 9:10 - NVI)


O que as suas mãos tiverem que fazer, que o façam com toda a sua força, pois na sepultura, para onde você vai, não há atividade nem planejamento, não há conhecimento nem sabedoria.

COMENTÁRIO

À medida em que investirmos nos projetos do SENHOR, ELE retribui investindo nos nossos. Como é bom saber dessas coisas, ou seja: como é bom poder perscrutar pelo menos um pouquinho do plano de DEUS para com as nossas vidas! Ato que acontece, somente através da divina revelação do SANTO ESPÍRIRO do SENHOR!

Quem está apto a receber revelação advinda do ESPÍRITO do SENHOR? Os que voluntariamente se apresentam para adorá-lO em espírito e em verdade e empregam seu tempo nos trabalhos da Igreja. O SENHOR entende como investimento da nossa parte nos SEUS projetos, quando cuidamos dos necessitados, por amor, sem pretender nada em troca, sem ter esperança de sermos recompensados por isto. Quando buscamos os que estão lá fora, que ainda não foram alcançados por SUA incomensurável graça e quando amamos de verdade não somente os que nos amam, mas os que nos odeiam também. Mas buscai primeiro o Reino de Deus, e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas. (Mateus 6:33).

Pr. Jorge Albertacci
 


___________


 
XXXI
 
OU TUDO OU NADA

(1 João 2:15 - NVI)

Não amem o mundo nem o que nele há. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele.

Por incrível que pareça, diante da atual conjuntura social, são muitas as coisas que contribuem para que as pessoas; principalmente as de menos idades tenham vergonha de andar segundo os preceitos bíblicos. Porque o mundo jaz no maligno, então a carne, o mundo e o diabo, lançam modas forjadas nos bastidores do inferno, e estas são lançadas de forma a convencer os servos de Deus a se esquecerem do bem maior, ou seja: o que os espera no porvir e enveredar-se sob o pretexto de, não tem nada a ver pelos caminhos infernais.

Em detrimento do genuíno culto a Deus recomendado em Romanos 12, o culto ao corpo tem ganhado terreno até mesmo entre os crentes, que já professaram a Jesus como Senhor das suas vidas; passaram pelas águas batismais, participaram da santa ceia e muitos até já fizeram parte do colégio ministerial. Por tão pouca coisa, podemos perder nosso bem maior! A salvação do SENHOR.

Pr. Jorge Albertacci

 


___________


 
XXXII
 
A ELE, GLÓRIA, HONRA E O DOMÍNIO PARA SEMPRE!
 
Efésios 3:18-21

Poderdes perfeitamente compreender, com todos os santos, qual seja a largura, e o comprimento, e a altura, e a profundidade, E conhecer o amor de Cristo, que excede todo o entendimento, para que sejais cheios de toda a plenitude de Deus. 
 
Ora, àquele que é poderoso para fazer tudo muito mais abundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos, segundo o poder que em nós opera, a esse glória na Igreja, por Jesus Cristo, em todas as gerações, para todo o sempre. Amém!

Quando dedicamos nossas vidas integralmente ao Senhor Jesus. Procurando a santificação, e em todos os nossos atos, como o sal da terra, despertarmos um sabor agradável, para este mundo repleto de amarguras, o Seu Santo Espírito, nos ajuda, nos revelando as belezas celestiais - nos confortando, nos ensinando, nos fazendo lembrar o que dantes havíamos aprendido. (João 14:26). Preservando nossas vidas de todo mal até aquele Grande Dia em que Cristo nos arrebatará deste mundo.

___________


 
XXXIII
 
Mateus 9:35-38
 
Jesus veio refazer os laços que o diabo através dos seus emissários havia quebrado promovendo desunião até mesmo entre os irmãos, membros do Seu Corpo.  No texto em apreço Ele alude ao reclamo de Deus através do profeta messiânico:

"Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu caminho; mas o SENHOR fez cair sobre ele a iniquidade de nós todos." (Isaías 53:6).

Bem como a passagem do Salmo 133:1: - "Oh! Quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união!" Jesus chegou a dizer em Mateus 18:20:  "Porque onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles."

No entendimento de Jesus era necessário que eles estivessem juntos no Templo. Vale ressaltar que o estar juntos aponta para várias correntes que merecem ser observadas, a saber: juntos em um só lugar, em uma só fé, em um só Senhor, com um só ideal, um só batismo, enfim, tendo tudo em comum, um sentindo as dores dos outros como que se fosse dele. No conceito do nosso Senhor Jesus Cristo, jamais haveria quaisquer tipos de questiúnculas no meio dos salvos.

Paulo exortou veementemente aos Coríntios pelo fato deles se reunirem para piorar e não para melhorar, mas sempre  os recomendando a estarem juntos.

A interpretação da passagem da carta aos Hebreus 10:25, nos leva a crer que o desprezar a congregação é pecado, e pode até ser pecado de rebeldia.  Todos sabemos que Jesus mesmo se auto intitulou de Bom Pastor; e mediante a esta exposição entendemos que Ele veio juntar o povo. Ele é o nosso Pastor; apesar de vários rebanhos aqui na terra, chegará o tempo em que haverá somente um rebanho: João 10:16 Ainda tenho outras ovelhas que não são deste aprisco; também me convém agregar estas, e elas ouvirão a minha voz, e haverá um rebanho e um Pastor.

MATEUS 16:19 ... E TUDO O QUE LIGARES NA TERRA SERÁ LIGADO NOS CÉUS, E TUDO O QUE DESLIGARES NA TERRA SERÁ DESLIGADO NOS CÉUS. HEBREUS 10:25 NÃO DEIXANDO A NOSSA CONGREGAÇÃO, COMO É COSTUME DE ALGUNS; ANTES, ADMOESTANDO-NOS UNS AOS OUTROS; E TANTO MAIS QUANTO VEDES QUE SE VAI APROXIMANDO AQUELE DIA.

Pr. Jorge Albertacci
18/04/14
AD Retiro – Volta Redonda/RIO
 
___________


 
XXXIV
 
COMBATI O BOM COMBATE, ACABEI A CARREIRA, GUARDEI A FÉ 

(2 Timóteo 4:7)

Depois de desempenhar seu prolífero ministério, Paulo via agora a iminência do fim; e vivia o “princípio do final de sua carreira!” O ponto alto nesse momento em que vivia do Apóstolo do Senhor foi marcado pela frase: “COMBATI O BOM COMBATE.” Mas o que esse homem de Deus podia chamar de BOM COMBATE?
 
a).– Os açoites com varas? 
b).– O apedrejamento?
c).– Os naufrágios?
d).– O passar a noite no abismo? (2 Co 11:25).
e).– O perigo dos rios?
f).– O perigo com os salteadores?
g).– O perigo em sua própria nação?
h).– O Perigo dos gentios? (2 Co 11:26; Gl 2:4).
i). – O ter que descer em um cesto pela muralha de uma Janela? (At 9:25; 2Co 11:33).
 
O QUE TERIA LEVADO ESSE HOMEM A CHAMAR O MINISTÉRIO DE APÓSTOLO DE BOM COMBATE?
 
As “dores de parto” que constantemente sentia? (Gl 4:19). Paulo tinha em mente a coroa de glória que lhe estava reservada no Céu! Paulo teve uma experiência íntima com Deus (2Co 12:2; Rm 8:18).

“PORQUE PARA MIM TENHO POR CERTO QUE AS AFLIÇÕES DESTE TEMPO PRESENTE NÃO SÃO PARA COMPARAR COM A GLÓRIA QUE EM NÓS HÁ DE SER REVELADA” (Rm 8:18).

“E DISSE-ME: A MINHA GRAÇA TE BASTA, PORQUE O MEU PODER SE APERFEIÇOA NA FRAQUEZA. DE BOA VONTADE, POIS, ME GLORIAREI NAS MINHAS FRAQUEZAS, PARA QUE EM MIM HABITE O PODER DE CRISTO” (2 Co 12:9).  SIM! PAULO TEVE RAZÃO PARA CHAMAR ATÉ O SER VENCIDO PELO FIO DA ESPADA DE BOM COMBATE! O QUE SERIA DRÁSTICO, SE NÃO FOSSE BÊNÇÃO!

Pr. Jorge Albertacci
18/04/14

___________


 
XXXV
 
 
AOS QUE LIDERAM NA IGREJA DO SENHOR JESUS, ESCREVO:

NÃO PERMITA QUE PESSOAS QUE USAM CHAVÕES RECHEADOS DE PALAVRÕES E SE ALEGRAM COM ATOS OBSCENOS, CANTE, PREGUE OU PRATIQUE QUALQUER OUTRA MINISTRAÇÃO NA IGREJA, QUE NÃO É TUA, MAS, QUE FOI CONFIADA AOS SEUS CUIDADOS PASTORAIS. 

NÃO PERMITA CANTORES HERÉTICOS, QUE NEGAM A TRINDADE DE DEUS, OU QUE SUAS MÚSICAS CONTENHAM TERMOS DE DUPLA CONOTAÇÃO, OU ATÉ MESMO PALAVRÕES, CANTE “PARA OS SALVOS” PORQUE VOCÊ COMO LÍDER SEGUIRÁ COM ESTE PARA O MESMO CAMINHO DA IMORALIDADE, OU SEJA, PARA O INFERNO.

JAMAIS PERMITA QUE “...INSTITUIÇÕES MISSIONÁRIAS...” SE ANINHEM NO MEIO DO REBANHO, PORQUE ALÉM DO REBANHO FICAR ATORDOADO, ACHANDO QUE VOCÊ NÃO FAZ NADA, ESSAS INSTITUIÇÕES AINDA LEVAM TODOS OS CENTAVINHOS DA IGREJA E DOS INCAUTOS IRMÃOS. QUANTO A ISTO, AS EXCESSÕES SÃO RARÍSSIMAS!

NÃO PERMITA QUE PREGADORES CAROS, PREGUEM NEM DE GRAÇA PARA O REBANHO QUE LHE FOI CONFIADO, PORQUE ESTES, EM DETRIMENTO DA EXEGESE, PRATICAM SOMENTE O OPOSTO, OU SEJA A EISEGESE, PARA LEVAR O SEU REBANHO AO ÊXTASE, E TUDO QUANTO VOCÊ APRENDEU DO ESPÍRITO SANTO E PASSOU PARA ELES VAI PARA O BREJO, E INDUBITAVELMENTE, VOCÊ TAMBÉM. AINDA MAIS, CLASSIFICADO COMO SERVO INFIEL.

Pr. Jorge Albertacci
Jubilado da Assembleia de Deus do Retiro
Volta Redonda/RIO
 
___________


 
XXXVI
 
APARECE EM ISAÍAS 33, MOSTRANDO A HARMONIA EXISTENTE NOS TERMOS EXARADOS NAS LAUDAS SAGRADAS – QUEM SE INSPIROU EM QUEM? OU O ESPÍRITO SANTO FOI QUEM INSPIROU OS DOIS!
 
Os pecadores de Sião se assombraram, o tremor surpreendeu os hipócritas. Quem dentre nós habitará com o fogo consumidor? Quem dentre nós habitará com as labaredas eternas? O que anda em justiça e que fala com retidão, que arremessa para longe de si o ganho de opressões, que sacode das suas mãos todo o presente; que tapa os ouvidos para não ouvir falar de sangue e fecha os olhos para não ver o mal, este habitará nas alturas; as fortalezas das rochas serão o seu alto refúgio, o seu pão lhe será dado, e as suas águas serão certas. Os teus olhos verão o Rei na sua formosura e verão a terra que está longe. O teu coração considerará em assombro, dizendo: Onde está o escrivão? Onde está o pagador? Onde está o que conta as torres? Não verás mais aquele povo cruel, povo de fala tão profunda, que não se pode perceber, e de língua tão estranha, que não se pode entender. Olha para Sião, a cidade das nossas solenidades; os teus olhos verão a Jerusalém, habitação quieta, tenda que não será derribada, cujas estacas nunca serão arrancadas, e das suas cordas nenhuma se quebrará. Mas o SENHOR ali nos será grandioso, lugar de rios e correntes largas; barco nenhum de remo passará por eles, nem navio grande navegará por eles.

Porque o SENHOR é o nosso Juiz; o SENHOR é o nosso Legislador; o SENHOR é o nosso Rei; ele nos salvará. E morador nenhum dirá: Enfermo estou; porque o povo que habitar nela será absolvido da sua iniquidade.

Pr. Jorge Albertacci
Jubilado da Assembleia de Deus do Retiro
Volta Redonda – Rio de Janeiro
 
___________


 
XXXVII
 
PROMESSA DO ESPÍRITO - BATISMO COM ESPÍRITO - ASSOPROU
 
João 14:17 – João 20:22 – Atos 1:5

1. DURANTE A ÚLTIMA REUNIÃO, JESUS PROMETE O ESPÍRITO SANTO:

a) Jo 14:16-17 – e Eu rogarei ao Pai, e Ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre. O Espírito... Não seriam eles batizados ainda...!

b) At 1:5 – mas, vós sereis batizados com o Espírito Santo, não muito depois destes dias... Estava por vir...

c) Jo 20:22 – Assoprou sobre eles e disse-lhes: Recebei o Espírito santo... Receberam o Espírito Santo, mas, não na forma predita por Joel... Ou seja, ainda não era o Batismo...!

d) A S S O P R O  é uma palavra que transliterada do grego, é (ephusao) é o mesmo verbo usado em Gn 2:7 – E soprou nos seus narizes o fôlego da vida...

e) É O MESMO USADO EM EZEQUIEL 37:9 - E Ele me disse: profetiza ao espírito...

f) Jo 20:22 - Assoprou sobre eles e disse-lhes: Recebei o Espírito santo... Desta forma, o Espírito Santo estava neles, mas, ainda não era o batismo...!

g) Na verdade, eles ainda estavam na cidade...! Lucas 24:49 - E eis que sobre vós envio a promessa de meu Pai; ficai, porém, na cidade de Jerusalém, até que do alto sejais revestidos de poder... Jesus falava sobre o batismo...

h) Jo 3:15: Vós já estais limpos pela palavra que eu vos tenho falado!... Eles já estavam limpos, salvos, mas, não batizados no o Espírito Santo...!

i) Na promessa em João 14:26 O ESPÍRITO VIRIA PARA FICAR COM ELES: ensina-los, fazer lembrar, consola-los – Eles já tinham recebido o Espírito na conversão?... já tinham...! agora recebem o sopro do Espírito...! – Não é o batismo também...!

2) O BATISMO NO ESPÍRITO SANTO SERIA, OU ERA, ALGO DISTINTO 

Reservado para a Igreja – os salvos – Não seria uma forma iniciática para a salvação e nem para nada – seria o cumprimento da promessa de Deus para os que já estivessem salvos – não seria nada para complementar a salvação – o sacrifício vicário de Cristo já havia sido o suficiente para torna-los salvos, e aptos para serem reconhecidos como verdadeiros cidadãos do céu.

3) DIFERENTE DE TODOS OS DEMAIS ATOS DE DEUS, O BATISMO NO ESPÍRITO SANTO ACONTECEU NO DIA DE PENTECOSTES 


Para os que estavam em oração, esperando em inteira vigilância.
Não confundir o fogo do qual falou João Batista em Mateus 3:11, com o fogo do inferno! Pelo amor de Deus!
Na velha aliança, Davi, Isaías, Ezequiel, Moisés, Daniel e muitíssimos outros eram homens cheios do Espírito Santo – Cheios, mas, não batizados...! O Batismo, foi em Jerusalém, no dia de Pentecostes.
Jesus continua a não somente batizar, como também assoprar o Seu Santo Espírito sobre Sua Igreja, promovendo vida abundante. 

a) Mas, quantos isolados;
b) Encapuzados;
c) Enclausurados; 
d) Com capa de isolamento;
e) Incredulidade;
f) Insensibilidade.
 
Mesmo muitos anos depois do dia de Pentecostes, conforme aconteceu na passagem do apóstolo Paulo em Éfeso, ali havia alguns crentes que nem sequer sabiam que havia Espírito Santo, veja o que nos diz a Palavra de Deus em (Atos 19:1-6)... Veja bem: Esses crentes, já estavam salvos, tanto que eram batizados nas águas.

4) EM SAMARIA NÃO FOI DIFERENTE

Os Samaritanos deram crédito à pregação de Filipe que por força da providência, desce à cidade deles.
(Atos 8:5-6vv).
 
5) NA CASA DE CORNÉLIO
 
"E, dizendo Pedro ainda estas palavras, caiu o Espírito Santo sobre todos os que ouviam a palavra. E os fiéis que eram da circuncisão, todos quantos tinham vindo com Pedro, maravilharam-se de que o dom do Espírito Santo se derramasse também sobre os gentios. Porque os ouviam falar em línguas e magnificar a Deus. Respondeu, então, Pedro: Pode alguém, porventura, recusar a água, para que não sejam batizados estes que também receberam, como nós, o Espírito Santo? E mandou que fossem batizados em nome do Senhor. Então, rogaram-lhe que ficasse com eles por alguns dias." (Atos 10:44-48).

Mediante a pregação de Pedro, o Espírito Santo realizou o ministério da regeneração na vida deles e no mesmo momento foram batizados no Espírito Santo, com a evidência de falar em línguas estranhas.

Pr. Jorge Albertacci
17/04/2014 – das 21h30 às 23h00
 

___________


 
XXXVIII
 
A VINDA DO FILHO DO HOMEM
 
 Mateus 24:29-31

Jesus disse: — Depois daqueles dias de sofrimento, o sol ficará escuro, e a lua não brilhará mais. As estrelas cairão do céu, e os poderes do espaço serão abalados. Então o sinal do Filho do Homem aparecerá no céu. Todos os povos da terra chorarão e verão o Filho do Homem descendo nas nuvens, com poder e grande glória. A grande trombeta tocará, e ele mandará os seus anjos para os quatro cantos da terra. E os anjos reunirão os escolhidos de Deus de um lado do mundo até o outro.

Pr. Jorge Albertacci

___________


 
XXXIX
 
O AVIVAMENTO DA RUA AZUSA EM LOS ANGELES

Pr. Jorge Albertacci - (The move of God at Azusa Street)
 
Não sei se com o propósito de mandar uma segunda, ou terceira bênção, como dizem as denominações históricas, Deus levanta, William J. Seymour que foi evangelista no Mississipi e pastoreou uma Congregação da Santidade em Houston, Texas, antes de chegar a Los Angeles, em princípio de 1906, para dirigir uma Congregação afro-americana liderada por Julia W. Hutchins. Durante o tempo em que Seymour esteve no Mississipi, foi influenciado por pessoas que haviam estado sob o ministério de Charles Parham, ministro branco em Topeka, Kansas.
 
Parham começou a Escola Bíblica onde ele e seus alunos, começando por Agnes M. Ozman, foram batizados no Espírito Santo e falaram em outras línguas.
 
Por aceitar o batismo no Espírito Santo com a evidência de falar em outras línguas e por ensinar a doutrina Pentecostal, Seymour provocou a ira de alguns membros da Congregação. Expulso da igreja numa noite de Abril, foi muito bem recebido na casa de alguns crentes, onde começou fazer reuniões.
 
Em 9 de Abril Seymour orou pela cura do Irmão Eduard Lee, que além de ser curado, Lee também falou em outras línguas, e passou a testemunhar aos outros a experiência.  Mais tarde, naquele mesmo dia, outras 7 pessoas foram batizadas no Espírito Santo e igualmente falaram em outras línguas.
 
Em 12 de Abril de 1906, o próprio Seymour experimentou o batismo que pregava. As reuniões cresceram tanto na casa do senhor Lee, que no fim do mês de Abril, o edifício que podia acomodar cerca de 750 pessoas já se encontrava pronto para as reuniões!
 
Em questão de dias, o mover do Espírito atraiu pessoas do mundo inteiro. Em 18 de Abril de 1906 o Daily Times, Jornal de Los Angeles, publicou uma reportagem de primeira página sobre o avivamento.
 
Durante quase mil dias, dezenas de milhares de pessoas de todas as partes do globo visitaram a Rua Asuza e foram tocadas pelo derramamento abrasador do Espírito Santo. Esse movimento é considerado por muitos como a tocha que acendeu a fogueira mundial do Pentecostes no século XX. Vale ressaltar que todo esse movimento em Los Angeles, aconteceu dentro de um mês.  Prosseguindo nos anos subsequentes com o mesmo entusiasmo.
 
A teologia Pentecostal teve grande ênfase no século XIX, com líderes tão importantes como Charles Finney, R. A. Torrey, A. J. Gordon, e muitos outros que apregoavam a capacitação de poder pelo Espírito, a cura divina e a iminente volta de Cristo, para arrebatar a Sua Igreja. Esses fluxos de santidade levaram a uma ênfase quadrangular:
 
Cristo, o que salva; 
Cristo, o que cura; 
Cristo, o que batiza no Espírito Santo; 
Cristo, o Rei que vem.
 
Esses temas bíblicos foram desenvolvidos no boletim Fé Apostólica, e publicado por W. J. Seymour. Esses extraordinários periódicos cobriram os dois primeiros anos do avivamento, de Setembro de 1906 a maio de 1908, e são encontrados na íntegra, (90 devocionais) no Livro O Avivamento da Rua Azusa - da CPAD - Casa Publicadora das Assembleias de Deus.
 
O REAVIVAMENTO NO BRASIL COMEÇOU COM AS ASSEMBLÉIAS DE DEUS
 
No início do século XX, apesar da presença de imigrantes alemães e suíços de origem protestante e do valoroso trabalho de missionários de igrejas evangélicas tradicionais, nosso país era quase que totalmente católico. A origem das Assembléias de Deus no Brasil está no fogo do reavivamento que varreu o mundo por volta de 1900, início do século 20, especialmente na América do Norte.Os participantes desse reavivamento ficaram cheios do Espírito Santo da mesma forma que os discípulos e os seguidores de Jesus durante a Festa Judaica do Pentecostes, no início da Igreja Primitiva (Atos 2). Assim eles foram chamados de "pentecostais".
 
Exatamente como os crentes que estavam no Cenáculo, os precursores do reavivamento do século 20 falaram em línguas quando receberam o batismo no Espírito Santo. Outras manifestações sobrenaturais tais como profecia, interpretação de línguas, conversões e curas também aconteceram (Atos 2).
 
Quando Daniel Berg e Gunnar Vingren chegaram a Belém do Pará, em 19 de novembro de 1910, ninguém poderia imaginar que aqueles dois jovens suecos estavam para iniciar um movimento que alteraria profundamente o perfil religioso e até social do Brasil por meio da pregação de Jesus Cristo como o único e suficiente Salvador da humanidade e a atualidade do Batismo no Espírito Santo e dos dons espirituais.
 
As igrejas existentes na época - Batista de Belém, Presbiteriana, Anglicana e Metodista, ficaram bastante incomodadas com a nova doutrina dos missionários, principalmente por causa de alguns irmãos que se mostravam abertos ao ensino pentecostal. A irmã Celina de Albuquerque, na madrugada do dia 18 de junho de 1911 foi a primeira crente a receber o batismo no Espírito Santo, o que não demorou a ocorrer também com outros irmãos.
O clima ficou tenso naquela comunidade, pois um número cada vez maior de membros curiosos visitava a residência de Berg e Vingren, onde realizavam reuniões de oração. Resultado: eles e mais dezenove irmãos acabaram sendo expulsos da Igreja Batista. Convictos e resolvidos a se organizar, fundaram a Missão de Fé Apostólica em 18 de junho de 1911, que mais tarde, em 1918, ficou conhecida como Assembleia de Deus.
Em poucas décadas, a Assembleia de Deus, a partir de Belém do Pará, onde nasceu, começou a penetrar em todas as vilas e cidades até alcançar os grandes centros urbanos como São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Porto Alegre. Em virtude de seu fenomenal crescimento, os pentecostais começaram a fazer diferença no cenário religioso brasileiro. De repente, o clero católico despertou para uma possibilidade jamais imaginada: o Brasil poderia vir a tornar-se, no futuro, uma nação protestante.
 
DEFINIÇÃO DA PALAVRA PENTECOSTES
 
O termo Pentecostes, vem dos "cinquenta dias" a partir da oferta do feixe de cevada no início da páscoa; o quinquagésimo dia era a Festa de Pentecostes (Levítico 23:16). Uma vez que o tempo decorrido era de sete semanas, 7 X 7 = 49 + 1 = 50, era também chamada de Festa das Semanas (Deuteronômio 16:10). Marcava o final da colheita da cevada. Tinha de ser um dia santo, em que se faziam ofertas de pão e sacrifícios de animais (Levítico 23:17-25), um dia de alegria e Ação de Graças que lembrava o livramento do Egito (Deuteronômio 16:12). Pentecostes, do original grego define: "Quinquagésimo" ou "Cinquenta" A segunda das três grandes festas anuais, essas festas estão assim descriminadas: (1ª Festa da Páscoa, 2ª Festa das Primícias ou Pentecostes e 3ª Festa dos Tabernáculos) a que devia comparecer todo o povo de Deus. Chamada de Pentecostes porque era observada no quinquagésimo dia depois do segundo dia de Páscoa. Como já mencionei, conhecida também como festa das semanas, porque observada sete semanas depois da Páscoa, (Deuteronômio 16:9).

Também se denomina a festa das primícias (Êxodo 23:16; Números 28:26). Na festa do Pentecostes toda a colheita foi dedicada a Deus, quem a dera. Durou somente um dia e foi observada no dia 6 do mês de sivã, na última parte de Maio.

Menciona-se em Atos 2:1; Atos 20:16; 1Coríntios 16:8. A promessa do derramamento do Espírito Santo prometida por Deus em Joel 2:28-32; Mateus 3:11; Marcos 1:8; Marcos 16:17; Lucas 3:16; Lucas 24:49; João 1:33; João 16:7-14; João 7:37-39; Atos 1:5, e bem como em outras passagens bíblicas, veio cumprir exatamente no dia da Festa de PENTECOSTES, Atos 2:1-4, e confirmado em Atos 19:1-6.

Partindo do princípio acima exposto, todos os crentes que aceitam a doutrina do derramamento do Espírito Santo (batismo no Espírito Santo) que é uma promessa para todos quantos crêem conforme atos 2:39; Atos 19:1-6 e que crê nos DONS ESPIRITUAIS, conforme exarado em Primeira aos Coríntios capítulos 12, 13 e 14, são chamados de CRENTES PENTENCOSTAIS. Aí está a definição da palavra PENTECOSTAL.
 
BIBLIOGRAFIA

Bíblia Sagrada - RC/RA - SBB 
Bíblia de Estudo Genebra - RA - SBB;
Editora Cultura Cristã/SBB - Bíblia Shedd; 
Bíblia - Corrigida - 2.01 - SBB; 
Compromisso - Revista de Adulto Cristão - 1º Trimestre 2001 - JUERP;
Notas e Comentários à Harmonia dos Evangelhos - Egidio Gioia - JUERP; 
Doutrina Bíblica da Igreja - Glendon Grober - JUERP; 
Pontos Salientes - 1988 - JUERP; 
Manual da Igreja e do Obreiro - Ebenézer Soares Ferreira - JUERP; Obreiro - Pr. Antonio Gilberto - CPAD; 
Nos Domínios do Espírito - Estêvao Ângelo de Souza - CPAD; 
Pequena Enciclopédia Bíblica - O. S. Boyer - CPAD; 
As Assembleias de Deus no Brasil - CPAD;
O Avivamento da Rua Azusa Devocional - Seymour - CPAD;
Enciclopédia de Bíblia - Teologia e Filosofia - R. N. Champlim, Ph, D. J. M. Bentes - Vl. I; 
Candeia O Novo Testamento Interpretado Versículo por Versículo - Vl. IV Milenium.

Por: Pastor Jorge Albertacci 
Jubilado da Assembléia de Deus em Volta Redonda - Rio de Janeiro.

Parte do meu artigo, contido meu Blog:http://pastorjorgealbertacci.blogspot.com - sobre o Batismo no Espírito Santo para o Pastor Jorge Albertacci - Volta Redonda – Rio de Janeiro
 
___________


 
XL
 
NOSSA SALVAÇÃO

Esta é a pergunta que Deus “faz” através do Profeta Isaías: - Quem deu crédito à nossa pregação? E a quem se manifestou o braço do SENHOR?

Jesus no cumprimento do Seu ministério, enfatiza, de forma a usar praticamente uma interjeição: - Porque Deus amou o mundo “DE TAL” maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.

Paulo em uma declaração a Tito, reitera: - Porque a graça de Deus se há manifestado, trazendo salvação a todos os homens. Como não poderia ser diferente, os hebreus foram “encurralados” com esta pergunta: - como escaparemos nós, se não atentarmos para uma tão grande salvação, a qual, começando a ser anunciada pelo Senhor, foi-nos, depois, confirmada pelos que a ouviram?

Jesus falando Dele mesmo, dá uma resposta incisiva ao homem pecador: - quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus.

Finalmente, a condenação é esta: Que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque as suas obras eram más.   (Jo 3:16, 3:18-19 ; Tt 2:11; Hb 2:3; Is 53:1 - GRIFO NOSSO) Aos nove minutos do dia 18 de abril de 2014
 
___________


 
XLI

O CRENTE COMO CIDADÃO DO CÉU

A Bíblia ensina que a Igreja está aguardando ansiosamente a sua transladação para a sua pátria celestial (Fp 3:20-21; Jo 17:16), e classifica esta expectativa como a “bem aventurada esperança” (Tt 2:12:13). Na qualidade de cidadão do céu, devemos viver de tal maneira a não causar escândalo nem aos gentios, nem aos judeus, nem à Igreja de Deus (1Co 10:32). Devemos nos portar com dignidade diante de todos.
 
___________


XLII
 
A IGREJA DO DEUS VIVO
 
"Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que por tradição recebestes dos vossos pais. Mas com o precioso sangue de Cristo, como de um Cordeiro Imaculado e incontaminado. O qual na verdade em outro tempo foi conhecido ainda antes da fundação do mundo mas manifestado nestes últimos tempos por amor de vós.”

A entidade de suprema importância que existe neste mundo é a Igreja do Senhor Jesus Cristo. Pode haver muitas outras instituições boas, mas nada se equipara em importância a Igreja.

Ela é a Igreja do Deus vivo, a coluna e esteio da verdade. Ela é amada, prezada e nutrida por Jesus Cristo, que a Si mesmo se entregou por ela.

Ela é a reunião dos salvos, chamados do mundo para uma vida em que tudo se faz novo. Ela tem uma séria e, sublime missão, qual seja a de proclamar ao mundo as grandezas de Deus, a mensagem de Jesus Cristo, o dom do Espírito Santo.
 
___________


 
XLIII

 
TOMEMOS ISTO POR LIÇÃO
 
A mais importante experiência que uma pessoa pode adquirir neste mundo é a experiência de que em tudo sua vida depende de Deus. Tanto no lado espiritual como no material. Todo mortal está subordinado a Deus em todos os aspectos, tanto na vida como na morte. Jesus Cristo, nosso Senhor, está no comando de todas as coisas, no Céu, na terra e no inferno. Nem sempre as coisas que pretendemos estão em conformidade com os Seus desígnios. Nem sempre o que pleiteamos é o que necessitamos. Logo, nosso dever é voltar a orar, orar e orar, e concordar que em todas as coisas a prevalência está sujeita à vontade do Senhor.

Às vezes oramos, pedimos, clamamos e até mesmo choramos, mas, não contamos com a resposta. Neste caso, devemos tomar por lição as palavras de Tiago 4:3 "Pedis e não recebeis, porque pedis mal."

Temos que entender ainda que o brocardo jurídico: vox populi, vox Dei, só reflete a verdade quando dito ao contrário: vox populi, vox populi - vox Dei, vox Dei.

Ao homem de bom senso cabe se esforçar para alcançar sua meta, mas, quando esta não é atingida é porque Deus não quis assim. Toda reclamação inconsequente, pode sim, caracterizar insubordinação à vontade de Deus. A ira provoca nas pessoas uma reação egoísta de se autodefender de tudo e de todos. A ira não provém de Deus, notemos que ela aparece entre os aspectos da obra da carne: Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, prostituição, impureza, lascívia, Idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, Invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus (Gálatas 5:19-21).

Quantas vezes nosso travesseiro recolheu nossas lágrimas? Lágrimas que só nós mesmos e Deus as conheceu. E quantas vezes já choramos até mesmo sem motivo? Por quantas vezes nossos joelhos ficaram marcados por conta daqueles momentos em que nos encontramos em nosso quarto clamando por um socorro, e que esse socorro somente chegou quando não esperávamos mais. Mas, só assim que entendemos a vontade de Deus, quando compreendemos que o socorro chegou na hora certa.

Se não aproveitarmos o máximo que pudermos o tempo da nossa intrepidez, podemos ser surpreendidos quando a noite do cansaço e do desânimo chegar.

"Perturbai-vos e não pequeis; falai com o vosso coração sobre a vossa cama, e calai-vos."  (Salmo 4:4)

Pastor Jorge Albertacci
Volta Redonda/RJ - 30/10/2014
 
___________


 
XLIV
 
LIÇÕES BÍBLICAS CPAD

JOVENS  - 2º Trimestre de 2017 - Título: O Sermão do Monte — A justiça sob a ótica de Jesus - Comentarista: César Moisés Carvalho. 

Lição 3: A Lei e a Justiça no Reino

Data: 16 de Abril de 2017.
 
TEXTO DO DIA

Porque o fim da lei é Cristo para justiça de todo aquele que crê” (Rm 10.4).
 
SÍNTESE

A postura de Jesus em relação à Lei ensina-nos como deve ser o comportamento de todo aquele que se tornou seu discípulo.
 
AGENDA DE LEITURA
 
SEGUNDA — Lc 16.17
A Lei cumprida integralmente
 
TERÇA — Mt 11.13; Lc 16.16
A duração da Lei
 
QUARTA — Rm 13.10
O cumprimento da Lei
 
QUINTA — Rm 13.8
Quem ama, cumpriu a Lei
 
SEXTA — Rm 14.17
O que o Reino de Deus não é
 
SÁBADO — Rm 13.5
Obedecer pela consciência
 
OBJETIVOS

Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:
·   ESCLARECER a validade atribuída por Jesus à Lei e a consideração que Ele tinha por ela;
·   SUBLINHAR a perspectiva de Cristo acerca da Lei e do exercício do ensino;
·   DISTINGUIR as três justiças que são abordadas pelo Mestre no Sermão do Monte.
 
INTERAÇÃO

Com propriedade já foi dito que saímos de uma época em que “tudo era pecado” e adentramos outra, bem pior, onde “nada é pecado”. Não obstante, tais extremismos serem exemplificados pelo binômio “Lei X Graça”, tal divisão não procede da Bíblia, e sim de uma banalização de ambos os conceitos. Somos habituados aos extremos, por isso, acabamos não entendendo que a Lei não servia para proporcionar salvação, mas para proteger a própria pessoa, de si e dos outros, normatizando a vida em sociedade, pois isto também agrada a Deus. De igual forma, com o primeiro advento de Cristo, não houve uma abertura permissiva como se vê agora, pelo fato de a salvação não ser mérito pessoal de ninguém, pudéssemos fazer o que bem entendemos. Quem foi alcançado pela graça de Deus sente-se constrangido a fazer as coisas certas, não para alcançar a salvação, mas justamente por ser salvo. No que se refere à postura de Jesus a respeito da Lei, não há nenhuma contradição, pois a legislação mosaica, por não ter sido integralmente cumprida por nenhum ser humano, receberia do Filho de Deus sua completude e acabamento, daí porque Ele afirmar que não veio para aboli-la, e sim cumpri-la.
 
ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA

Na aula de hoje você terá oportunidade de abordar, no Tópico III, a importante questão dos três tipos de justiça ensinados no Sermão do Monte. A audiência de Jesus é composta por, no mínimo, três públicos distintos. É interessante que tal distinção seja feita, pois muita confusão ocorre por causa da falta de entendimento desta realidade. Uma vez que a “justiça do Reino” vai além das outras duas, é importante perguntar: A diferença é quantitativa ou qualitativa? Após esta inquirição inicial, apresente o quadro abaixo (de acordo com as suas possibilidades) e deixe bem claro as diferenças de abordagem do texto bíblico, dizendo que nas lições seguintes serão realizados os devidos desdobramentos.
 
TEXTO BÍBLICO
 
Mateus 5.17-20.
17 — Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas; não vim ab-rogar, mas cumprir.
18 — Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til se omitirá da lei sem que tudo seja cumprido.
19 — Qualquer, pois, que violar um destes menores mandamentos e assim ensinar aos homens será chamado o menor no Reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no Reino dos céus.
20 — Porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no Reino dos céus.
 
COMENTÁRIO DA LIÇÃO
 
INTRODUÇÃO

Muitos comentaristas e estudiosos da Bíblia afirmam que os quatro versículos do texto bíblico acima são os principais do Sermão do Monte, pois revelam a finalidade do ensinamento do Mestre. É importante observar que Jesus não desconsidera a Lei, mas afirma que veio completá-la. Ele ainda adverte para os perigos de se violar os mandamentos e ensiná-los de forma deturpada, mas também fala da honra de cumpri-los e ensiná-los corretamente. Ao final resta-nos, como discípulos dEle, o desafio de viver instruídos sob outra perspectiva, distinta da legalista e burocrática da religião. Na verdade, o desafio é assumir a perspectiva do Mestre que, disse Ele claramente, não veio fazer a sua vontade, mas a do Pai que o enviou (Jo 5.30).
 
I. JESUS E SUA RELAÇÃO COM A LEI
 
1. Abolição ou completude da Lei. À crítica infundada dos mestres de Israel de que Jesus desfazia da Lei, o Filho de Deus respondeu que não veio abolir a Lei ou os Profetas, ou seja, desfazer esses textos e seus ensinamentos, antes, uma parte de sua missão era justamente completá-la (v.17 cf. Rm 10.4). “Completar” aqui nada tem com reparar, antes significa dar-lhe pleno cumprimento.
 
2. A validade da Lei. A afirmação do versículo 18 deve ser lida tendo em mente que o Mestre utilizava figuras de linguagem, entre elas a hipérbole, que consistia em exagerar na expressão de uma ideia para demonstrar o seu valor (Mt 19.24-26). Assim, o Mestre refere-se à passagem do céu e da Terra, bem como ao conteúdo da Lei, mencionando o jota, isto é, o yod que é a menor letra do alfabeto hebraico, e fala de um “til” que, no contexto do versículo, alude a um tracinho que, para nós, seria como uma vírgula; tudo para expressar o seu respeito pela Lei e também o quanto ela falava dEle (Lc 24.44).
 
3. Jesus e o cumprimento da Lei. É importante perceber que nos versículos 17 e 18, Jesus está falando de sua relação com a Lei. Dessa forma, Ele assinala que até mesmo o “céu e a terra passarão, mas [as suas] palavras não hão de passar” (Mt 24.35). Em outros termos, até que tudo que a Lei requer idealmente não tenha encontrado a sua plenitude definitiva, nada de escatológico acontecerá, nenhuma “transformação” deve ser esperada na Terra e muito menos no céu.

Pense!
De que forma o Senhor Jesus “completou” a Lei?
 
Ponto Importante
Tendo Jesus Cristo cumprido toda a Lei, resta-nos saber qual deve ser o nosso relacionamento com ela.
 
II. ENSINO E RECONHECIMENTO
 
1. A Lei na perspectiva de Cristo. No versículo 19, o Mestre antecipa a responsabilidade que cada discípulo deve ter no que diz respeito à ressignificação que Ele dará à Lei. Todos os “mandamentos” a que o Senhor se referiu deverão ser observados a exemplo dos grandes princípios que Ele extraiu de cinco dos mandamentos, demonstrando com isso que obedecer a Deus vai muito além da observância mecânica de regras (vv.21-48).
 
2. “Maior” e “menor” no Reino. O Senhor utiliza uma linguagem corrente entre os discípulos para despertar a atenção (Mt 18.1-4; Mc 9.33,34; Lc 9.46). Comparando esse texto com os ensinamentos do Mestre em outras oportunidades, é perceptível que Ele não apoia qualquer tipo de disputa que resulte em distinção entre as pessoas (Jo 17.20.23).
 
3. O ensino no contexto do Sermão do Monte. A ideia de que o ensino pode ser meramente teórico e sem implicações práticas na vida das pessoas parece estranha na perspectiva e no contexto do Sermão do Monte. O Mestre fala de pessoas que “violam”, ou transgridem, e ensinam os outros a fazer o mesmo através de sua prática e também da teoria. De igual forma, Ele destaca a posição dos que praticam corretamente e assim também instruem os outros a fazer o mesmo (v.19).

Pense!
O que você acha de alguém que ensina corretamente e age de maneira errada? E vice-versa?
 
Ponto Importante
É imprescindível entender que Jesus utiliza figuras de linguagem e lança mão de expressões e costumes de sua época para ensinar grandes lições.
 
III. A JUSTIÇA NA PERSPECTIVA DO REINO
 
1. O ensino fundamental do Sermão do Monte. A expressão “justiça”, utilizada por Jesus no versículo 20, só pode ser plenamente entendida à luz dos princípios que serão expostos na sequência (vv.21-48). Entretanto, fica subentendido que ela significa algo como a motivação íntima que orienta cada um a fazer aquilo que é certo ou que se julga correto. A mesma expressão, e com o mesmo significado, pode ser encontrada em outras partes desse mesmo Evangelho (Mt 3.15; 5.6,10; 6.33; 21.32).
 
2. Ultrapassando a “justiça farisaica”. A justiça dos discípulos deve ultrapassar a dos escribas e fariseus, ou seja, eles devem ter motivos mais nobres para observar os princípios, ou mandamentos, da Palavra de Deus. A motivação para se viver corretamente não pode vir de qualquer desejo de ser premiado e nem por medo algum de ser punido. Tampouco a referência de Jesus diz respeito à quantidade, antes, tem a ver com o aspecto qualitativo com que se obedece, isto é, com a disposição correta do coração (cf. Mt 7.15-23).
 
3. Três tipos de justiça: teológica, “piedosa” e do Reino. Apesar de parecer estar em pé de igualdade, escribas e fariseus são dois grupos distintos: os primeiros são os “teólogos” da época, intérpretes autorizados da Lei; ao passo que os segundos, são leigos piedosos, provenientes de todas as camadas sociais. Assim, para ambos os grupos há diferentes espécies de “justiça”. A dos escribas será contrastada nos versículos 21 a 48. Já a dos fariseus será objeto de análise do Mestre no capítulo 6, versículos 1 a 18. Finalmente, o último tipo de justiça, a do Reino, e, portanto, dos discípulos, vai do capítulo 6, versículo 19 até o capítulo 7, versículo 27.
 
Pense!
É possível agir corretamente mesmo que as motivações sejam erradas?
 
Ponto Importante
O discípulo, ou cidadão do Reino, não pode viver instruído por motivações de prêmio ou de castigo.
 
 CONCLUSÃO
 
Mateus revela Jesus como Mestre da Palavra e da ação. Enquanto no Sermão do Monte Jesus é o ensinador da Palavra, nos capítulos seguintes Ele aparece curando e libertando pessoas. Além disso, o Mestre cumpriu a “justiça” tal como ensinava os seus seguidores a cumprir (Mt 3.15), deixando um grande exemplo de harmonia e coerência entre discurso e ação (Lc 24.19).
 
ESTANTE DO PROFESSOR
 
ROBERTSON, A. T. Comentário Mateus & Marcos. 1ª Edição. RJ: CPAD, 2011.
 
HORA DA REVISÃO
 
1. O que Jesus quis dizer quando falou que veio “cumprir a Lei”?
Ele veio completá-la, isto é, dar-lhe pleno cumprimento.
 
2. Por que o Mestre utiliza as expressões “maior” e “menor”?
Para despertar a atenção dos discípulos cuja linguagem corrente era esta.
 
3. O que significa justiça no contexto do Sermão do Monte?
Significa algo como a motivação íntima que orienta cada um a fazer aquilo que é certo ou que se julga correto.
 
4. Qual deve ser a motivação para se fazer o que é certo e agir corretamente?
A motivação para se viver corretamente não pode vir de qualquer desejo de ser premiado e nem por medo algum de ser punido.
 
5. Jesus falou de justiça na perspectiva do Reino, porque havia outros tipos. Cite os três tipos de justiça.
A dos escribas, a dos fariseus e a do Reino.
 
SUBSÍDIO I
 
“Jesus É o Cumprimento da Lei (5.17-48)

Os oponentes de Jesus o criticavam por não guardar as minúcias das observâncias tradicionais da lei judaica. Aqui Jesus deixa claro que Ele não está ausente para destruir a lei, mas para cumpri-la e até intensificá-la. Ele fixa padrões mais altos. Seu principal interesse é a razão de a lei existir; Ele insiste que guardar a lei começa com a atitude do coração. Por este princípio Jesus afirma simultaneamente o valor das pessoas e da lei. Neste aspecto Ele cumpre a lei antecipada por Jeremias: ‘Porei a minha lei no seu interior e a escreverei no seu coração; e eu serei o seu Deus, e eles serão o meu povo’ (Jr 31.33b).

Como sucessor de Moisés, Jesus dá a palavra final na lei. Mas o que Ele quer dizer quando fala que cumpre a lei? Não significa que Ele simplesmente a observa. Nem quer dizer que Ele anulou o Antigo Testamento e as leis (como sugerido por Márcion e os hereges gnósticos). A obra de Jesus e sua Igreja está firmemente arraigada na história de salvação. Em certo sentido, Jesus deu à lei uma expressão mais plena, e em outro, transcendeu a lei, visto que Ele se tornou a corporificação do seu cumprimento. Mateus vê o cumprimento da lei em Jesus semelhantemente ao cumprimento da profecia do Antigo Testamento: O novo é como o velho, mas o novo é maior que o velho. Não só o novo cumpre o velho, mas o transcende. Jesus e a lei do novo Reino são o intento, destino e meta final da lei” (ARRINGTON, French L.; STRONSTAD, Roger (Eds.). Comentário Bíblico Pentecostal: Novo Testamento. 2ª Edição. RJ: CPAD, 2004, p.44).
 
SUBSÍDIO II
 
“O Princípio Básico (5.17-20)

Note o fraseado enfático de Jesus em não abolir a lei (Mt 5.18). A expressão ‘em verdade vos digo que’ aparece no começo das declarações mais enfáticas de Jesus. Esta palavra grega (amen) é a transliteração para o grego da palavra hebraica que Jesus falou, e é linguagem cristã especializada, denotando afirmação sagrada. Jesus assevera que nem um jota, a menor letra, nem uma serifa ou adorno numa letra, de nenhuma maneira passará até que tudo se cumpra.

Parece que a maneira na qual Jesus cumpre a lei varia de acordo com o tipo da lei. Muitas leis rituais foram completadas no sacrifício de Jesus (cf. a carta aos Hebreus) e então já não precisam ser observadas. O próprio Jesus considerou as leis dietéticas cumpridas, uma vez que a corrupção vem do coração (Mc 7.18,19; At 10.10-16; Gl 2.11-14). Outras leis são cumpridas na reinterpretação e reaplicação de Jesus no espírito de uma lei internalizada profundamente sentida, como ocorre nas interpretações revolucionárias que Ele dá da antiga lei apresentada nas seções seguintes de Mateus 5.

A pressuposição de que Jesus estava perpetuando o mero legalismo e elevando o lance legalista evapora-se no calor da advertência de Jesus encontrada no versículo 20: ‘Porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrarei no Reino dos céus’. A questão era a qualidade e fim da lei, e não sua quantidade” (ARRINGTON, French L.; STRONSTAD, Roger (Eds.). Comentário Bíblico Pentecostal: Novo Testamento. 2ª Edição. RJ: CPAD, 2004, pp.44-45). www.estudantesdabiblia.com.br
 
Pr. Jorge Albertacci
___________


 
XLV
 
 
O Falar de Deus
 
Hebreus 1:1-2
 Texto

“Havendo Deus, antigamente, falado, muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, a nós falou-nos, nestes últimos dias, pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de tudo, por quem fez também o mundo.”
 
INTRODUÇÃO
 
Portanto devemos evitar o que nos impede ouvir e entender a voz do Senhor. Às vezes é necessário que paremos um pouco, que fiquemos em silêncio, para que Deus possa falar livremente conosco. Deus é acessível a todos quantos os que vivem segundo às normas estatuídas na Sua Palavra Escrita, a Bíblia.

Se a mente ficar confusa e insistindo: será que foi Deus mesmo quem falou? Pode ficar tranquilo, porque não foi mesmo. Nosso Deus não é Deus de confusão, mas, sim, Deus de paz (1 Coríntios 14.33), Deus de amor, Deus de maravilhas. Ele é o Deus que nos coforta.
  
COMENTÁRIO
 
É extremamente necessário ser sensível ao falar de Deus. De nada adianta ouvir Deus falar, ficar alegre por uns instantes e em seguida tudo continuar a mesma coisa. E isto tem acontecido com muita frequência nestes últimos dias, em decorrência dos efeitos da incredulidade e da falta de firmeza das pessoas.
 
Não nos custa nada sermos obedientes à voz celestial. Até mesmo porque a maior expressão de Deus começou a ressoar a partir do Gênesis 3:15. O mais importante também é que Ele nunca deixou de falar com os Seus; inclusive no Período Interbíblico.
 
Pior, é quando o indivíduo busca por todos os cantos ouvir Deus falar e quando ouve entra em confusão. Daí a inconsequente pergunta: Pastor, foi Deus? Não há outra resposta a não ser: Não estou sabendo não. Mas, Ele não revelou para o senhor, pastor? Sem o uso de meias-palavras minha resposta sempre foi: Não! Procure se inteirar melhor com Ele. Mas, pastor, eu passei esta noite no monte - estou em jejum até agora, que já são quinze horas, e nada! Aí sim, aí eu posso responder: Então agora faça diferente: Almoce, não muito, passe umas duas horas, depois pega uma vasilha com água ou suco de laranja, e desaparece para dentro do teu quarto, tranque a porta e lá converse com Ele que com certeza a resposta virá.
Deus nunca foi e nem será Deus de confusão. Satanás sim, este é.
 
Para ouvir a voz de Deus é necessário que busquemos Nele e somente Nele. É necessário estarmos em comunhão com os irmãos e atento ao que o Espírito Santo revela através da palavra pastoral. Daquele a quem Deus confiou o rebanho.
 
Como pastor de gado bovino, na minha adolescência, eu observava o comportamento de cada animal. Aqueles que pastavam sossegados, satisfeitos com o pasto para onde havíamos levado, comiam do melhor – as vacas produziam mais leite, os bezerros desenvolviam mais no seu crescimento.
 
Do outro lado havia os que davam uma bocada aqui, saia andando para dar outra lá longe. Enquanto que outros enfiavam a cabeça entre o arame farpado para tentar comer o que estava do outro lado da cerca, nesses era colocada uma forquilha no pescoço para que eles não pastassem o que não nos pertencia.
 
Muitos deles, quando menos esperavam se enrolavam com uma caixa de marimbondos e só lhes restava pôr a calda nas costas e desesperados, saírem saltando enquanto os marimbondos lhes ferroavam.
 
CONCLUSÃO
 
Esse fato retrata o crente que não se satisfaz com o alimento que é servido para o rebanho do qual faz parte.
 
Busca em todos os cantos, mas, nunca se satisfaz. Em cada lugar, uma caixa de marimbondos – uma comida imprópria, água contaminada. Intoxicação alimentar e perturbação mental tem sido os males desses imprudentes.
 
Quando me refiro à perturbação mental é porque tive esta experiência também: Quando uma mãe, buscava ouvir Deus falar em todos os cantos. E sempre ela levava consigo seu filho adolescente, que ouvia muitas coisas esquisitas. Chegou ao ponto desse adolescente ficar doente e internado em uma clínica psiquiátrica. Ao abordar o médico para saber qual era o diagnóstico do seu filho, teve a resposta: Seu filho sofre de psicose de crente.
 
Fique irmão no lugar em que Deus te colocou. Se você não entender a Sua voz onde Ele escolheu para você o servi-lO, com certeza não entenderá em lugar nenhum. Se você é realmente um instrumento em Suas mãos, então você está no lugar onde Ele te colocou, você está onde Ele precisa de você.
 
À luz da Palavra, sempre foi assim e assim será até o fim, porque nosso Deus, não é deus de confusão.

Pr. Jorge Albertacci
 
___________


 
XLVI
 
AS CINCO MANEIRAS DE AFASTAR O SEU FILHO DA IGREJA

- Diante das menores dificuldades, tais como, indisposição, chuva, frio, cansaço, não vá aos cultos. Com isso seu filho vai crescer com a ideia de que frequentar as reuniões não é assim tão necessário.   "... e considerem-nos uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e às boas obras, não abandonando a nossa congregação, como é costume de alguns, antes admoestando-nos uns aos outros; e tanto mais, quanto vedes que se vai aproximando aquele dia. (Hebreus 10:24-25).

- Quando estiver à mesa ou reuniões da família, faça comentários ou críticas ao ensino do pastor ou líderes. Com isso seu filho crescerá não tendo respeito por eles, nem dando créditos aos seus ensinos.

"Ora, rogamo-vos, irmãos, que reconheçais os que trabalham entre vós, presidem sobre vós no Senhor e vos admoestam; e que os tenhais em grande estima e amor, por causa das suas obras. Tende paz entre vós" (1 Tessalonicenses 5:12,13).

- Cuide para que seu filho cresça num lar que não seja diferente de qualquer outro. Afinal que valor há em aplicar princípios da palavra de Deus a todos os aspectos da vida familiar?

"E estas palavras, que hoje te ordeno, estarão no teu coração; e as ensinarás a teus filhos, e delas falarás sentado em tua casa e andando pelo caminho, ao deitar-te e ao levantar-te. (Deuteronômio 6:6-7).


- Gaste diante da TV todo seu tempo que passa em casa, ao invés de separar parte dele para a leitura da Bíblia e oração. Basta apenas orar na hora das refeições. Com certeza seu filho aprenderá que, orar e estudar a palavra de Deus não tem nenhum valor para você.

"E o terá consigo, e nele lerá todos os dias da sua vida, para que aprenda a temer ao Senhor seu Deus, e a guardar todas as palavras desta lei, e estes estatutos, a fim de os cumprir..." (Deuteronômio 17:19).


- Comente à vontade sobre a vida dos outros membros da Igreja, depois ao encontrá-los na Igreja, apresse-se a cumprimentá-los com um largo sorriso. Com isso seu filho terá a impressão de que a vida cristã é pura hipocrisia; e assim ele desejará seguir o mesmo caminho.

"...que a ninguém infamem, nem sejam contenciosos, mas moderados, mostrando 
toda a mansidão para com todos os homens" (Tito 3:2).

Incentive seu filho a estar sempre participando das nossas reuniões para com isso vir a receber a palavra de Deus.


"Instrui o menino no caminho em que deve andar, e até quando envelhecer não se desviará dele" (Provérbios 22:6).
Tele-fé
___________


 
XLVII
 
O SACRIFÍCIO DO FILHO DE DEUS
 Lucas 23:33-47
 
1.Em Isaias 53 a morte de Cristo foi profetizada com muita clareza e descrita com realismo que parece de quem ao pé da cruz contemplara todo ato.
 
2.Estava predita desde a fundação do mundo – Ap 13:8.
 
3.Foi o meio escolhido por Deus para salvar o perdido: enviar Seu Único Filho para sofrer e morrer pelos nossos pecados.
 
4.Embora os Judeus e os gregos considerassem uma loucura – 1Co 1:23 – Para os crentes é o Poder de Deus – 1Co 18.
 
5.Ao estudarmos sobre o sacrifício do Calvário, entramos no lugar santíssimo do Evangelho do Senhor.
 
6.Era um costume entre os judeus apedrejar os condenados. A crucificação era uma prática romana.
 
7.A crucificação foi introduzida lá pelos romanos – Na Itália esse castigo era aplicado aos escravos e criminosos contra o estado. A crucificação era adotada também no Egito e Catargo.
 
8.Tanto que em Jerusalém não havia um lugar apropriado, a crucificação era praticada fora da cidade perto das portas.
 
9.O objetivo principal não era a morte do criminoso.
 
10.   Dois malfeitores sofreram a mesma pena em que Jesus fora submetido.
 
11.   Nas três cruzes estava representado todo universo moral.
 
12.   Na do meio a inocência.
 
13.   Na de um lado a culpa impenitente demonstrada.
 
14.   Na do outro lado o arrependimento, demonstrado pelo malfeitor.
 
Para o malfeitor que se arrependeu, reconhecendo o seu estado miserável – o momento mais importante da sua vida foi o da sua crucificação. Para ele a crucificação foi o principal motivo para sua salvação. É melhor estar crucificado com Cristo, do que vivendo segundo o curso deste mundo sem Ele. (Ef 2:1-3). É preferível estar no deserto com Cristo, do que na cidade sem Ele. (Mt 14:16; Mc 6:37; Lc 9:13).
 
Do outro lado, o ladrão impenitente evidenciou o quão cego é o homem que viveu segundo o deus deste século. (2 Coríntios 4:4).
 
Enumerando sete importantes razões para falar da cruz em: (www.luteranos.com.br).

1ª - Porque o ser humano, desde a queda no paraíso até a volta de Cristo, é pecador!

2ª - Porque nela está a solução para a culpa, oferecendo perdão; solução para a condenação, oferecendo salvação.

3ª - Porque nela vemos nossa indescritível miséria e a indescritível graça de Deus para conosco.

4ª - O Natal só aconteceu e só tem sentido por causa da cruz; Natal e Páscoa só tem sentido a partir da cruz!

5ª - Porque na cruz vemos o Deus que é justo juiz e também gracioso justificador de quem crê (Rm 5.26).

6ª - Para haver arrependimento diário e os novos frutos do Espírito Santo.

7ª - Para olharmos com realismo o próximo: Um pecador como nós; alguém por quem Cristo morreu, como fez também por nós!

___________


 
XLVIII
 
SEMPRE COM SUA ATENÇÃO VOLTADA PARA NÓS!

Desde o princípio, o desejo de Deus sempre foi o de comunicar com os Seus filhos o tempo todo. Ele visitava Adão no Éden, e ainda hoje visita-nos dia e noite.
 
Deus vem ao nosso encontro. Nunca deixa nenhum de Seus filhos esquecidos. Sabendo disto, é necessário que estejamos sempre prontos para recebê-lO. É muito comum buscarmos a Deus constantemente, mas, nem sempre nos preparamos para recebe-lO.
 
Esta falha do ser humano, começou com Adão, que ao ouvir o Senhor lhe chamando para a visita diária, percebeu que não estava preparado. Além de ter cometido pecado, ainda percebeu que estava nu. Tanto ele como sua esposa, Eva.
 
É muito normal nós nos prepararmos para tudo na vida, mas, dificilmente nos preparamos para receber o nosso Deus, não somente em nossas casas, mas, em nossos corações também.
 
Que Deus em Cristo, abençoe a todos os meus irmãos, para que estejam sempre preparados para receber a Jesus, que inclusive, está às portas para buscar os Seus no arrebatamento.

Pr. Jorge Albertacci Miss. Alcenir Albertacci

___________




 XLIX
 
 
 A CURA DO FILHO DE UM OFICIAL DO REI
João 4:46-54

Jesus voltou a Caná da Galileia, onde havia transformado água em vinho. Estava ali um alto funcionário público que morava em Cafarnaum. Ele tinha em casa um filho doente. Quando ouviu dizer que Jesus tinha vindo da Judeia para a Galileia, foi pedir a ele que fosse a Cafarnaum e curasse o seu filho, que estava morrendo. Jesus disse ao funcionário:
 
— Vocês só creem quando veem grandes milagres!
Ele respondeu:
 
— Senhor, venha depressa, antes que o meu filho morra!
— Volte para casa! O seu filho vai viver! — disse Jesus.
Ele creu nas palavras de Jesus e foi embora. No caminho encontrou-se com os seus empregados, que disseram:
 
— O seu filho está vivo!
Então ele perguntou a que horas o filho havia começado a melhorar. Os empregados responderam:
 
— Ontem, à uma da tarde, a febre passou.
Aí o pai lembrou que havia sido naquela mesma hora que Jesus tinha dito: “O seu filho vai viver.”  Então ele e toda a família creram em Jesus.
Esse foi o segundo milagre que Jesus fez depois de ter ido da Judeia para a Galileia.

Pr. Jorge Albertacci – MENSAGEM DA SOCIEDADE BÍBLICA 
___________


 
L
 
A IGREJA SÓ DISPÕE DE UM RECURSO: A PALAVRA DE DEUS
 
"Ouvi, Senhor, a tua Palavra"
(Habacuque 3:2)
 
A Palavra de Deus abundante, fluente, poderosa, revigorante e renovadora é o grande agente divino para o avivamento. Hoje a Palavra saiu dos púlpitos da maioria das Igrejas e foi substituída ardilosamente e quase sempre por músicas, festas, jograis e apresentações teatrais que não falam aos corações e que acabam aborrecendo a Deus. Mas não é só no culto que a mensagem do evangelho foi abafada; também nos jornais, nas rádios, na televisão, e pior ainda: na vida dos pregadores, que denominados de evangélicos expõem as maiores heresias, tudo, tudo simplesmente por fama e por dinheiro. Um movimento que promova um verdadeiro avivamento é extremamente necessário nesse tempo em que dificilmente as pregações revelam o Reino e o Poder de Deus ao mundo.
 
O homem com seu livre arbítrio pode até fazer o que quiser e na hora que quiser em detrimento do evangelho de Cristo, mas, uma coisa é certa e Paulo falou dela na sua Segunda Carta a Timóteo 2:9: Por isso sofro trabalhos e até prisões, como um malfeitor; mas a palavra de Deus não está presa.” Nada pode deter a Palavra de Deus, ela é potente e dinâmica. É como a bomba de dinamite esmiuçando a pedreira da incredulidade. É Deus quem envia o seu mandamento pela terra e a Sua Palavra corre mui velozmente. (Salmo 147:15).
 
Ele enviou a Sua palavra e os curou, e os livrou da morte. (Salmo 107:20). Jesus é o Verbo de Deus, Ele é a Palavra Viva que veio do céu. Ele é a provisão da parte de Deus Pai para a Igreja. Segundo consta no livro do profeta Isaías 61:1-3, esta foi uma declaração sobre Jesus: “O Espírito do Senhor DEUS está sobre mim; porque o SENHOR me ungiu, para pregar boas novas aos mansos; enviou-me a restaurar os contritos de coração, a proclamar liberdade aos cativos, e a abertura de prisão aos presos; a apregoar o ano aceitável do Senhor e o dia da vingança do nosso Deus; a consolar todos os tristes; a ordenar acerca dos tristes de Sião que se lhes dê glória em vez de cinza, óleo de gozo em vez de tristeza, vestes de louvor em vez de espírito angustiado; a fim de que se chamem árvores de justiça, plantações do Senhor, para que ele seja glorificado.”

Jesus entrando na sinagoga em Nazaré reiterou de forma milagrosa o que Dele fora vaticinado no texto acima: Foi-lhe entregue o livro do profeta Isaías. Abriu-o e encontrou o lugar onde está escrito:

"O Espírito do Senhor está sobre mim, porque ele me ungiu para pregar boas novas aos pobres. Ele me enviou para proclamar liberdade aos presos e recuperação da vista aos cegos, para libertar os oprimidos 
e proclamar o ano da graça do Senhor. 
Então ele fechou o livro, devolveu-o ao assistente e assentou-se.” Lucas 4:17-20.

 
A palavra de Deus é fonte de inspiração para o pregador, é o alimento para a alma! Ela é a água cristalina para o sedento e o alento para o coração contristado! Ela é o norte para o nauta e a fonte de segurança para os servos de Deus!
 
A Palavra de Deus é fonte de todo poder para vencer o diabo. Jesus ao ser tentado o venceu somente citando a Palavra:
 
Mateus 4:1-11

1  Então, foi conduzido Jesus pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo.
 
2  e, tendo jejuado quarenta dias e quarenta noites, depois teve fome;
 
3  E, chegando-se a ele o tentador, disse: Se tu és o Filho de Deus, manda que estas pedras se tornem em pães.
 
4  Ele, porém, respondendo, disse: Está escrito: Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus.
 
5  Então o diabo o transportou à Cidade Santa, e colocou-o sobre o pináculo do templo,   e disse-lhe: Se tu és o Filho de Deus, lança-te daqui abaixo; porque está escrito: Aos seus anjos dará ordens a teu respeito, e tomar-te-ão nas mãos, para que nunca tropeces em alguma pedra.
 
7  Disse-lhe Jesus: Também está escrito: Não tentarás o Senhor, teu Deus.
 
8  Novamente, o transportou o diabo a um monte muito alto; e mostrou-lhe todos os reinos do mundo e a glória deles.
 
9  E disse-lhe: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares.
10  Então, disse-lhe Jesus: Vai-te, Satanás, porque está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a ele servirás.
 
11  Então, o diabo o deixou; e, eis que chegaram os anjos e o serviram.
 
CONCLUSÃO
 
Os principais recursos para a Igreja do Senhor estão todos na Palavra de Deus.

Pastor Jorge Albertacci
 
___________


 
LI
 
O VERDADEIRO SENTIDO DA PÁSCOA
 
SUA ORIGEM

Palavra portuguesa "páscoa" é usada para designar a festa dos Judeus que, no hebraico é chamada pasach, que significa " saltar por cima " "passar por sobre". Pasach é a forma nominal da palavra.  Este nome surgiu em face da tradição de que o anjo da morte, o anjo destruidor, " passou por sobre ". As casas assinaladas com o sangue do cordeiro pascal, quando ele matou os primogênitos dos egípcios, conforme consta no livro de Êxodo 12: 21-36. "Chamou, pois, Moisés a todos os anciãos de Israel e disse-lhes: Escolhei, e tomai vós cordeiros para vossas famílias, e sacrificai a Páscoa. Então, tomai um molho de hissopo, e molhai-o no sangue que estiver na bacia, e lançai na verga da porta, e em ambas as ombreiras, do sangue que estiver na bacia; porém nenhum de vós saia da porta da sua casa até à manhã.

Porque o SENHOR passará para ferir aos egípcios, porém, quando vir o sangue na verga da porta e em ambas as ombreiras, o SENHOR passará aquela porta e não deixará ao destruidor entrar em vossas casas para vos ferir. Portanto, guardai isto por estatuto para vós e para vossos filhos, para sempre. E acontecerá que, quando entrardes na terra que o SENHOR vos dará, como tem dito, guardareis este culto. E acontecerá que, quando vossos filhos vos disserem: Que culto é este vosso? Então, direis: Este é o sacrifício da Páscoa ao SENHOR, que passou as casas dos filhos de Israel no Egito, quando feriu aos egípcios e livrou as nossas casas. Então, o povo inclinou-se e adorou.

E foram os filhos de Israel e fizeram isso; como o SENHOR ordenara a Moisés e a Arão, assim fizeram. E aconteceu, à meia-noite, que o SENHOR feriu todos os primogênitos na terra do Egito, desde o primogênito de Faraó, que se sentava em seu trono, até ao primogênito do cativo que estava no cárcere, e todos os primogênitos dos animais. E Faraó levantou-se de noite, ele, e todos os seus servos, e todos os egípcios; e havia grande clamor no Egito, porque não havia casa em que não houvesse um morto. Então, chamou a Moisés e a Arão de noite e disse: Levantai-vos, saí do meio do meu povo, tanto vós como os filhos de Israel; e ide, servi ao SENHOR, como tendes dito.

Levai também convosco vossas ovelhas e vossas vacas, como tendes dito; e ide e abençoai-me também a mim. E os egípcios apertavam ao povo, apressando-se para lançá-los da terra; porque diziam: Todos seremos mortos. 34 E o povo tomou a sua massa, antes que levedasse, e as suas amassadeiras atadas em suas vestes, sobre seus ombros. Fizeram, pois, os filhos de Israel conforme a palavra de Moisés e pediram aos egípcios vasos (ou jóias) de prata, e vasos (ou jóias) de ouro, e vestes. E o SENHOR deu graça ao povo em os olhos dos egípcios, e estes emprestavam-lhes, (Hb davam-lhes o que lhes pediam) e eles despojavam os egípcios."

Essa foi a última das pragas que se tornaram necessárias para convencer ao faraó de permitir que Israel saísse do Egito, após séculos de escravidão naquele país. Portanto, a Páscoa assumiu o sentido de livramento, e o próprio êxodo foi a concretização desta libertação. Em face do cordeiro pascal, sacrificado na ocasião, o evento veio a ser integralmente associado à idéia de expiação, embora não fosse essa a intenção original.  É provável que tal sacrifício já fosse de uso comum, mais foi então utilizado com esse significado especial.

As palavras associadas à páscoa são as seguintes:

Pasach "passar por sobre", "saltar por cima". Uma possível alusão a uma antiga festa de origem pastoril além de ser uma referência direta ao anjo da morte , que passou por sobre os filhos de Israel, mas destruiu todos os primogênitos do Egito. Abibe (vem de aviv = primavera, uma referência a esta estação do ano, bem como o nome do mês em que este evento começava; mais tarde esse mês chamou-se Nisã. Esse tornou-se o primeiro dos meses do calendário judaico, em honra àquele momentoso acontecimento, o começo da nação de Israel. Matzoth, os pães sem fermento, ou pães asmos, associados à páscoa.

NO NOVO TESTAMENTO

O Novo Testamento combina as palavras distintas Pascha " páscoa" e ta adzuma, " pães asmos ", em uma única referência, Mateus 26:2; 7 " Bem sabeis que, daqui a dois dias, é a Páscoa, e o Filho do Homem será entregue para ser crucificado. 17 E, no primeiro dia da Festa dos Pães Asmos, chegaram os discípulos junto de Jesus, dizendo: Onde queres que preparemos a comida da Páscoa?" E bem como em Lucas 2:41; e 22:1.  Entretanto, o evangelho de João emprega somente Pascha, João 2:13,23 "13 E estava próxima a Páscoa dos judeus, e Jesus subiu a Jerusalém. 23 E, estando ele em Jerusalém pela Páscoa, durante a festa, muitos, vendo os sinais que fazia, creram no seu nome;", e bem como João 6:4 e 11:55. Seder, a ingestão de ervas amargas (no hebraico, maror = amargo ), para que os israelitas se lembrassem de quão amargos tinham sido a escravidão e os sofrimentos no Egito.

O ANTÍTIPO PARA A NOVA ALIANÇA

Um acontecimento tão importante como aquele que deu origem à nação de Israel, não poderia ser ignorado pelo Novo Testamento. Por exemplo: a morte de Cristo que ocorreu exatamente no período da Páscoa, foi sempre considerada um evento capital para os primeiros cristãos, e daí por diante durante todo o cristianismo, Jesus é chamado de nosso " Cordeiro Pascal " conforme 1Co 5:7:

"Alimpai-vos, pois, do fermento velho, para que sejais uma nova massa, assim como estais sem fermento. Porque Cristo, nossa páscoa, foi sacrificado por nós."

Isso tem sido associado pelos cristãos à ideia de expiação e livramento, que nos liberta dos inimigos das nossas almas. A ordem de não ser partido nem um osso do cordeiro pascal foi aplicada por João às circunstâncias da morte de Jesus Cristo, Êxodo 12:46:

"Numa casa se comerá; não levarás daquela carne fora da casa, nem dela quebrareis osso".
João 9:36 "36 Porque isso aconteceu para que se cumprisse a Escritura, que diz: Nenhum dos seus ossos será quebrado"

Pelo que foi estabelecido um vínculo entre os dois eventos, fazendo o primeiro ser o símbolo do segundo. A ideia de expiação, como é patente, faz parte vital da questão. O cristão (tal como os antigos israelitas) deve pôr de lado o antigo fermento do pecado, da corrupção, da malícia e da desobediência, substituindo-o pelos asmos da sinceridade e da verdade.

O ÊXODO CRISTÃO

Não deveríamos nos esquecer desse aspecto. A páscoa do Antigo Testamento marcava o começo de uma saída da escravidão; e, de fato era o poder por detrás desta libertação. Assim também, em Cristo, encontramos um êxodo que nos liberta da velha vida com sua escravidão ao pecado. No sentido teológico, algo foi realizado que não poderia ter sido realizado pela lei. Esse é o tema principal tanto de Paulo (com sua doutrina da justificação pela fé) quanto do tratado aos hebreus.
O êxodo judaico libertou um povo inteiro da servidão física. O êxodo cristão oferece à todos os homens a libertação do pecado, bem como outorga do Reino da Luz, onde impera perfeita liberdade. Em Cristo, pois, os homens podem tornar-se filhos de Deus (Gálatas 4:4-6:

"mas, vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei, 5 para remir os que estavam debaixo da lei, a fim de recebermos a adoção de filhos. E, porque sois filhos, Deus enviou aos nossos corações o Espírito de seu Filho, que clama: Aba, Pai."

Participantes da natureza divina (2Pe 1:4) "pelas quais ele nos tem dado grandíssimas e preciosas promessas, para que por elas fiqueis participantes da natureza divina, havendo escapado da corrupção, que, pela concupiscência, há no mundo; (Cl 2:10) "E estais perfeitos nele, que é a cabeça de todo principado e potestade"; e agora eles olham para sua Cidade Celeste como a sua pátria, da mesma maneira que Israel buscava uma nova pátria. (Ver Hb 11:10)".

CRISTO COMO A PÁSCOA

Cristo, nosso Cordeiro Pascal, foi imolado (1Co 5:7)

"Alimpai-vos, pois, do fermento velho, para que sejais uma nova massa, assim como estais sem fermento. Porque Cristo, nossa páscoa, foi sacrificado por nós."

No seu contexto, essa declaração tem um sentido moral. Deveríamos desvencilhar-nos de todos os elementos estranhos à espiritualidade, visto que Cristo fez o seu grande e eterno sacrifício, que é o nosso agente de nossa purificação moral. Cumpri-nos abandonar nossa velha maneira de viver.
PÁSCOA, OU A CEIA DO SENHOR?

O próprio Senhor Jesus, quando instituiu a Santa Ceia, que se deu no dia da páscoa (Mateus 26:17-19; Marcos 14:12-16; Lucas 22:7-13), e não foi pela Sua ressurreição que Ele a instituiu, e sim, em memorial a Ele, e anunciando a Sua morte, até que Ele venha a nos buscar (1Coríntios 11:26). Isto é, a Ceia do Senhor se deu justamente na páscoa porque, a verdadeira páscoa era Ele (1Coríntios 5:7), que estava preparado para morrer pelos nossos pecados - a de ser crucificado. Por isso que foi chamado de "O Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo" (João 1:29).

Porque Ele é o Cordeiro a ser sacrificado, a páscoa, para derramar o Seu sangue pelos nossos pecados; pois, sem tal sacrifício, nenhum homem poderia aproximar de Deus, e entrar em comunhão com Ele, ganhando assim a vida eterna. Razão pelo qual, uma vez feito tal sacrifício, o único verdadeiro e perfeito, deixaria de ter sentido a páscoa, uma vez que o antigo pacto foi consumado. Foi por essa razão que o Senhor Jesus se reuniu com os seus discípulos, para realizar a última páscoa - a válida - e estabelecer o novo pacto, mais abrangente, e debaixo da graça: a Ceia do Senhor.

NÃO DEVEMOS RETROCEDER VISTO QUE, ESTAMOS NA NOVA ALIANÇA

Ora, se o irmão pretende celebrar a páscoa, ele deverá seguir à risca os mandamentos que Deus deu a Moisés! Terá de deixar de participar da Ceia do Senhor periodicamente (geralmente mês a mês), pois, a páscoa só se dá por volta dos meses de março/abril de cada ano. Visto que era celebrada no mês de abibe, no dia 14 por diante, e deverá imolar um cordeiro, e comer por sete dias, pães asmos e ervas amargas... (Êxodo 12:2-8-15). Não imolando o cordeiro, mesmo assim, teria de ser com pães asmos, e já terá transgredido a Lei de Deus! Mas acontece que a páscoa é um mandamento somente para o povo de Israel, e não para os outros povos, quanto mais para a Igreja de Cristo, pois senão teriam de seguir à risca, todos os preceitos que Deus deu a este povo. É uma celebração exclusiva do povo de Israel, pois nós temos em Êxodo 12:3 o seguinte: Falai a toda a congregação de Israel.

É uma festa que deve ser guardada por todos os filhos de Israel (Êxodo 12:47). E mais, o estrangeiro não deve comer dela (Êxodo 12:43). Se por acaso, um estrangeiro, um gentio, quiser participar da páscoa, deve ser circuncidado (Êxodo 12:43)."

Circuncidará um salvo em Cristo Jesus para participar da páscoa?  Se a resposta for positiva, esta prática é estar debaixo da Lei, e não da graça! E tanto pelo fato de estar debaixo da Lei que, caso um homem, filho de Israel, se não comemorou a páscoa, deve ser extirpado do povo de Deus; em outras palavras, executado (Números 9:13). Era portanto, um mandamento severo, um pacto feito entre Deus e Israel, assim como o mandamento de guardar o sábado.

ORIGEM PAGÃ DA PÁSCOA ATUAL

A páscoa que se comemora no dia de hoje, não em nada se assemelha com a páscoa bíblica, e que faz parte da Lei que Deus ordenou a Moisés, e que era destinada a todo o Israel. Pelo contrário, essa páscoa que conhecemos é completamente estranha aos preceitos bíblicos, e que se reveste de outros valores sob o disfarce do cristianismo nominal. Acima de tudo, o seu paganismo que se demonstra em duas evidências:

O ovo e o coelho, são símbolos que vieram dos antigos povos, como os egípcios e os persas, além de outros. Nesse caso, os ovos eram tingidos, e dados aos amigos, e os chineses os usavam nas festas de renovação da natureza. E como peças decorativas pagãs, chegaram a nós, proveniente de regiões como a Ucrânia, sob o nome de pessankas.

É rica as simbologias pagãs relacionadas com os ovos:
Segundo Cirlot, são emblemas da imortalidade, encontrados nos sepulcros pré-históricos da Rússia e da Suécia. E também é usado como escrita hieroglíficas dos egípcios, considerado como o que é potencial, o princípio da geração, o mistério da vida; sendo usado pelos alquimistas. Enfim, o ovo é o símbolo cósmico na maioria das tradições, desde a Índia até aos druidas celtas.

Para os egípcios, o deus Re nasceu de um ovo; para os hindus, Brahma surgiu de um ovo de ouro - Hiranyagarbha - e que depois, com a casca, fez o Universo. Para os chineses, P'an Ku, nasceu de um ovo cósmico.  Ele é o símbolo de fertilidade, usado como talismã pelos agricultores. E tem diversas superstições ligadas ao seu uso.

Na mitologia grega, os gêmeos Castor e Pólux, nasceram de ovos "botados" (pasmem!) por uma mortal, Leda, quando fora seduzida por Zeus, que lhe apareceu sob a forma de um cisne! O ovo era, na verdade, considerado por diversos pagãos, como a origem dos seres humanos.

Quanto ao coelho da páscoa, provém da lebre sagrada da deusa Eastra, uma deusa germânica da primavera. Era ela, a lebre, quem que trazia os ovos; e que em outras regiões, como na Westphalia (Alemanha), tal papel era exercido pela "raposa da páscoa"; ou, na Macedônia (Grécia), por "Paschalia" o espírito do dia. Porém, prevaleceu como símbolo da fertilidade, a lebre (ou o coelho), porque já era conhecida como tal durante muitos anos. E, em várias regiões, a lebre era considerada uma divindade. Ela está relacionada com a deusa lunar Hécate na Grécia; e, além da Eastra, tem-se o equivalente que é a deusa Harek dos germanos, que era acompanhada por lebres, consideradas como símbolos da fertilidade, devido a grande capacidade de se reproduzir, e, segundo os anglo-saxões, como também os chineses, associada à Primavera.

É interessante notar que a lebre (ou o coelho) é considerado como um animal imundo (Deuteronômio 14:7). E que só recentemente é que a páscoa está sendo comemorada como uma festa em homenagem à primavera, em Israel, (ligada portanto, com os ritos da fertilidade). Isto é, já se tem uma contaminação pagã na páscoa judaica, e que outrora era considerada bíblica. E com muita razão: A páscoa judaica já há muito tempo deixou de ser bíblica visto que não tem mais eficácia, pois, a verdadeira páscoa - o Senhor Jesus - já foi consumado lá na cruz.
Por esse motivo é que Deus permitiu a destruição do Templo de Salomão, cerca de 70 d.C., para que fosse impedido a comemoração da páscoa. Pois, tal comemoração, juntamente com outros preceitos, prenderiam os judeus à Lei, ao antigo pacto, e que deixou de ser válido. Além disso, os sacrifícios de holocausto (que fazem parte da Lei), só poderiam ser realizados no Templo, e não em outro lugar. Tendo isso em conta: de que a própria páscoa, instituída por Deus, deixou de ser válida; quanto mais não seria antibíblica a comemoração da páscoa do mundo, cuja procedência é claramente pagã?

PONTO DE VISTA DA IGREJA TRADICIONAL

PÁSCOA DA RESSURREIÇÃO DE JESUS

Páscoa, do latim paschalis, deriva da palavra hebraica Pessah, passagem. Com este nome designamos a festa judaica da saída do povo do Egito conduzido por Moisés, celebrada anualmente na primeira lua cheia depois do outono, no hemisfério sul, com a ceia pascal e o cordeiro imolado, ervas e pão asmo. Simboliza também a festa cristã da Ressurreição de Jesus de Nazaré no ano 30 da era cristã, celebrada cada ano durante o tríduo pascal, da Quinta-feira ao Domingo da Semana Santa, sempre no Domingo após a lua cheia depois do início do outono no hemisfério sul, com a Festa Eucarística Solene durante a chamada Vigília Pascal, com inúmeras leituras bíblicas, celebração do fogo novo, velas e Círio Pascal, água e batismo de adultos, pão consagrado na missa solene e o canto do Hino em latim "Exultet".

OVOS DE PÁSCOA

Tradicionalmente, ovos coloridos são oferecidos como alimento no dia de Páscoa. Alguns destes ovos são artisticamente trabalhados e pintados. De maneira particular lembramos a beleza dos ovos de Páscoa dos ucranianos e poloneses. Ovos são símbolos da vida em germe, que está a ponto de eclodir. Tomava-se os ovos que foram postos durante a Semana Santa, especialmente os que foram botados na Sexta-feira Santa por considerá-los detentores de virtudes especiais na prevenção de febres malignas ou de pestes mortíferas. A tradição medieval na Quaresma interditava ao povo de comer "carne vermelha, doces e ovos". Os ovos de Páscoa são portanto um símbolo festivo do final da quarentena em que ficamos de regime. Lembram simbolicamente o ovo primitivo do qual nasceu e surgiu o universo vivo. É sinônimo do Cristo que ressurge das trevas da morte como o grande vencedor do mal e da finitude mortal dos humanos.

CHOCOLATE

O cacau tem como nome científico, em grego, de Teobroma Cacau, que traduzido quer dizer, o néctar dos deuses, ou seja, alimento divino. Seu paladar e sua força energética sempre foram reconhecidos em toda a Europa desde sua exportação das terras latino-americanas. Ao ser mesclado com leite e tomar o formato de um ovo representou novamente a força rejuvenescedora da vida que está latente no ovo e que possui agora a energia do chocolate. O ovo de chocolate é portanto o símbolo da vida que se multiplica e alimenta nossa fragilidade.

COELHOS

Mamíferos da família dos leporídeos, vindos da Europa foram introduzidos em todos os continentes. Cavam tocas onde parem seus filhos em grandes ninhadas. Representam a fecundidade e a reprodução constante da vida. Vinculou-se a este animal a idéia maior da festa da Páscoa que é a vitória e a exuberância da vida. Entretanto, é uma pena que um mamífero seja confundido com um ovíparo, pois ainda hoje a natureza não fez que nenhum coelho parisse ovos, mesmo os de chocolate.

COLOMBA OU POMBA DE PÁSCOA

Esta guloseima, de origem italiana, está ligada ao simbolismo da pomba, que representa a vinda do Espírito Santo sobre os Apóstolos quando Cristo ressuscita e para não nos deixar órfãos envia o Defensor dos pobres. A terceira pessoa da Santíssima Trindade é a garantia de que o amor de Deus permanece em nossa casa, em nossa vida e nossa Igreja. Daí o formato de uma pomba dado ao panetone natalino.

CONCLUSÃO

A Páscoa como se comemora hoje não tem nada a ver com o que preceitua a Santa Palavra de Deus, nem no Antigo e nem no Novo Testamento, tendo em vista, no decorrer dos séculos, a igreja Tradicional, haver conseguido introduzir seus dogmas pagãos tal qual acontece com o dia do nascimento do Filho de Deus (natal). O crente ao lidar com as festividades alusivas à páscoa conforme é celebrado atualmente, deve ter o conhecimento de que está se envolvendo com paganismo, com deuses da mitologia grega e romana, o que não é recomendável a uma pessoa que já fora tirada do Egito (mundo), que já removeu de sua vida todo o fermento velho, tendo as coisas velhas ficado para trás, vivem agora em novidade de vida em Cristo Jesus nosso Senhor.

BIBLIOGRAFIA

SBB/RC - Td 1995 - Bíblia Sagrada;
R. N. Champlin, Ph.D. / J. M. Bentes ENCICLOPÉDIA DA BÍBLIA TEOLOGIA E FILOSOFIA;
Walter A Elwell ENCICLOPÉDIA HISTÓRICO-TEOLÓGICA DA IGREJA CRISTÃ;
Jean Chevalier Alain Gheerbrant DICIONÁRIOS DE SÍMBOLOS;
As referência bíblicas foram da versão Revista e Corrigida/1995 - SBB.
Pastor Jorge Albertacci - ASSEMBLEIA DE DEUS EM VOLTA REDONDA - RIO DE JENEIRO
E-mail: pralbertacci@yahoo.com.br

___________


 
LII
 
JÁ PENSOU NA TRISTEZA QUE FICA UM CANDIDATO À PROVA DO ENEM QUANDO CHEGA AO LOCAL ENCONTRA OS PORTÕES FECHADOS!?
Assim como o próprio Deus fechou a porta da arca depois que Noé entrou com sua família e os animais - da mesma forma vai acontecer no Dia em que Ele fechar a Porta da Graça. Foi por este motivo que Jesus deixou a recomendação: 
“Lembrai-vos da mulher” de Ló - (Lucas 17:32).
 
Essa mulher, mesmo sendo casada com Ló, que era sobrinho do nosso pai na fé, o patriarca Abraão, acabou perdendo a única oportunidade da sua vida por ficar presa às coisas em Sodoma e Gomorra.  A Bíblia fala dela em Gênesis 19:26: “E a mulher de Ló olhou para trás e ficou convertida numa estátua de sal.”
 
Na atual dispensação, Jesus é a nossa Arca. Somente através dele é que seremos livres das águas imundas do pecado que muito breve submergirão este mundo.

ENQUANTO ISSO A PORTA DA GRAÇA CONTINUA ESCANCARADA 
 
Enquanto a Porta da Graça permanecer aberta muitos procuram a Jesus por opção, mas quando ela se fechar, para dar lugar à Grande Tribulação, todos o procurarão por desespero porque nem morrer que será sua melhor opção eles não conseguirão. Procure se aproximar de Jesus home mesmo!
 
“Ele me abriu a porta, E me reconciliou, 
Por Seu sangue derramado, Para Deus me consagrou.

Graça abundantemente, Sobre mim já derramou, 
Onde abundou o pecado, Graça superabundou.

Quando alvorecer o dia, Com Jesus irei pro céu, 
Eu O exaltarei pra sempre, Pois salvou um perdido réu.”
 
Pr. Jorge Albertacci Missionária Alcenir Albertacci
 
___________


 
LIII
 

JESUS CRISTO

Para o faminto, Jesus Cristo é o pão da vida, para o sedento, Ele é a água cristalina, para o perdido, Ele é o caminho, para os tristes, Ele é a alegria, para os desesperados, Ele é a paz verdadeira, para os hipotensos espiritual, Ele é o sal, para os nervosos, Ele é quem tranquiliza, para os oprimidos, Ele é a libertação, para os cansados, Ele é o descanso, para os doentes, Ele é a cura, para os pobres, Ele como Pai; é dono do ouro e da prata, para os deprimidos; acabrunhados, Ele tem o lenitivo necessário para uma vida repleta de motivos para estar alegre, para os que morrerem, Ele tem a vida eterna no Céu.

Jorge Albertacci Alcenir Albertacci

___________


LIV

 
COMO SAL DA TERRA

Como sal, é dever da Igreja influenciar o mundo, preservando-o da deterioração total, mantendo o equilíbrio. Provocando sede de ouvir a santa Palavra do Senhor. O sal faz isto, influencia, equilibra o sabor, preserva para não apodrecer e provoca sede. Não sede de água e nem fome de pão, mas de ouvir a palavra do Senhor (Am 8:11).

Como sal, é dever da Igreja se gastar - o sal se gasta e a Igreja também deve se gastar em prol da obra de Deus, gastar o tempo na obra, gastar o dinheiro na obra, gastar a vida na obra.

Às vezes os membros da Igreja são criticados por passar tanto tempo nos cultos, nas escolas dominicais, nas reuniões de oração, sentindo a presença de Deus. Qual é a melhor opção, gastar o tempo assim na presença de Deus ou gasta-lo em lugares escusos de diversões obscenas onde a violência impera? É claro que para os que primam pelo bom senso, o melhor lugar é na presença de Deus (Sl 84:1-4; 27:4-5).

COMO LUZ DO MUNDO

Como luz, é dever da Igreja resplandecer nas trevas, na escuridão da corrupção, nas trevas da obscenidade, nas trevas do pecado da desobediência a Deus. O homem sem Deus vive na escuridão, é como cego, não vê e desconhece as coisas atinentes ao céu, é voltado para as coisas materiais e perecíveis.

Como luz, os servos do Senhor Jesus devem andar de cabeça erguida, não tendo motivos para se esconderem, afim de que todos os que estiverem ao seu redor possam ver a luz que deles irradiam.

Mateus 5:14-15 "Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte; nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas, no velador, e dá luz a todos que estão na casa. Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem o vosso Pai, que está nos céus."

Pr. Jorge Albertacci Com Alcenir Albertacci
 
 ___________


 
LV
 
O MAIOR INVESTIMENTO

À medida em que investirmos nos projetos do SENHOR, ELE retribui investindo nos nossos. Como é bom saber dessas coisas, ou seja: como é bom poder perscrutar pelo menos um pouquinho do plano de DEUS para com as nossas vidas! Ato que acontece, somente através da divina revelação do SANTO ESPÍRIRO do SENHOR!

Quem está apto a receber revelação advinda do ESPÍRITO do SENHOR? O SENHOR entende como investimento da nossa parte nos SEUS projetos, quando cuidamos dos necessitados, por amor, sem pretender nada em troca, sem ter esperança de sermos recompensados por isto. Quando buscamos os que estão lá fora, que ainda não foram alcançados por SUA incomensurável graça e quando amamos de verdade não somente os que nos amam, mas os que nos odeiam também.

Mas buscai primeiro o Reino de Deus, e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas (Mateus 6:33).
Pr. Jorge Albertacci
 
MISERICÓDIAS

As misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos, porque as Suas misericórdias não têm fim. Novas são cada manhã; grande é a Tua fidelidade. Lamentações 3:22-23 (ARC).

Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. João 3:16.

Os dois versículos acima formam o Texto Áureo das Escrituras Sagradas. E um terceiro que consta na carta do apóstolo Paulo a Tito 2:11 revela a máxima expressão da graça de Deus a este mundo: "Parque a graça de Deus se há manifestado, trazendo salvação a todos os homens."

É de extrema valia observar o Amor de Deus à humanidade. Chega ser incompreensível! Não adianta o mortal querer mensurar este Amor, porque não vai entender mesmo! Não tem como entender os desígnios de Deus. Vemos Sua paciência com a humanidade atolada numa corrupção generalizada. Roubalheira capaz de atordoar uma nação inteira – quebrando estados e prefeituras. Violência em todos os patamares da sociedade. Perversidade, insensibilidade, insanidade, falta de amor, falta de ética, falta de decoro, falta de respeito, falta de moral, falta de ordem, falta de decência e ultraje ao Santo Nome do Senhor Deus Todo-Poderoso.

Entendemos que todas estas coisas já constavam preditas na Palavra de Deus. Vemos aí o Amor de Deus sendo aplicado, vemos Sua Graça e Sua misericórdia contemplando a todos indistintamente. Entendemos que tudo isto decorre da nossa democracia e do livre arbítrio que Deus dotou o homem. Mas, entendemos que não dentro de muito tempo uma resposta haverá, quando será aplicada a punibilidade prescrita na Bíblia Sagrada. Nesse tempo, a graça não subsistirá o Juízo de Deus. Então, está na hora de pararmos e avaliar o caminho que estamos seguindo.

Jorge Albertacci

___________


 
LVI
 
 
QUANDO CÉUS E TERRA SE FUNDIREM 
Ap 21:1-8

Quem vencer herdará todas as coisas, e eu serei seu Deus, e ele será meu filho (Apocalipse 21:7)

- Após o Arrebatamento;
- Após a Grande Tribulação;
- Após o Milênio;
- Após os Juízos de Deus;
- Após Satanás ser vencido para sempre.

Nenhum outro teve o privilégio de João

1. Marta e Maria viram Lázaro ressuscitar;
2. Paulo foi ao Terceiro Céu;
3. Pedro, Tiago e João participaram do mine-milênio no Monte da Transfiguração;
4. Paulo e Silas viram as cadeias se partirem em Filipos;
5. Mas, ninguém teve o privilégio de ver o que João viu em na Ilha de Patmos.

- E o Livro do Apocalipse, associado ao do Profeta Daniel trata da revelação de Deus do princípio ao fim!
- Lucas 18:8 Digo-vos que, depressa, lhes fará justiça. Quando, porém, vier o Filho do Homem, porventura, achará fé na terra?
- Guarda o que tens para que ninguém tome a tua coroa – Ap 3:11
- João 1:12 Mas a todos quantos o receberam deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus: aos que creem no seu nome.
- 2 Pedro 3:10-12 - Mas o Dia do Senhor virá como o ladrão de noite, no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo, se desfarão, e a terra e as obras que nela há se queimarão. Havendo, pois, de perecer todas estas coisas, que pessoas vos convém ser em santo trato e piedade, aguardando e apressando-vos para a vinda do Dia de Deus, em que os céus, em fogo, se desfarão, e os elementos, ardendo, se fundirão?

- 2Pedro 3:7 Mas os céus e a terra que agora existem pela mesma palavra se reservam como tesouro e se guardam para o fogo, até o Dia do Juízo e da perdição dos homens ímpios.

OS MISTÉRIOS DE DEUS PARA O FUTURO

- E ponho as minhas palavras na tua boca e te cubro com a sombra da minha mão, para plantar os céus, e para fundar a terra, e para dizer a Sião: Tu és o meu povo. (Is 51:16).
- Porque eis que eu crio céus novos e nova terra; e não haverá lembrança das coisas passadas, nem mais se recordarão. Mas vós folgareis e exultareis perpetuamente no que eu crio; porque eis que crio para Jerusalém alegria e para o seu povo, gozo. (Is 65:17-18).
- Vale a pena observar a recomendação: Guarda o que tens para que ninguém tome a tua coroa. (Ap 3:11).

Pr. Jorge Albertacci

___________


 
LVII
 
 
NOSSAS VIDAS

Levantai os olhos para os céus e olhai para a terra embaixo, porque os céus desaparecerão como a fumaça, e a terra envelhecerá como um vestido, e os seus moradores morrerão como mosquitos, mas a minha salvação durará para sempre, e a minha justiça não será anulada (Isaías 51:6).

Virá tempo em que a vida pertencerá exclusivamente aos que estiverem com o autor dela morando em seus corações. Porque a vida não consiste meramente neste momento terreno, mas, muito mais do que isto, nossa vida está no porvir, ou seja, no futuro, e não nas coisas efêmeras, mas com tudo de bom em sua plenitude, melhor dizendo: na eternidade com JESUS CRISTO.
Ali quero ir, e tu?

Pr. Jorge Albertacci
___________

 
 LVIII

QUANDO E ONDE DEVEMOS PARTICIPAR DA CEIA

A Santa Ceia do Senhor é um ato solene onde externamos nossa comunhão com cada um dos nossos irmãos e consequentemente com Jesus o Senhor. E é também um ato onde a Igreja num todo manifesta entre si e o próprio Senhor a harmonia e a simplicidade na convivência de todos os santos do Senhor, onde as divergências inexistem.
A Bíblia nos revela em Atos 20:7, que no primeiro dia da semana os discípulos se reuniam para partir o pão o que nos sugere que Igreja Primitiva celebrava a Santa Ceia todos os domingos. Inclusive a Igreja em Trôade procedia assim (Atos 20:6; 1 Coríntios 16:2). 1 Coríntios 11:20-22).
Paulo, o apóstolo do Senhor, orientou a Igreja em Corinto sobre as reuniões nas quais eles juntos, participavam da Ceia. E foi incisivo ao corrigir àquela Igreja sobre atitudes e procedimentos equivocados. Contudo, ele apoiou a prática da Igreja se reunir para celebrar a Ceia do Senhor (1 Coríntios 11:17-20). Orientando-os quanto a responsabilidade de cada irmão a se auto examinar quando participava, ressaltando a importância de discernir o significado do corpo e sangue do Senhor. A Ceia é uma celebração solene para lembrar do sofrimento de Jesus na cruz, e não deve ser profanada por descuido dos participantes. Nessa reunião para a celebração da Santa Ceia, assim como em todas as reuniões da Igreja, os crentes devem reunir sempre no sentido de melhorar a espiritualidade de cada um e não de piorar conforme acontecia entre eles.

___________

 
LIX
 
OS PAIS DA IGREJA

TENTAR ARRANCAR UMA SÓ PALAVRA DA BOCA DE POLICARPO RENUNCIANDO O SENHOR JESUS SERIA PERDA DE TEMPO. POLICARPO NÃO ESTAVA BRINCADO DE SER BISPO

INTRODUÇÃO

A partir do ano 95 a. D, os líderes ou bispos, começaram a ser chamados de "Pais da Igreja", como uma forma carinhosa, por sua lealdade. O nome “Heróis da Fé” foi usado mais amplamente a partir do terceiro século para descrever os campeões ortodoxos da Igreja e os expoentes de sua fé. Os Pais da Igreja são classificados em quatro grupos:
Os Pais Apostólicos;
Os Apologistas ou Ante-Nicenos;
Os Polemistas ou Nicenos;
Os Teólogos Científicos ou Pós-Nicenos.

Os Pais Apostólicos são caracterizados pela edificação e fortalecimento dos crentes na fé; os Apologistas, pela sua defesa aos ataques contra o Cristianismo; os Polemistas, pela defesa contra heresias dentro da Igreja; e os Teólogos, pela aplicação da Teologia em áreas filosóficas e científicas.
“Não menciono aqui de forma ordenada sobre o título em epígrafe, mas, destaco alguns dos pais, reformadores, bem como outros que contribuíram para defender o Evangelho do Reino.”

Pr. Jorge Albertacci



Policarpo
Bispo de Esmirna, 70-155 a.D
Introdução

Nascido em uma família cristã por volta dos anos 70, na Ásia Menor (hoje Turquia), Policarpo dizia ser discípulo do Apóstolo João. Em sua juventude costumava se sentar aos pés do Apóstolo do amor. Também teve a oportunidade de conhecer Irineu, o mais importante erudito cristão do final do segundo século.

Inácio de Antioquia, em seu trajeto para o martírio romano em 116, escreveu cartas para Policarpo e para a Igreja de Esmirna. Nos dias do Papa Aniceto, Policarpo visitou Roma, a fim de representar as igrejas da Ásia Menor que observavam a Páscoa no dia 14 do mês de Nisan. Apesar de não chegar a um acordo com o papa sobre este assunto, ambos mantiveram uma amizade. Ainda estando em Roma, Policarpo conheceu alguns hereges da seita dos Valencianos, e encontrou-se com Márcio, o qual Policarpo denominava de “primogênito de Satanás.”

A CARTA DE POLICARPO

Apesar de escrever várias cartas, a única preservada até a data, foi a endereçada aos Filipenses no ano 110. Nesta carta, Policarpo enfatiza a fé em Cristo, e o desenvolvimento da mesma através do trabalho para Cristo na vida diária. Também faz alusão à carta do Apóstolo Paulo aos Filipenses e usa citações diretas e indiretas do Velho e Novo Testamento, atestando-os como canônicos. Na mesma carta, ele repete muitas informações recebidas dos apóstolos, especialmente de João. Por isto, ele é uma testemunha valiosa da vida e da obra da Igreja primitiva no segundo século.

Policarpo exorta os Filipenses a uma vida virtuosa, às boas obras e à firmeza, mesmo ao preço de morte, se necessária, uma vez que tinham sido salvos pela fé em Cristo. As 60 citações do Novo Testamento, das quais 34 são dos escritos de Paulo, evidenciam seu profundo conhecimento da Epístola do Apóstolo aos Filipenses e outras do mesmo Testamento. Ao contrário de Inácio, Policarpo não estava interessado em administração eclesiástica, mas antes em fortalecer a vida diária prática dos cristãos.

O MARTÍRIO DE POLICARPO

O martírio de Policarpo é descrito um ano depois de sua morte, em uma carta enviada pela Igreja de Esmirna à Igreja de Filomélio. Este registro é o mais antigo martirológio cristão existente. Diz a história que o procônsul romano, Antonino Pius, e as autoridades civis tentaram persuadi-lo a abandonar sua fé em sua avançada idade, a fim de alcançar sua liberdade. Ele entretanto, respondeu com autoridade: “Eu tenho servido Cristo por 86 anos e ele nunca me fez nada de mal. Como posso blasfemar contra meu Rei que me salvou? Eu sou um crente!”
No ano 156, em Esmirna, Policarpo é colocado na fogueira. Milagrosamente as chamas não o queimaram. Seus inimigos, então, o apunhalaram até a morte e depois queimaram o seu corpo numa estaca. Depois de tudo terminado, seus discípulos tomaram o restante de seus ossos e o colocaram em uma sepultura apropriada. Segundo a história, os judeus estavam tão ávidos pela morte de Policarpo quanto os pagãos, por causa de sua defesa contra as heresias.

APÊNDICE DE PASTOR JORGE ALBERTACCI

Ali os perseguidores chegaram a sua procura, não muito tempo depois, e tomaram dois rapazes, um dos quais açoitaram para que os conduzisse ao retiro de Policarpo.

Entrando em hora adiantada, encontraram-no, de fato, descansando num aposento superior, de onde ainda que pudesse escapar para outra casa, não o fez, dizendo: “seja feita a vontade do Senhor” e, tendo compreendido também que havia chegado, como dizem, desceu e dirigiu-se aos homens com semblante muito alegre e suave, de modo que os que não o conhecia antes pensaram estar vendo um milagre ao observar a idade avançada do homem, a seriedade e firmeza de seu semblante e ficaram surpresos por tamanho zelo ser exercido para prender um homem venerável com ele.

Ele, porém, sem hesitação, ordenou que se preparasse de imediato uma mesa para os homens, depois pediu-lhes que participassem plenamente do alimento e lhes suplicou apenas uma hora para orar sem interrupções. Tendo recebido permissão, levantou-se e orou, tão cheio da graça do Senhor, que os presentes que o ouviram ficaram maravilhados e muitos lamentaram que um homem tão venerável e piedoso fosse condenado à morte.

Além dessas coisas, a epístola a respeito dele continua da seguinte forma: “Mas depois que acabou de orar tendo na oração lembrado de todos os que estiveram ligados a ele, grandes e pequenos, nobres e obscuros, e toda a Igreja Católica (universal) por todo o mundo, chegando a hora de partir, colocaram-no sobre um jumento e o conduziram à cidade, sendo o grande dia de sábado. Herodes, o irenarca, e seu pai, Nicete, encontraram-se com ele e tomando-o no carro deles persuadiram-no a tomar assento com eles, e disseram: “que mal há em dizer Senhor César e em sacrificar e assim salvar a tua vida?

Ele porém, de início não deu resposta alguma, mas como perseveravam, disse: “não farei o que me aconselhais.” Não conseguindo, pois, persuadi-lo, disseram palavras ameaçadoras e o lançaram do carro com grande violência, de modo que ao descer torceu a coxa. Mas nem um pouco dissuadido de seu propósito, como nada houvesse ocorrido, prossegui resoluto, sendo conduzido ao estádio.

Mas havendo ali uma grande agitação no lugar, de modo que ninguém conseguia ouvir, veio uma voz do Céu a Policarpo quando ele entrava: “Sê forte, Policarpo, e age como homem.” Ninguém viu quem falou; mas a voz foi ouvida por muitos de nossos irmãos. Quando ele foi levado à frente, porém, formou-se um grande tumulto entre os que ouviram que Policarpo fora preso. Por fim, enquanto ele avançava, o procônsul perguntou-lhe se era Policarpo, e ele respondendo que sim, foi instado a renunciar a Cristo, dizendo: “Considera tua idade”, e acrescentando expressões semelhantes, como costumam falar, disse: “Jura pela sorte de César.

Arrepende-te, diz: fim aos que rejeitam os deuses.” Mas Policarpo com semblante grave e sério, e contemplando toda a multidão que se reunira no estádio, acenou com a mão para ele e com um suspiro olhou para o Céu e disse: “Fim aos ímpios.” Mas quando o governador continuou instando-o, dizendo: “Jura, e soltar-te-ei. Insulta a Cristo”, Policarpo respondeu: “Oitenta e seis anos tenho lhe servido, e ele nunca me fez nenhum mal; e como posso agora blasfemar meu Rei que me salvou?” O governador continuava ainda a dissuadi-lo, dizendo: “Jura pela sorte de Cezar”, disse Policarpo: “Se és tão vão a ponto de pensar que devo jurar pela sorte de César, como dizes fingindo não saber quem sou, ouve minha livre confissão. Sou cristão. Mas se queres saber qual a doutrina do cristianismo, concede-me um dia e ouve-me. Daí à fogueira!...

___________

 
 LX
 
INCONTESTÁVEL

Diante da atual conjuntura social, em todos os seus aspectos, tais como: político, religioso, educacional, familiar, empresarial, operariado - a facilidade para a pessoa secularizar todas as coisas que são santas; tornar-se insensível à Palavra de Deus e atingir ao estágio morno da fé, é muito grande. Até mesmo aqueles que se converteram há 40, 50, 60, ou até mais anos.

A facilidade para um retrocesso e alcançar o estágio morno é muito grande. Refiro-me ao estágio morno pelo seguinte versículo: Apocalipse 3:16, Assim, porque és morno e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca.

Jorge Albertacci Alcenir Albertacci
 
 ___________


 
  LXI

FAMÍLIA NO CONCEITO ÓBVIO 

A primeira família da terra foi constituída de um homem e uma mulher, criados diretamente por Deus. Lucas, ao encerrar a genealogia de Jesus, contida no Evangelho que tem o seu nome, identifica o Senhor Jesus com toda a raça humana, dizendo: “Cainã filho de Enos, Enos filho de Sete, e este filho de Adão, filho de Deus“ (Lc 3:38 - ARA).

1. O primeiro homem criado por Deus. A criação do homem é ato imediato da sabedoria e do poder de Deus, e também a obra mais sublime de todos os seres criados. 
Deus disse: ”haja luz”, “haja uma expansão no meio das águas”, “produza a terra erva verde que dê semente“, e assim por diante, mas, na criação do homem, aconteceu diferente; como convocando a trindade (Pai, Filho e Espírito Santo), disse: “Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança” (Gn 1:26).

2. Eva, a primeira mulher, foi tirada de Adão. Deus, na sua sabedoria, não fez a mulher do pó da terra, mas tirou-a de Adão. Na Bíblia lemos: ”Então o Senhor Deus fez cair um sono pesado sobre Adão, e este adormeceu, e tomou Deus uma das suas costelas, e cerrou a carne em seu lugar. E da costela que o Senhor Deus tomou do homem, formou uma mulher, e trouxe-a a Adão. E disse Adão: Esta é agora osso dos meus ossos, e carne da minha carne“ (Gn 2:21-23). Era assim, do mesmo sangue e da mesma carne de Adão. Podiam, portanto, se amar profundamente e viver na mais perfeita intimidade, em condições de servirem de modelo para todos os casais, em todas as épocas. Deus criou o casal: macho e fêmea (Gn 1:27), e como macho e fêmea (homem e mulher) foi que foram por Deus abençoados (Gn 5:2).

3. A mulher dada como auxiliadora. Disse mais o Senhor Deus: “Não é bom que o homem esteja só: far-lhe-ei uma adjutora (referindo-se à mulher) que esteja como diante dele” (Gn 2:18). 

Nota-se que Adão tinha a companhia dos animais, e até lhes deu nomes. Mesmo assim ele se sentia solitário porque nessa associação não havia igualdade e entendimento, pois nenhum dos animais criados podia nivelar-se ao homem. Adão precisava de alguém de sua própria espécie para servir-lhe de companhia e propiciar-lhe condições para o estabelecimento de diálogo, trocas de ideias, permanente comunicação e perfeita comunhão, tanto no amor como nas realizações. 

Para tanto, era necessário que essa companheira fosse também possuída de grandes virtudes. Foi o que Deus fez, deu a Adão uma valorosa mulher – Eva.

a) - Em relação à casa. A mulher cristã, que tem sua vida moldada na Palavra de Deus, não é, na realidade uma mulher qualquer, mas alguém que possui as melhores qualificações e virtudes. Ela prima pelo rigoroso asseio de sua casa e procura mantê-la em boa ordem. Trata a todos, de modo atencioso e cordial, deixando aos visitantes as belas impressões de seu zelo e cuidado. A esposa crente faz do seu lar um lugar agradável e feliz. b) - Em relação aos filhos. A mulher virtuosa não deixa de ser, concomitantemente, uma boa mãe. Não só cuida da educação dos filhos infundindo neles boas maneiras, auxiliando, com isto, ao marido, como também lhes dá a assistência, seja zelando pelo seu vestuário, seja cuidando de sua higiene corporal, ou orientando-os moral, social e espiritualmente. Observando a Palavra de Deus quando recomenda: “Instrui o menino no caminho em que deve andar, e, até quando envelhecer, não se desviará dele” (Pv 22:6).
 
___________


 
  LXII

JESUS CONVIDANDO
Mateus 8:22

Ao que Jesus lhe respondeu: “Segue-me e deixa que os mortos sepultem os seus próprios mortos”. Jesus domina as circunstâncias. (Mateus 9:9).

Saindo, viu Jesus um homem chamado Mateus, sentado na coletoria, e disse-lhe: “Segue-me!” Ele se levantou e o seguiu. (Mateus 16:24).

Então Jesus declarou aos seus discípulos: “Se alguém deseja seguir-me, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e me acompanhe. (Mateus 19:21).

Jesus disse a ele: “Se queres ser perfeito, vai, vende os teus bens, dá o dinheiro aos pobres, e terás um tesouro no céu. Depois, vem e segue-me.” (Marcos 2:14).

Enquanto andava, viu a Levi, filho de Alfeu, sentado à mesa da coletoria, e o chamou: “Segue-me!” Ao que ele se levantou e o seguiu. Jesus à mesa com pecadores. (Lucas 5:27).

Passados estes eventos, saindo Jesus, encontrou-se com um publicano, chamado Levi, sentado à mesa da coletoria, e o convocou: “Segue-me!” (Lucas 9:59).

Entretanto, a outro homem fez um convite: “Segue-me!” Ele, contudo, argumentou: “Senhor, permite-me ir primeiramente sepultar meu pai.” (João 1:43).

No dia seguinte, Jesus decidiu ir para a Galileia. Quando encontrou a Filipe, disse-lhe: “Segue-me.” (João 12:26).

Se alguém me serve, precisa seguir-me; e onde estou, o meu servo também estará. Aquele que me serve será honrado por meu Pai. Jesus profetiza sua morte na cruz. (João 21:22).

Então Jesus lhe respondeu: “Se Eu desejar que ele fique vivo até que Eu volte, o que te importa? Entretanto, quanto a ti, segue-me!” (Ezequiel 47:9-10).

Por onde passar o rio haverá todo tipo de animais e de peixes. Porquanto essas águas límpidas fluem para lá e saneiam as águas salgadas; de modo que onde o rio passar tudo ganhará vida. (Marcos 1:17-18).

Então, dirigiu-se a eles Jesus dizendo: “Vinde em minha companhia, e Eu vos tornarei pescadores de pessoas.” …  (Lucas 5:10,11). assim como de Tiago e João, os filhos de Zebedeu, que eram sócios de Simão. Todavia, Jesus revela a Simão: “Não tenhas medo; a partir deste momento tu serás um pescador de vidas humanas.” … (1 Coríntios 9:20-22).

Tornei-me judeu para os judeus. Para os que estão subjugados pela Lei, tornei-me como se estivesse igualmente sujeito à Lei, embora eu mesmo não esteja debaixo da Lei, com o objetivo de ganhar aqueles que estão dominados pela Lei. …  (2 Coríntios 12:16).

Seja como for, não tenho sido um peso sobre vós; no entanto, como sou “ardiloso”, vos “conquistei com astúcia”

Alcenir Albertacci Jorge Albertacci


___________


 
 LXIII


INCENTIVO QUE NOS VEM DA PALAVRA DE DEUS

João 5:17

 "E Jesus lhes respondeu: Meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho também"

“Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor” (1Coríntios 15:58).
 
“Não desprezes o dom que há em ti, o qual te foi dado por profecia, com a imposição das mãos do presbitério. Medita estas coisas, ocupa-te nelas, para que o teu aproveitamento seja manifesto a todos. Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina; persevera nestas coisas; porque, fazendo isto, te salvarás, tanto a ti mesmo como aos que te ouvem”  (1Timóteo 4:14-16).
 
“Não trabalharão debalde, nem terão filhos para a perturbação, porque são a semente dos benditos do SENHOR, e os seus descendentes, com eles” (Isaías 65:23).
 
“Ninguém se susterá diante de ti, todos os dias da tua vida; como fui com Moisés, assim serei contigo; não te deixarei nem te desampararei. Esforça-te e tem bom ânimo, porque tu farás a este povo herdar a terra que jurei a seus pais lhes daria”  (Josué 1:5-6).
 
"Mas esforçai-vos, e não desfaleçam as vossas mãos, porque a vossa obra tem uma recompensa" (2 Crônicas 15:7).
 
"Porque virá tempo em que não sofrerão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências;  e desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas. Mas tu sê sóbrio em tudo, sofre as aflições, faze a obra de um evangelista, cumpre o teu ministério”  2Coríntios 4:3-5).
 
“Portanto, você, meu filho, fortifique-se na graça que há em Cristo Jesus. E as coisas que me ouviu dizer na presença de muitas testemunhas, confie a homens fiéis que sejam também capazes de ensinar a outros. Suporte comigo os sofrimentos, como bom soldado de Cristo Jesus. Nenhum soldado se deixa envolver pelos negócios da vida civil, já que deseja agradar aquele que o alistou” (2 Timóteo 2:1-4 - NVI).
 
"E agora o que tenho aqui?  Pergunta o Senhor. Pois o meu povo foi levado por nada, e aqueles que os dominam zombam", diz o Senhor. "E o dia inteiro o meu nome é constantemente blasfemado.  Por isso o meu povo conhecerá o meu nome; naquele dia eles saberão que sou eu que o previ. Sim, sou eu. Como são belos nos montes os pés daqueles que anunciam boas novas, que proclamam a paz, que trazem boas notícias, que proclamam salvação, que dizem a Sião: "O seu Deus reina!" (Isaías 52:5-7 – NVI).
 
 
A Escritura diz: Todo o que nele crer não será confundido {Is 28:16}. Pois não há distinção entre judeu e grego, porque todos têm um mesmo Senhor, rico para com todos os que o invocam, porque todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo {Jl 3:5}. Porém, como invocarão aquele em quem não têm fé? E como crerão naquele de quem não ouviram falar? E como ouvirão falar, se não houver quem pregue?

E como pregarão, se não forem enviados, como está escrito: Quão formosos são os pés daqueles que anunciam as boas novas {Is 52:7}?  Mas não são todos que prestaram ouvido à boa nova. É o que exclama Isaías: Senhor, quem acreditou na nossa pregação” {Is 53:1}?  (Romanos 10:11-16 – NVI).

 CONCLUSÃO

Sempre que pudermos, devemos fazer alguma coisa a bem da propagação do Reino de Deus, e quando não, fazer assim mesmo. Não nos custa nada, e ainda se custasse não faria diferença alguma, pois esta é nossa obrigação. Não como um sacrifício para que de Deus recebamos alguma coisa em troca, mas, simplesmente como um dever! Ou seja: como o dever!  Como o dever, porque, como servos de Deus que somos. Salvos através do sacrifício que nosso Senhor submeteu para nos libertar de todas as artimanhas do diabo, devemos, nós, todos os salvos, ser agradecidos e obedientes ao Seu duplo imperativo: Ide e Pregai e Ide e Ensinai.
 
Pr. Jorge Albertacci
Volta Redonda – 28/03/2015
Parte superior do formulário
 
 
 
 
 



 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 


 
 
 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal