Culto a Quem e Onde - Estudos Bíblicos

Buscar
Ir para o conteúdo

Menu principal:

Culto a Quem e Onde

O Culto Que Prestamos a Deus
______________

CULTO A QUEM E ONDE?

Romanos 12:1-5

1. - Portanto, irmãos, rogo-lhes pelas misericórdias de Deus que se ofereçam em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus; este é o culto racional de vocês. 2. - Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus. 3. - Pois pela graça que me foi dada digo a todos vocês: ninguém tenha de si mesmo um conceito mais elevado do que deve ter; mas, pelo contrário, tenha um conceito equilibrado, de acordo com a medida da fé que Deus lhe concedeu. 4. - Assim como cada um de nós tem um corpo com muitos membros e esses membros não exercem todos a mesma função,  5. - assim também em Cristo nós, que somos muitos, formamos um corpo, e cada membro está ligado a todos os outros.

1 Coríntios 14:26-33, 39-40

26. - Que fareis, pois, irmãos? Quando vos ajuntais, cada um de vós tem salmo, tem doutrina, tem revelação, tem língua, tem interpretação. Faça-se tudo para edificação. 27. - E, se alguém falar língua estranha, faça-se isso por dois ou, guando muito três, e por sua vez, e haja intérprete. 28 - Mas, se não houver intérprete, esteja calado na igreja e fale consigo mesmo e com Deus. 29. - E falem dois ou três profetas, e os outros julguem. 30. - Mas, se a outro, que estiver assentado, for revelada alguma coisa, cale-se o primeiro. 31 - Porque todos podereis profetizar, uns depois dos outros, para que todos aprendam e todos sejam consolados. 32. - E os espíritos dos profetas estão sujeitos aos profetas. 33. - Porque Deus não é Deus de confusão, senão de paz, como em todas as igrejas dos santos. 39. - Portanto, irmãos, procurai, com zelo, profetizar e não proibais falar línguas. 40. - Mas faça-se tudo decentemente e com ordem.

INTRODUÇÃO

Em quase todas as religiões, e até mesmo entre os não religiosos há culto. Culto pode ser definido por adoração, veneração, simpatização com algo, objeto, pessoa, e até mesmo o culto pessoal – Egocentrismo. Mesmo entre aqueles que jamais foram ensinados a cultuar a Deus existe o culto a símbolos, a elementos da Criação, a fenômenos da natureza, como trovões, raios, planetas, satélites e até em um culto secular, a figura de líderes, como havia entre os romanos, como ainda hoje há entre os entre os profetas de algumas crenças orientais. Como houve certo culto ao grande libertador da Índia – Mahatmha Ghandi. Nos dias de hoje o culto mais proeminente e disfarçado é o culto ao corpo – o narcisismo.

ADORAÇÃO E CULTO

1. - O verdadeiro significado de culto: Será que realmente cultuamos a Deus como a Bíblia o requer? Vejamos em primeiro lugar, o que significa culto. O próprio significado da palavra “culto”, ou “serviço”, já sugere, em si mesmo, o ato de adoração que, por sua vez, implica na reverência que todos devemos prestar ao Todo-Poderoso (Sl 29:2). Cultuar a Deus significa adorá-lo, exaltá-lo, prestar-lhe a devida reverência (Sl 96:9).

Infelizmente, muitos vão ao culto, cantam e até oram, mas não adoram ao Senhor, pois o seu coração acha-se distante de sua presença (Is 29:13). O culto para os tais é apenas um ponto de encontro, um momento de interatividade social.

Deus se compraz naqueles que o buscam com um coração puro e sincero, e alegra-se naqueles que o adoram “em espírito e em verdade” (Sl 15:1-5; Jo 4:23-24). Por conseguinte, não devemos prestar-lhe culto como se estivéssemos a barganhar-lhe as bênçãos e os favores. Há muitos que, desprezando a soberania divina, passam a determinar seus “direitos” e a decretar suas “posses” como se o Senhor lhes fosse um mero empregado. Isso é falta de reverência e temor diante dAquele a quem devemos adorar pelo que é e pelo que já fez por nós (Jo 3:16; Ef 2:8-9; 1 Jo 4:19; Ap 4:10).

2. - A essência do culto a Deus é a adoração: O ato de adorar a Deus constrange-nos a submetermo-nos incondicionalmente à sua vontade (Mt 6:10) e a nos humilharmos até ao pó diante de sua presença (Gn 18:27). A mulher pecadora, que ungiu a Jesus com fino unguento, “beijava-lhe os pés” em santa adoração (Lc 7:38). Se adorar é um ato de rendição, gratidão e exaltação ao Deus que nos criou (Sl 95:6), cheguemo-nos, pois, diante do Todo-Poderoso com temor e tremor, reconhecendo-lhe o senhorio sobre nossas vidas.

3. - Adoração completa e incondicional: Se todo culto é um ato de adoração, nem todo ato de adoração é necessariamente um culto. Os judeus dos tempos de Isaías e Miqueias não sabiam fazer tal distinção, por isso o Senhor repreendeu-os energicamente (Is 1:11; Mq 6:3-8). Aliás, até mesmo nossas atividades profissionais têm de ser realizadas como atos de sincera adoração ao Senhor (Ef 6:5-9). O que isto significa? A vida do crente deve ser um contínuo ato de adoração e louvor a Deus (Sl 146:1).

COMENTÁRIO

Disse Jesus: Adorarás o Senhor teu Deus, e somente a Ele prestarás culto (Lc 4:8), a citação acima foi uma alusão a Deuteronômio (6:13). Em Isaías 42:8, assim disse o Senhor: Eu sou o Senhor; este é o meu nome; a minha glória, pois, a outrem não darei, nem o meu louvor às imagens de escultura. Aos hebreus depois de atravessarem o Rio Jordão, em uma reunião para os acertos finais, Josué disse lhes disse: "Vocês não têm condições de servir ao Senhor. Ele é Deus santo! É Deus zeloso! Ele não perdoará a rebelião e o pecado de vocês. (Josué 24:19 NVI). Entretanto, depois das exortações do líder, e de sua declaração: Se, porém, não lhes agrada servir ao Senhor, escolham hoje a quem irão servir, se aos deuses que os seus antepassados serviram além do Eufrates, ou aos deuses dos amorreus, em cuja terra vocês estão vivendo. Mas, eu e a minha família serviremos ao Senhor. Joel 24:15). O povo, porém, respondeu a Josué: "De maneira nenhuma! Nós serviremos ao Senhor." Disse então Josué: "Vocês são testemunhas contra vocês mesmos de que escolheram servir ao Senhor." "Somos", responderam eles. (Josué 24:21-22). Diante das exortações de Josué, o líder por excelência, a resposata deles foi positiva.

PRESERVANDO A BOA ORDEM NO CULTO

Formalismo é uma observância estrita a regras e formas, e isso em algumas igrejas vem se tornando um problema no momento do culto. Em alguns lugares, o culto é tão mecânico que sua previsibilidade engessa a adoração. Em outros casos, uma pessoa pode até não andar realmente de acordo com os padrões de Deus, mas se ela seguir o formalismo do culto, pode até ministrar a adoração. Isso é errado! Pois, os adoradores verdadeiros, mais do que seguir regras, seguem uma vida de obediência a Deus. Não existe fervor nas orações, que já se tornaram vãs repetições. A forma como o culto é apresentado é muito mais importante que o Deus que se pretende adorar. Ir à igreja tornou-se uma tradição.

Semelhante a comunidade em Corinto, em várias Igrejas a abundância de dons, que deveria ser um sinal de bênção, tem se tornado motivo de tribulação. Em alguns lugares há tanto louvor que não é possível ter pregação da Palavra; já em algumas comunidades o momento da oferta tornou-se o centro do culto, ocupando a maior parte do tempo. Como faz falta uma boa e genuína liturgia nestes lugares! A forma de pedir dinheiro, além de escandalizar as pessoas, ainda constitu-se pecado. Mesmo assim, mediante à vida pomposa dos líderes, o povo doam de forma mui prazerozamente, sob o pretexto de que, diferente do evangelho da cruz de Cristo, ele tem que desfrutar do melhor desta terra.

Não existe culto sem a manifestação de Deus, as operações espirituais sem a mediação do amor tornam-se puro exibicionismo e espetáculo que somente atrapalham o culto e afastam a glória de Deus.

NA IGREJA PRIMITIVA

Partindo do entendimento cristão e à luz das Sagradas Escrituras, culto é a aproximação do homem a Deus, de forma coletiva quando reunidos no templo, ou individual, até mesmo em nossas casas. Culto é a prática em que apresentamos os nossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o nosso culto racional, sobretudo, o culto correto, o culto da razão. (Rm 12:1; 1Pe 2:5).

O principal motivo que leva os crentes a comparecem ao templo deve ser unicamente o de prestar culto a Deus, e junto com os irmãos, adorá-lO em espírito e em verdade. É mister, observarmos para não confundirmos: Templo espaço – prédio, com Templo, nós, nosso corpos, nossos corações.

Este é o momento em que nós nos submetemos integralmente à Palavra de Deus, estreitando assim, nossa comunhão com todos os irmãos e consequentemente, com Deus também. Como membros da Igreja, formamos o Corpo do Senhor Jesus! A união destes membros, é que forma a unidade, ou seja, o Corpo. (Efésios 4:4-6) Há um só corpo e um só Espírito, assim como a esperança para a qual vocês foram chamados é uma só; há um só Senhor, uma só fé, um só batismo, um só Deus e Pai de todos, que é sobre todos, por meio de todos e em todos. E a cada um de nós foi concedida a graça, conforme a medida repartida por Cristo.

Cada membro particularmente, é uma unidade, assim como é, cada uva de um cacho, que com a união de todas é que se forma a unidade, o cacho. A união de todas, talvez, com dezenas de unidades, é que forma o cacho que é também uma unidade! Observemos Atos dos Apóstolos 2:37-47.

CONCLUSÃO

Destarte, vale ressaltar, que o culto de adoração a Deus, deve ser apresentado de forma a contribuir para edificação Igreja num todo. Observemos que, de Gênesis a Apocalipse, a Palavra de Deus nos mostra que a centralidade do culto é sempre a mesma: o Senhor Jesus, ao Deus trino, Pai, Filho e Espírito Santo. Quanto mais estreita for nossa comunhão com Deus, quanto mais intimidade tivermos com o Espírito Santo, mas, abençoado seremos!
______________

BIBLIOGRAFIA
LB - EBD - CPAD 

Jorge Albertacci
Pastor Emérito da Assembleia de Deus
Retiro - Volta Redonda
Rio de Janeiro - Brasil


 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal