Quem nos separará do amor de Cristo? - Estudos Bíblicos

Buscar
Ir para o conteúdo

Menu principal:

Quem nos separará do amor de Cristo?

Esboço II
Rm 8:31-39
 
Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada?

INTRODUÇÃO
 
O amor da humanidade é inconstante, é inconsequente, é frio, e às vezes até interesseiro, mas o de Cristo não. Cristo nos amou de forma incondicional. Ele não muda e nem mudará. Foi por amor que Ele veio a este mundo – foi por amor que Ele sofreu e morreu por todos nós. Não corresponder a este amor, constitui-se na maior ingratidão que o ser humano pode cometer, ficando, inclusive, sujeito ao Juízo de Deus na consumação dos tempos - (João 13:1; Hebreus 13:8).
 
ESBOÇO

1. QUEM? Esta pergunta de Paulo leva-nos a subentender que ele já está afirmando que ninguém poderá nos separar do amor de Cristo. Em Cristo encontramos o mais pleno apoio em todos os aspectos das nossas vidas! O homem sem o amor de Cristo está irremediavelmente perdido. Daí a intorogação: Quem?
 
2. A TRIBULAÇÃO? Paulo gloriava-se nas tribulações e se alegrava nas fraquezas. “E não somente isto - prosegue o apóstolo: mas também nos gloriamos nas tribulações, sabendo que a tribulação produz a paciência;  e a paciência, a experiência; e a experiência, a esperança.   E a esperança não traz confusão, porquanto o amor de Deus está derramado em nosso coração pelo Espírito Santo que nos foi dado” – (Romanos 5:3-5).
 
3. A ANGÚSTIA? No grego, angústia significa grande sofrimento físico ou da alma. Ansiedade acompanhada de opressão. Inquietude profunda que oprime o coração da pessoa.  “Andando eu no meio da angústia, tu me revivificarás; estenderás a mão contra a ira dos meus inimigos, e a tua destra me salvará” - (Salmos 138:7).  “Porque, em muita tribulação e angústia do coração, vos escrevi, com muitas lágrimas, não para que vos entristecêsseis, mas para que conhecêsseis o amor que abundantemente vos tenho” - (2 Coríntios 2:4).
 
4. A PERSEGUIÇÃO? Muitos fogem quando perseguidos, mas Paulo não, Paulo, enfrentava assim mesmo!  “Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o Reino dos céus” - (Mateus 5:10). Assim como Paulo, todos os que se dispuseram a trabalhar em prol do Reino de Deus deve ter consciência das Palavras de Jesus neste versículo.
 
5. A FOME? Alguns dizem não ter tempo para Cristo, pois tem que trabalhar para comer. Jesus disse que não só de pão vive o homem. Sem a ajuda da parte de Deus, o homem pode trabalhar dia e noite que não terá o sustento necessário para seu corpo físico.

“Até esta presente hora, sofremos fome e sede, e estamos nus, e recebemos bofetadas, e não temos pousada certa,  e nos afadigamos, trabalhando com nossas próprias mãos; somos injuriados e bendizemos; somos perseguidos e sofremos;  somos blasfemados e rogamos; até ao presente, temos chegado a ser como o lixo deste mundo e como a escória de todos. Não escrevo essas coisas para vos envergonhar; mas admoesto-vos como meus filhos amados.  Porque, ainda que tivésseis dez mil aios em Cristo, não teríeis, contudo, muitos pais; porque eu, pelo evangelho, vos gerei em Jesus Cristo. Admoesto-vos, portanto, a que sejais meus imitadores” – 1Coríntios 4:11-16. Esta era a visão e este o entendimento de Paulo, que depois de sofrer todas estas coisas, encerrou sua carreira com a seguinte expressão: “Combati o Bom Combate”
 
6. A NUDEZ? Não impediria Paulo de falar de Cristo. “Em trabalhos e fadiga, em vigílias, muitas vezes, em fome e sede, em jejum, muitas vezes, em frio e nudez” - 2Coríntios 11:27.
 
Paulo estava descontente porque os falsos obreiros haviam impressionado e enganado os coríntios (2Coríntios 11:13-15). Então restabeleceu sua credibilidade e autoridade listando as provas que suportou servindo a Cristo. Algumas delas estão registradas no livro de Atos dos Apóstolos. Nos tempos de Paulo a viagem marítima não era tão segura como hoje. Paulo sofreu três naufrágios, e enfrentaria um outro acidente durante sua viagem à Roma (Atos 27). Até este ponto, Paulo provavelmente tenha feito ao menos oito ou nove viagens - 2 Coríntios 11:28-29 - Paulo não enfrentou apenas açoites e perigos, enfrentou também a falta de abrigo e de roupas necessárias para o agasalho.
 
7. O PERIGO? Em suas viagens os perigos eram constantes - 2Coríntios 11:26-28: Em viagens, muitas vezes; em perigos de rios, em perigos de salteadores, em perigos dos da minha nação, em perigos dos gentios, em perigos na cidade, em perigos no deserto, em perigos no mar, em perigos entre os falsos irmãos; em trabalhos e fadiga, em vigílias, muitas vezes, em fome e sede, em jejum, muitas vezes, em frio e nudez. Além das coisas exteriores, me  oprime cada dia o cuidado de todas as igrejas.
 
8. A ESPADA? Paulo corria o risco constante de morte - Atos 23:12-15: Quando já era dia, alguns dos judeus fizeram uma conspiração e juraram dizendo que não comeriam nem beberiam enquanto não matassem a Paulo. E eram mais de quarenta os que fizeram esta conjuração. Estes foram ter com os principais dos sacerdotes, anciãos e disseram: Conjuramo-nos, sob pena de maldição, a nada provarmos até que matemos  Paulo. Agora, pois, vós, com o conselho, rogai ao tribuno que vo-lo traga amanhã, como querendo saber mais alguma coisa de seus negócios, e, antes que chegue, estaremos prontos para o matar.
 
EM CRISTO SOMOS MAIS DO QUE VENCEDORES
 
1. SOBRE A MORTE:Para Paulo a morte era lucro Filipenses 1:21 - Porque para mim o viver é cristo, e o morrer é ganho.
 
2. SOBRE A VIDA:As dificuldades eram muitas, mas nem por isto dava para perder o ânimo.
 
3. SOBRE OS ANJOS:Nem estes podem nos separar.
 
4. SOBRE OS PRINCIPADOS: - Porque não temos que lutar contra carne e sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais. Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes - Efésios 6:12.
 
5. CONTRA AS COISAS PRESENTES: – São aquelas de qualquer ordem que enfrentamos no nosso dia a dia.
 
6. CONTRA AS COISAS FUTURAS: - Estas estão nas mãos do Senhor  - “Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal” - (Mateus 6:34).
 
7. CONTRA A ALTURA E A PROFUNDIDADE: – Entre o céu e a terra, nada pode impedir o Senhor Jesus de vir nos salvar. Nem as profundezas do vasto mar.
 
Para onde me irei do teu espírito, ou para onde fugirei da tua face? Se subir ao céu, lá tu estás; se fizer no inferno a minha cama, eis que tu ali estás também. Se tomar as asas da alva, se habitar nas extremidades do mar, até ali a tua mão me guiará e a tua destra me susterá. Se disser: Decerto que as trevas me encobrirão; então a noite será luz à roda de mim. Nem ainda as trevas me encobrem de ti; mas a noite resplandece como o dia; as trevas e a luz são para ti a mesma coisa. Salmos 139:7-12
 
CONCLUSÃO
 
A não aceitação em suportar ser incompreendido constitui-se à inaptidão para o exercício do santo ministério. Todas as adversidades enfrentadas pelo ministro do evangelho, paradoxalmente, devem ser consideradas como motivação e assim como Paulo, motivo para reconhecer todo esse sofrimento como Bom Combate. 2 Timóteo 4:7. 
 
Jorge Albertacci
Pastor Emérito da Assembleia de Deus do Retiro
Volta Redonda – Rio Janeiro.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal