Acaz, o Rei que não honrou o que lhe fora confiado - Estudos Bíblicos

Buscar
Ir para o conteúdo

Menu principal:

Acaz, o Rei que não honrou o que lhe fora confiado

Esboço III > Esboço IV
___________


ACAZ, O REI QUE AGIU MAL
2Reis 16:1-20

INTRODUÇÃO

Acaz foi o décimo segundo rei de Judá, que reinou quatro anos junto com Jotão seu pai, e depois, sozinho, reinou mais dezesseis, (736-716 a.C.). Teve uma oportunidade excelente para fazer o melhor para essa nação e para Deus, só que, agiu de forma relaxada, e foi qualificado como um dos piores reis de toda a história de Judá (2Cr 28). O povo de Judá havia experimentado prosperidade e sucesso sob a vigorosa liderança de Azarias e Jotão. Os pecados da luxúria e a despreocupação das classes governantes foram veementemente condenados por Isaías e outros profetas. Durante o reinado de Acaz a iniquidade e a incredulidade transformaram-se em uma ultrajante idolatria, particularmente em relação ao próprio rei. Dessa forma, o ataque sírio-israelita aconteceu como um juízo divino sobre a pecadora Judá (2Cr 28:5-7). O apelo de Acaz aos assírios pode ser entendido como um ato arrogante de um rei generoso que se recusava a entender a vontade de Deus.

ESBOÇO

01. O perigo de mudarmos os moldes estabelecidos por Deus para celebração do culto divino, e Acaz fez isso, mudou! Acaz teve o privilégio de chegar a rei de Judá. Tribo da qual descenderia Jesus, que privilégio! V. 1-2;

02. Seu nome, Acaz, é uma forma abreviada de Jeoacaz, significando "Que Jeová se Apodere; Jeová se Apoderou.” Segundo consta, seu nome era Jeoacaz que tem a ver com Jeová; e que a omissão do início que denota Jeová, foi devido a tanta abominação por ele praticada;

03. Ao invés de preservar os marcos eternos, andou segundo os reis corruptos de outras nações: Jeorão (2Rs 8:18), Acazias (2Rs 8:27) e Joás (2Cr 24:18);

04. Seguindo o exemplo dos reis de Israel, chegou ao absurdo de queimar seu filho vivo em holocausto, ato que na época era tremendamente abominável aos olhos do Senhor. Lv 18:21 - 2Cr 28:3 - Jr 19:5 – 2Rs 15:9, 18, 24 e 28 – Dt 12:31; 2Rs 3:27; 17:31;

05. Entrou em aperto com as nações vizinhas Vv 5-6. Sentiu-se impotente. Não se preparou para enfrentar o dia mau quando aparecesse. Acaz dedicou-se ao culto a Moloque, isto é, começou a realizar sacrifícios humanos fazendo que estes  passassem pelo fogo. Tal procedimento, imitado anos mais tarde pelos israelitas, era sempre fortemente condenado pelos profetas (23:10; Jr 7:31 e Ez 16:21).

06. Foi pedir socorro exatamente onde não devia, a Tiglate-Pileser, rei da Assíria, ao invés de restaurar o culto a Deus, buscando um renovo V. 7. No aperto, Acaz enviou mensageiros a Tiglate-Pileser, com ouro e prata dos tesouros do Templo e do palácio para persuadi-lo a ajudar Judá que estava sob o ataque da Síria e de Israel. Estes bens materiais haviam sido acumulados como ofertas ao Templo e rendimentos públicos do palácio, embora anteriormente esses valores tivessem sido exauridos por várias vezes de forma semelhante (1 Rs 14:26; 15:18; 2 Rs 12:18).
 
07. Se auto qualificou não somente como servo, mas, também como filho de Tiglate-Pileser. V. 7. Observemos a que ponto que o desleixo  levou o rei de Judá! Maldito aquele que fizer a obra do Senhor relaxadamente” (Jeremias 48:10);
 
08. Tiglate-Pileser o ajudaria, desde que todos os símbolos políticos e religiosos fossem mudados. Profanando os costumes de Judá. V. 18;
 
09. Mesmo assim, Deus fala com Acaz através de Isaías 7:3-4 e Amós 9:7;
 
10. O pior, presenteou ao rei da Assíria com a prata e o ouro do Templo do Senhor e do palácio. Vs 8-9. Agora Acaz vai a Damasco, encontrar-se com Tiglate-Pileser. Na viagem ele viu um altar pagão e se encantou com ele. V 10. Pior ainda, se interessou por ele;

11. Arquitetou esse altar pagão, passou à semelhança, e o desenhou para o sacerdote Urias V. 10-11;

12. Desprezou o Altar do Senhor. Formou altos por todo estado;

13. Cortou as cintas da base, alterando assim a estrutura de onde se oferecia sacrifico e ofertas a Jeová;

14. Pagou tributo a reis ímpios;

15. Por fim, o rei de Judá se tornou vassalo do grande inimigo da Nação Santa, Judá, o que no final lhe causou grande transtorno. 2Cr 28:18-21.

CONCLUSÃO

Todos os que receberam, em uma cidade, estado, em um país, ou no Templo de Senhor, qualquer obra para fazer e as fizeram relaxadamente, seus nomes ficaram na história como mordomos infiéis. E esse modo de administrar de forma relaxada nunca deu resultado positivo a esses administradores. Jr 48:10.

A TERRÍVEL EXPERIÊNCIA DE DAVI

- Davi ficou no palácio quando deveria estar na guerra - 2Sm 11:1;

- Traiu Urias - 2Sm 11:7;

- Davi caiu em adultério - 2Sm;

- Davi provocou a morte de Urias, praticou homicídio - 2Sm 11:5;

- Davi, teve seu reinado marcado de sangue;

- Perdeu a visão das coisas;

- Permitiu que Jonadabe aninhasse com seus filhos;

- Estupro e incesto entre Amom e sua irmã Tamar, ambos filhos de Davi;

- Com isto Absalão assassina seu irmão Amom;

- Absalão entra em atrito com o pai (Davi) tenta tomar-lhe o lugar e morre na peleja;

- O lamento de Davi: Ah! Quem me dera asas como de pombas! Voaria e estaria em descanso. Sl 55:6.
___________


Por Pr. Jorge Albertacci 
Assembleia de Deus do Retiro 
Volta Redonda - Rio de Janeiro
 
 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal