Intimidade com Jesus - Estudos Bíblicos

Buscar
Ir para o conteúdo

Menu principal:

Intimidade com Jesus

Estudos Bíblicos
Texto Sagrado
João 21:20-25
 
A ESCOLHA DE DOZE COMPANHEIROS

Jesus chamou doze homens para como ser seus discípulos e aprender dele. Estes seriam seus companheiros por onde quer que ele fosse. Formando assim uma comunidade que a partir de então, conviveria com Jesus literalmente. Que privilégio! Com Estes o Mestre formou o colégio apostólico.

UM PONTO IMPORTANTE A RESSALTAR

Esses doze homens deixaram tudo para seguir a Jesus, estar do seu lado e serem seus companheiros em quaisquer circunstâncias das suas vidas. Mas, sem contar com riquezas materiais, até mesmo porque, Jesus não tinha nada material que lhes fosse interessante. Condição esta, que está patente na resposta para o homem que disposto lhe propôs:  E aconteceu que, indo eles pelo caminho, lhe disse um: Senhor, seguir-te-ei para onde quer que fores. E disse-lhe Jesus: As raposas têm covis, e as aves do céu, ninhos, mas o Filho do Homem não tem onde reclinar a cabeça - (Lc 9:57-58).
 
A Bíblia recomenda que busquemos primeiro o Reino de Deus e sua justiça, assim, todas as demais coisas nos serão acrescentadas (Mt 6:33). A resposta de Jesus a esse homem deve ter sido como se derramasse  um balde de água fria sobre sua cabeça. Creio que ele não esperava uma resposta nestes termos.

O QUE LHES MOTIVOU A SEGUIR O MESTRE

Eles viram que Jesus tinha intimidade com o Pai e essa intimidade é que fazia toda diferença. Essa intimidade lhes chamou atenção e lhes convenceu, porque nada mais importante na vida do que ter intimidade com Deus! E Jesus tinha!

CLASSIFICANDO OS DISCÍPULOS

Entre os doze discípulos, à luz da Palavra, podemos destacar três grupos:

I - os seguidores;
II - os amigos;
III - os íntimos dele.

OS SEGUIDORES

Os seguidores gostavam de Jesus, mas não com aquele amor profundo. Acreditavam nos milagres e para eles era o suficiente. Não queriam mais nada de Jesus, somente os milagres lhes satisfaziam. Andavam pela razão. É importante notar que hoje grande parte das Igrejas estão assim, em busca somente dos milagres. Estes eram nove discípulos.

OS AMIGOS
 
Enquanto que os amigos davam tudo por Jesus, andavam pelo amor que nutriam e não simplesmente pela razão. Jesus mostrava coisas profundas só para eles, como a Transfiguração, por exemplo. Eles iam onde ninguém mais ia, faziam o que ninguém teria coragem de fazer. Não tinham medo de errar, e se errassem pelo menos haviam tentado - como no caso de Pedro que não hesitou em andar sobre as ondas do mar, quase que se afunda, entretanto, teve uma experiência que ninguém mais teve. Eles queriam Jesus e só Jesus, nada mais lhes importava, esses eram três discípulos.

OS ÍNTIMOS

Dos íntimos, não houve mais do que um, João - este desejou ter mais que amizade, ele precisava de intimidade com Jesus. Na ceia, ele estava perto, juntinho do Senhor, os amigos também, mas, João queria mais, assim ele ia se achegando cada vez perto do Mestre, ao ponto de recostar a cabeça no seu ombro. O que a princípio pode até parecer mal aos olhos carnais, mas pensemos bem: mesmo nos dias de hoje quando alguém vê dois homens tão próximos, logo, já se enche de malicia suas mentes. Imaginemos naquele tempo, dois homens com tal intimidade diante de um povo severo e de leis tão duras.

Vemos que João fazia a diferença pela intimidade que tinha com Jesus a ponto de Pedro se importar com ele. Quando Jesus fazia recomendações importantes a Pedro – ao invés dele se interessar por saber mais e mais do Mestre, pois lhe era uma oportunidade sem igual, ele começou a especular sobre o aconteceria com João! Que coisa mais estranha!
 
“E Pedro, voltando-se, viu que o seguia aquele discípulo a quem Jesus amava, e que na ceia se recostara também sobre o seu peito, e que dissera: Senhor, quem é que te há de trair? Vendo Pedro a este, disse a Jesus: Senhor, e deste que será? Disse-lhe Jesus: Se eu quero que ele fique até que eu venha, que te importa a ti? Segue-me tu. Divulgou-se, pois, entre os irmãos o dito de que aquele discípulo não havia de morrer. Jesus, porém, não lhe disse que não morreria, mas: Se eu quero que ele fique até que eu venha, que te importa a ti?” – (João 21:20-23).

Pedro perguntou a Jesus o que aconteceria com João. Jesus lhe respondeu que não se preocupasse com esse assunto, pois não era da sua competência. É comum termos a infeliz tendência de comparar a nossa vida com a dos outros, querendo, de certa forma, cogitar o nosso nível de devoção a Cristo ou até mesmo questionar a justiça de Deus. Jesus pode nos responder da mesma forma que respondeu  a Pedro: “que te importa a ti, segue-me tu”

OS TRAIDORES
 
Estes conforme a própria qualificação já indica, são indivíduos sem misericórdia, egoístas incomplacentes. Quanto ao trabalho até que fazem alguma coisa, mas sempre com disposição para murmurar. São cobradores que cobram dos outros o que eles mesmos não pagam.  Um exemplo sobre os traidores, temos na passagem bíblica a seguir:

“Aproximou-se dele uma mulher com um vaso de alabastro, com unguento de grande valor, e derramou-lho sobre a cabeça, quando ele estava assentado à mesa. E os seus discípulos, vendo isso, indignaram-se, dizendo: Por que este desperdício? Pois este unguento podia vender-se por grande preço e dar-se o dinheiro aos pobres. Jesus, porém, conhecendo isso, disse-lhes: Por que afligis esta mulher? Pois praticou uma boa ação para comigo. Porquanto sempre tendes convosco os pobres, mas a mim não me haveis de ter sempre. Ora, derramando ela este unguento sobre o meu corpo, fê-lo preparando-me para o meu sepultamento. Em verdade vos digo que, onde quer que este evangelho for pregado, em todo o mundo, também será referido o que ela fez para memória sua. Então, um dos doze, chamado Judas Iscariotes, foi ter com os príncipes dos sacerdotes” – (Mateus 26:7-14, 47).
 
Em resposta à mensagem de Jesus, muitas pessoas o deixaram, outras permaneceram e creram verdadeiramente, e algumas, como Judas, permaneceram, mas tentaram usar Jesus para satisfazer sua cobiça. Muitas pessoas hoje deixam a Cristo. Outras fingem segui-lo, indo à igreja para melhorar a sua condição social, para ter a aprovação da família e dos amigos ou ainda para estabelecer contatos comerciais. Mas há somente duas respostas verdadeiras a Jesus: ou você o aceita ou rejeita. Como você tem correspondido a Cristo - (João 6:65-71).

“Respondeu-lhe Jesus: Não vos escolhi a vós os doze? E um de vós é um diabo. E isso dizia ele de Judas Iscariotes, filho de Simão, porque este o havia de entregar, sendo um dos doze” – (João 6:70-71).

OS ÍNTIMOS SÃO LEMBRADOS TAMBÉM NA HORA DA MORTE

“Ora, Jesus, vendo ali sua mãe e que o discípulo a quem ele amava estava presente, disse à sua mãe: Mulher, eis aí o teu filho” Entre as sete Palavras da Cruz, uma referiu-se a João! E a recomendação foi sobre sua  mãe, Maria – (João 19:26).

OUTROS QUESTIONAMENTOS

Ainda hoje, oprimidos no mundo inteiro procuram deturpar a intimidade que havia entre João e seu Mestre. Mas, entre todos, João foi o único discípulo que não morreu de forma brutal, morreu por velhice e quando Jesus o chamou para si.

VOCÊ TEM INTIMIDADE COM DEUS

Senão tem, procure ter intimidade com ELE, nossa felicidade aqui na terra e no porvir, depende unicamente da nossa INTIMIDADE COM DEUS.

BIBLIOGRAFIA

Bíblia Sagrada SBB 3.0 – RC – 1995 – Rio de Janeiro

Intimidade com Deus -  Joy Dawson
 
Pr. Jorge Albertacci
Assembleia de Deus em Volta Redonda
Rua Engenheiro Joaquim Cardozo, nº 448 – Bairro Retiro
CEP  27275-130 – Volta Redonda – Rio de Janeiro

Em 23/01/2007
 
 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal