Jesus e a serpente de metal - Estudos Bíblicos

Buscar
Ir para o conteúdo

Menu principal:

Jesus e a serpente de metal

Mensagens Bíblicas
JESUS E A SERPENTE DE METAL

E, como Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do Homem seja levantado, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna - (João 3:14-15 – ref.: Números 21:7-8).
 
INTRODUÇÃO
 
Todas as vitórias que o os hebreus tiveram em sua peregrinação, a partir da escravidão no Egito até à terra que Deus dantes lhes havia preparado, Canaã, prefiguram o Cordeiro de Deus, Jesus, que viria. E esta constante do texto supracitado, foi uma delas. Embora este relato seja desacreditado por alguns críticos, os estudiosos conservadores creem que este fato é realmente um dos grandes milagres do pré-Calvário do Antigo Testamento, sendo, inclusive, o Senhor Jesus Cristo a autoridade suprema, considerando Sua alusão a este assunto, quando disse: E como Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do Homem seja levantado, para que todo aquele que Nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna" - (João 3:14-15).
 
COMENTÁRIO
 
Eles haviam murmurado contra Deus com reclamações ilógicas, o que causou grande dano, inclusive com mortes de muitos deles. O próprio Deus permitiu que uma infestação de serpentes peçonhentas os amofinasses, o que os levou a compreensão do erro cometido. O livramento deles veio pela orientação de Deus a Moisés, para que este levantasse uma serpente de metal em uma haste, e todos que fossem ofendidos pelas serpentes ardentes, bastava simplesmente olhar para a de metal e assim estariam livres dos danos provocados pelos venenos das cobras, e assim foi feito.
 
Mediante as palavras de Jesus em João 3:14-15, ficou bem claro que todos quantos forem alcançados pelos danos provocados pelo pecado, é somente olhar para Ele – olhar para Ele com confiança para assim ficarem livres. A serpente de bronze era tipo de Jesus que, quando erguido na cruz, trouxe salvação e vida espiritual a todos que olham pela fé. Há também neste relato do Antigo Testamento a verdade de que "o semelhante cura o semelhante". Deus providenciou uma serpente milagrosa de metal para curar a infecção mortal causada pelo veneno das serpentes ardentes. A Escritura fala sobre Jesus: "Pelas Suas pisaduras fomos sarados. [...]. O Senhor fez cair sobre Ele a iniquidade de nós todos" (Isaías 53:5-6). Tambbém diz: "Àquele que não conheceu pecado, [Deus] o fez [Cristo] pecado por todos nós; para que Nele fóssemos feitos Justiça de Deus". (2Coríntios 5:21; cf. Romanos 8:3). 
 
Todavia, seria bom se olhássemos para Ele enquanto estamos vivos, porque depois de mortos, como olharemos? De jeito nenhum! Neste caso, olhemos para Jesus, não simplesmente hoje, mas, agora - agora mesmo, porque daqui a pouco pode ser tarde demais.
 
PREGAÇÕES MOTIVACIONAIS
 
Tenho, visto e ouvido, a maioria das pregações hoje sendo simplesmente motivacionais. Claro que reconheço que do Gênesis ao Apocalipse, “Toda Escritura divinamente inspirada é proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça” 2 Timóteo 3:16.
 
Mas, entendo também que o nome de Jesus é sobre todos os nomes. Ouço lindas pregações, mas, tão simplesmente enfatizando as proezas de Moisés, de Davi, quando venceu o gigante, de Sansão, bem como de muitos outros, sem proferir o nome de Jesus nenhuma vez.
 
As pregações simplesmente motivacionais levam as pessoas a ficarem animadas com mais facilidade, mas, não é a forma correta, a não ser - a não ser, que estas motivações sejam promovidas em o nome santo de Jesus Cristo.
 
Claro que os feitos dos personagens da Bíblia devem sim serem sempre lembrados em nossas pregações, mas, direcionando a mensagem sempre a Jesus, assim como, esses personagens também fizeram. Enaltecer o nome de Jesus deve ser o precípuo tema da nossa pregação. Nossa pregação deve ser sempre no sentido de orientar o povo a olhar para Jesus. Estarem atentos, olhando para cima, como recomendou Paulo aos Colossenses 3:1-4:  "Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus.  Pensai nas coisas que são de cima e não nas que são da terra;  porque já estais mortos, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus.  Quando Cristo, que é a nossa vida, se manifestar, então, também vós vos manifestareis com ele em glória." Às vezes ouço pregadores tentando expulsar demônios no nome dos anjos Gabriel e Miguel. Claro que estes anjos têm suas funções diante de Deus para momento especiais. Mas, o nome indicado para expulsar demônios, curar os enfermos, libertar os oprimidos, alegrar os tristes, levantar os caídos, fortalecer os fracos, é somente o nome de Jesus, porque, “em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos” Atos 4:12 – “Quem te não temerá, ó Senhor, e não magnificará o teu nome?  Porque só tu és santo; por isso, todas as nações virão e se prostrarão diante de ti, porque os teus juízos são manifestos” Apocalipse 15:4.
 
CONCLUSÃO
 
As Escrituras nos exortam a todo momento para que estejamos sempre com os nossos olhos voltados para Jesus. Disto falou Isaías: “Olhai para mim e sereis salvos, vós, todos os termos da terra; porque eu sou Deus, e não há outro.” (Isaías 45:22).
 
Quando tiramos nossas atenções de Jesus, incorremos no perigo de perdermos o rumo. Ele deve ser  o centro das atenções de todos os crentes – não somente para a salvação, que é a nossa bênção maior, mas, para que, enquanto estivermos neste mundo possamos desfrutar de todas as bênçãos advindas Dele e podermos contar com Sua indispensável presença em todos os momentos das nossas vidas.  Ainda hoje aquelas serpentes peçonhentas podem ser representadas pelo pecado que nos rodeia diuturnamente tentando nossa derrota perante Deus. Tentando nos enfermar e tirar de nós a comunhão que temos com Deus, trazida a este mundo atravéns do alto preço pago por Jesus, lá na sangrenta cruz.
 
Fiquemos com a recomendação do escritor aos Hebreus: “Portanto, nós também, pois, que estamos rodeados de uma tão grande nuvem de testemunhas, deixemos todo embaraço e o pecado que tão de perto nos rodeia e corramos, com paciência, a carreira que nos está proposta, olhando para Jesus, autor e consumador da fé, o qual, pelo gozo que lhe estava proposto, suportou a cruz, desprezando a afronta, e assentou-se à destra do trono de Deus” (Hebreus 12:1-2.
 
Que o amor de Deus Pai, a graça salvadora de nosso Senhor Jesus Cristo e a sublime e dece comunhão do Espírito Santo de Deus sejam com todos os salvos, Amém!
  
Jorge Albertacci
Pastor Emérito da Igreja Evangélica Assembleia de Deus do Retiro
Volta Redonda - Rio de Janeiro
 
 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal