Tirados Para Fora - Estudos Bíblicos

Buscar
Ir para o conteúdo

Menu principal:

Evangelismo e Missões
TIRADOS PARA FORA
Mateus 5:15-16

Não se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas, no velador, e dá luz a todos que estão na casa. Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem o vosso Pai, que está nos céus. 

INTRODUÇÃO

Fomos tirados para fora, para conquistar as almas para o Reino de Deus: Com nossa pregação - Com nosso o cântico - Com a nossa oração – Com a nossa misericórdia – Com o nosso amor – Com a nossa compaixão – Com nosso o sentar – Com o nosso levantar – Com o nosso sorriso – Com o nosso choro – Com o nosso modo de chegar – Com o nosso modo de estar – com o nosso modo de sair – Com a nossa roupa – Com as nossas atitudes – Com o nosso caráter – Com o nosso zelo – Com o nosso apego à Palavra do Senhor – Com a nossa abnegação – Com nossa a humildade – Com o nosso desprendimento para com as coisas efêmeras deste mundo.

O DEVER DE CADA CRENTE

Como Igreja de Cristo, nosso dever é estar voltado para fora. Cada crente é uma extensão da Igreja. Muitos fios energizados juntos pode formar curto circuito. É lá fora que está o povo que carece da presença da Igreja. É lá fora que estão as pessoas carentes de uma visita. É lá fora que existe muitos e muitas que precisam da oração da Igreja, mas que, nunca a receberão, porque estes jamais entrarão na Casa De Deus.

A IGREJA, SUA ABRANGÊNCIA E A CHAMA PENTECOSTAL

A Igreja não é uma comunidade fechada, não, nunca - seus membros a representa em todos os bairros das cidades. Levando a Palavra e observando a necessidade das pessoas. Em Lucas 24:49, Jesus ordenou que seus discípulos ficassem na cidade – porque Ele tinha em vista o Dia de Pentecostes no qual eles seriam revestidos de poder, para depois, saírem a proclamar as Boas Novas de Salvação. O Movimento Pentecostal teve sua origem no Dia de Pentecostes, quando o Espírito Santo foi derramado sobre a Igreja (At 2:2). Desde então a chama do Espírito Santo tem se mantido acesa nos corações de muitos crentes ao longo dos anos. Ela chegou ao Brasil com os missionários Daniel Berg e Gunnar Vingren. Não podemos deixar que esta chama se apague!

O ESPÍRITO SANTO DE DEUS

A Bíblia nos rele que o Espírito Santo é um Ser pessoal que busca relacionar-se com o homem. No desenvolvimento deste relacionamento, o Espírito Santo protagoniza o papel de condutor da Igreja. Sob Sua direção, a Igreja caminha na “estrada” da Graça de Deus buscando ser a principal testemunha de Jesus Cristo de Nazaré. O Espírito Santo é a Terceira Pessoa da Trindade Santíssima e, à semelhança do Pai e do Filho, é Deus.

A OBRA DO ESPÍRITO

Ele convence, faz nascer de novo e habita no crente (Jo 16.7-11; 3.3-6; 14:16-17). Ele influencia, purifica e liberta (Rm 8:8-11: 2 Ts 2:13-17: Rm 8:1-4). Ele capacita para o testemunho (At 1:8; Jo 1:12-33). Ele edifica, inspira para adoração e envia (Ef 2:20-22; Fp 3:3; At 13:2-4).
|...| O Espírito de Deus nos guia para a revelação da verdade se nós assim o permitirmos. Se tivermos o desejo de dar frutos, então devemos deixá-lo que nos guie porque Ele nos conduzirá até a verdade. Se deixarmos o Espírito ser o nosso consolador e guia, isso nos ajudará quando estivermos passando pelos momentos difíceis de nossas vidas” (Moody). No Dia de Pentecostes, o Espírito Santo foi derramado sobre a Igreja (At 2:2), enchendo a todos aqueles crentes e batizando-os, tal como prometera o Senhor (Lc 24:49; At 1:5). Após o Pentecostes, os discípulos passaram a pregar e a evangelizar vigorosa e eficazmente, alcançando Israel e as nações gentias sem impedimento algum (At 28:31).

CONCLUSÃO

Busquemos o poder do alto; mantenhamos acesa a chama pentecostal. O autêntico pentecostes leva o crente a evangelizar com poder e dinamismo, a orar e a contribuir para a obra missionária. Precisamos do Espírito atuando poderosamente em nosso meio. Caso contrário, corremos o risco de compactuar com o mundo (Rm 12:2; 1 Jo 2:15). Laodiceia tornou-se intragável, porque havia se tornado espiritualmente morna (Ap 3:15b). Busquemos, pois, o poder do alto, e lancemo-nos à conquista do mundo para Cristo no poder do Espírito Santo (At 1:8). Precisamos conhecer melhor o Espírito Santo, pela nossa total e continua rendição e comunhão com Ele para entendermos devidamente suas manifestações. Ele não é um mero símbolo ou uma energia celestial. É a Terceira Pessoa da Santíssima Trindade. Ele é Deus. Como Igreja de Cristo, mantenhamos a comunhão com o Espírito Santo, o Espírito de santidade e de vida, a fim de preservar os ensinos e os valores bíblicos que fundamentam a fé pentecostal. Fonte de Pesquisa: LB – CPAD – 03 de Abril de 2011Comentarista: Elienai Cabral.

Jorge Albertacci
Assembleia de Deus do Retiro
Volta Rednda - RJ
 
 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal