O Carnaval e a Igreja de Deus - Estudos Bíblicos

Buscar
Ir para o conteúdo

Menu principal:

O Carnaval e a Igreja de Deus

Artigos

__________

O Carnaval e a Igreja de Deus

SUA HISTÓRIA

O  carnaval é a época dos divertimentos que abrange os dias próximos e anteriores à quaresma, particularmente os três dias que precedem a chamada quarta-feira de cinzas, no mês de fevereiro ou março de cada ano. Etimologicamente, o vocábulo "carnaval" "primitivamente designativo da terça-feira gorda, tempo a partir do qual a Igreja Romana suprime levare o uso da carne. Levare: rítimo, instumentos musicais, dança.
 
Petrocchi dá como étimo o baixo latim carnelevare, modificado depois em carne, vale! Adeus, carne! O velho pisano tinha carnelevare, o napolitano, kalnolevare; é possível, que tenha havido simples dissimilação. Stappers interpreta o baixo latim canelevamem como carnis levamem, prazer da carne, antes das tristezas e continências da quaresma, (doutrinas esposadas por seitas pagãs). Na verdade o termo que define o carnaval é carne levare; termo este que começou a circular por volta dos séculos XI e XII, para designar a véspera da quarta-feira de cinzas, em que se inicia a exigência da abstinência de carne, ou jejum quaresmal. Há os que afirmam que o carnaval teve sua origem entre os gregos e romanos, onde se costumava exibir um préstito em forma de nave dedicada ao deus Dionísio ou Baco, préstito ao qual em latim se dava o nome de curros navalis: de onde vem a forma carnavale.

NO BRASIL

O primeiro baile de carnaval foi realizado no dia 22 de Janeiro de 1841, na cidade do Rio de Janeiro, no Hotel Itália, localizado no antigo Largo do Rócio, atual Praça Tiradentes, por iniciativa dos proprietários do aludido Hotel. Italianos empolgados com o sucesso dos grandes bailes mascarados da Europa, dos quais tinham conhecimento, o que agradou em cheio também aos brasileiros - agradou tanto que muitos bailes se seguiram; mesmo porque em 1834 o gosto pelas mascarás já era acentuado no Brasil por causa da influência francesa.

No Brasil o carnaval se originou exclusivamente da Europa, sendo uma herança do entrudo português e das máscaras italianas, sendo que no início do século, foram acrescentados os elementos africanos, que contribuíram de forma definitiva para o seu desenvolvimento e originalidade.

Nessa época o carnaval apesar de não ser praticado como é hoje, já era uma festa extremamente violenta, era conhecido com entrudo. Nessas festas as pessoas guerreavam nas ruas, atirando água umas nas outras, através de bisnagas, farinha, pós de todos os tipos, cal, limões, laranjas podres e até mesmo urina. Em meio a tantas orgias, paganismo e obscenidade, houve uma não concordância entre a Igreja Romana e o carnaval, mas o que prevaleceu foi uma atitude de tolerância por parte da Igreja Romana quanto ao carnaval, até porque a liderança da Igreja romana não conseguiu eliminá-lo do calendário, e a solução então foi: Se não pode vence-los, junte-se a eles. Com isso, no século XV, a festa da carne, por assim dizer, foi inserida no calendário da Igreja Católica, sendo oficializado como a festa que antecede a abstinência da carne, requerida pela quaresma. Ainda no mesmo século XV, provavelmente movido pelo sucesso popular da festa, o papa Paulo II a incorporou no calendário cristão, passando a partir de então a patrocinar toda uma rica celebração antes do advento da quaresma.

Ainda numa atitude de coerência ao carnaval e em uma atitude de benevolência a esta nefanda orgia, o papa Paulo II, no século XV, permitiu para maior animação na Via Lata, rua fronteiriça a seu palácio e silenciosa durante o ano inteiro, que ali se realizasse o carnaval romano, com suas corridas de cavalos, carros alegóricos, batalhas de confetes, e uma animada luminária de tocos de vela, além da corrida de corcundas, do lançamento de ovos e de outras manifestações populares. Não apenas o carnaval popular foi organizado pelos papas. Paulo XIV promoveu uma terça-feira gorda, um lauto jantar onde compareceu o sacro colégio romano, e o festim regado a vinho pôde ser considerado uma das primitivas celebrações em salão fechado.

A SANTA BÍBLIA

As Escrituras Sagradas não dão amparo algum para a inconsequente iniciativa da Igreja Católica na tentativa de cristianizar o carnaval. As justificativas que foram apresentadas pela Igreja, foram as mais inconsequentes e infelizes. O Carnaval é um exemplo real da sobrevivência do paganismo, com todos os seus elementos presentes. É a explícita manifestação das obras da carne: adultério, prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, glutonarias, violência e outras coisas semelhantes.
O apóstolo São Paulo em sua carta aos Gálatas 5:19-20 declara inequivocamente que os que cometem tais coisas não herdarão o Reino de Deus.

A SANTIDADE

Em Ezequiel 44:23 está escrito: "E a meu povo ensinarão a distinguir entre o santo e o profano e o farão discernir entre o impuro e o puro." - Sendo o carnaval a expressão máxima daquilo que é profano, daquilo que é abominável aos olhos do Senhor, não é então prática para os santos que já foram alcançados pela maravilhosa salvação do nosso Deus participar.

É claro que temos que ensinar o povo não alcançados a distinguir entre o santo e o profano, mas fora da lama, sem participar da profanação, sem fazer quorum com essa orgia depravada. Há muitos lugares, onde durante o ano, que os servos do Senhor Jesus podem ensinar para os que ainda estão debaixo dessas avalanches.

Há quem justifique como estratégia evangelística a participação efetiva na nefanda festa do carnaval, desfilando com carros alegóricos e blocos "evangélicos" o que não deixa de ser uma tremenda associação com a profanação, é a mistura do santo com o profano sob pretexto de evangelização. Pergunta-se então: será que deveríamos frequentar a boates gays, sessões espíritas e casas de massagem, a fim de conhecer melhor a ação do diabo e investir contra elas?

COMPACTUANDO-SE COM OS QUE ENTREGAM A CHAVE DA CIDADE PARA O REI MOMO

Do outro lado, no outro extremo, está a corrente dos que preferem ficar enclausurados, nos retiros espirituais, deixam as igrejas vazias e às vezes até mesmo fechadas, a cidade vazia, parece que por conta do rei momo. Respeitando as opiniões dos que adotam tais ideias, devo dizer, que nos dias de carnaval, a Igreja do Senhor Jesus precisa estar acesa, viva como ela é viva, ativa, obreiros, músicos, corais, orquestras, todos na cidade, pregando, cantando, T E S T E M U N H A N D O, que Jesus Vive, que Ele está às portas para arrebatar a sua Igreja, investir em Folhetos, Evangelhos, Novos Testamentos, Bíblias, e todo o tipo de literatura que testemunha de Jesus. Promover reuniões evangelísticas nas residências dos irmãos, tirar a luz que está embaixo do alqueire e coloca-la sobre o velador; enfim, desenclausurar-se. (Jr 15:19) - Portanto, assim diz o SENHOR: Se tu voltares, então, te trarei, e estarás diante da minha face; e, se apartares o precioso do vil, serás como a minha boca; tornem-se eles para ti, mas não voltes tu para eles. O crente em Cristo é a boca de Deus! Sim o crente é a boca de Deus, ou então ele não é nada, mas como pode o crente ser a boca de Deus? A resposta está no versículo acima: separando o precioso do vil, apresentando seu corpo ao Senhor em sacrifício vivo, santo e A G R A D Á V E L a Deus - (Rm 12: 1-2) - Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis o vosso corpo em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.

O SAL DA TERRA

Os salvos por Cristo são o sal da terra, a Igreja do Senhor Jesus é o sal da terra - (Mt 5: 13) Vós sois o sal da terra; e, se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta, senão para se lançar fora e ser pisado pelos homens.  Em meio a tanta carne, se faltar o sal a deterioração será total. 

QUE FUNÇÃO TEM O SAL?

a) preserva, não deixando apodrecer;
b) promove vida;
c) tempera, equilibrando o sabor;
d) provoca a sede.  "E, no último dia, o grande dia da festa, Jesus pôs-se em pé e clamou, dizendo: Se alguém tem sede, que venha a mim e beba" (Jo:7:37). O carnaval, não pode alterar a rotina da Igreja, só se for no sentido de a Igreja intensificar ainda mais a sua ação.
O carnaval não pode influenciar a Igreja, a Igreja não é do mundo; a Igreja não é dirigida pelo deus deste presente século, a Igreja e norteada em todas as coisas pelo Espírito Santo de Deus - (1Co 4:34): "Mas, se ainda o nosso evangelho está encoberto, para os que se perdem está encoberto, nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que não lhes resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus".

A LUZ DO MUNDO

Os dias de carnaval, não são tão diferentes dos outros dias para os salvos, mas os dias de carnaval são dias de trevas mais densas, porque todas as atenções do mundo estão voltadas para aplaudir a essas aberrações. Há um grande alarido no arraial pela chegada do rei momo, e se os pastores não estiverem vigilantes, até mesmo as Igrejas ficam com suas atenções voltadas para o carnaval. Mas a Igreja do Senhor Jesus é a luz do mundo: (Mt 5:14) "Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte". Que exemplo nos dá o sol!!! Nasce pela manhã, alumia os monturos, os lixões atômicos, os lugares de podridões, os blocos carnavalescos; alumia a Igreja do Senhor Jesus, e à tarde se põe intacto como nasceu, sem se contaminar.

ULTRAJE AO QUE É SANTO

Como se já não bastasse a forma com que satanás com seus adeptos, procurassem ultrajar, vilipendiar o ano inteiro àquele que sem reclamar deu Sua vida para salvação do mais vil pecador, parece que nos dias de carnaval esse astuto usurpador, como se estivesse fechando o balanço do inferno, procurasse arregimentar todos os demônios do inferno, a juntar-se com todos os oprimidos da terra, para uma blasfêmia sem precedentes e sem medidas, contra tudo que é de Deus. Contra tudo o que é Santo. Procurando sem sucesso a denegrir a Igreja de Deus. Atentando contra a Célula Mater da sociedade que é a família, essa instituição divina, instituída ainda no Éden, pelo próprio Deus e sem o auxílio de oprimido nenhum, e que Deus tem primado por sua preservação em todas as dispensações, e hoje esse inimigo audaz tem tentado por todos os meios a acabar com ela.

Durante o ano, as pessoas que mais se projetam na sociedade através da televisão, parece não ter mais nada a apresentar a não ser vilipendiar a família, e culminando fazendo um fechamento infeliz no carnaval. Mulheres que se desnudam em plena via pública, diante das câmeras para o mundo inteiro, induzindo as crianças à sexualidade precoce, e promíscua, às drogas, à falta de respeito, à violência e enfim à morte precoce. Resultados do Carnaval: Só no ano de 1999 foram registrados, pela Polícia Rodoviária Federal, 2468 acidentes nas estradas do país, com 150 mortos e mais de 550 feridos.
__________


BIBLIOGRAFIA

Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa;
Enciclopédia Britânica - 1978 - Vol. 04;
Defesa da Fé - ICP - Vol. 31;
O Santo e o Profano - Pastor Jorge Linhares;
As citações bíblicas foram da Edição Revista e Corrigida - 1995 - SBB.
Em 07 de Fevereiro de 2002
Pr. Jorge Albertacci
Assembleia de Deus do Retiro - Volta Redonda - Rio de Janeiro
 
 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal