Culto a Quem e Onde - Estudos Bíblicos

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur ad elit.
Morbi tincidunt libero ac ante accumsan.

Estudos Bíblicos

Pr Jorge Albertacci

Levantai os vossos olhos para as terras que já estão brancas para a colheita. (João 4:35)

Ir para o conteúdo

Culto a Quem e Onde

O Culto Que Prestamos a Deus
______________

CULTO A QUEM E ONDE?

Romanos 12:1-5

1. - Portanto, irmãos, rogo-lhes pelas misericórdias de Deus que se ofereçam em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus; este é o culto racional de vocês. 2. - Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus. 3. - Pois pela graça que me foi dada digo a todos vocês: ninguém tenha de si mesmo um conceito mais elevado do que deve ter; mas, pelo contrário, tenha um conceito equilibrado, de acordo com a medida da fé que Deus lhe concedeu. 4. - Assim como cada um de nós tem um corpo com muitos membros e esses membros não exercem todos a mesma função,  5. - assim também em Cristo nós, que somos muitos, formamos um corpo, e cada membro está ligado a todos os outros.

1 Coríntios 14:26-33, 39-40

26. - Que fareis, pois, irmãos? Quando vos ajuntais, cada um de vós tem salmo, tem doutrina, tem revelação, tem língua, tem interpretação. Faça-se tudo para edificação. 27. - E, se alguém falar língua estranha, faça-se isso por dois ou, guando muito três, e por sua vez, e haja intérprete. 28 - Mas, se não houver intérprete, esteja calado na igreja e fale consigo mesmo e com Deus. 29. - E falem dois ou três profetas, e os outros julguem. 30. - Mas, se a outro, que estiver assentado, for revelada alguma coisa, cale-se o primeiro. 31 - Porque todos podereis profetizar, uns depois dos outros, para que todos aprendam e todos sejam consolados. 32. - E os espíritos dos profetas estão sujeitos aos profetas. 33. - Porque Deus não é Deus de confusão, senão de paz, como em todas as igrejas dos santos. 39. - Portanto, irmãos, procurai, com zelo, profetizar e não proibais falar línguas. 40. - Mas faça-se tudo decentemente e com ordem.

INTRODUÇÃO

Em quase todas as religiões, e até mesmo entre os não religiosos há culto. Culto pode ser definido por adoração, veneração, simpatização com algo, objeto, pessoa, e até mesmo o culto pessoal – Egocentrismo. Mesmo entre aqueles que jamais foram ensinados a cultuar a Deus existe o culto a símbolos, a elementos da Criação, a fenômenos da natureza, como trovões, raios, planetas, satélites e até em um culto secular, a figura de líderes, como havia entre os romanos, como ainda hoje há entre os entre os profetas de algumas crenças orientais. Como houve certo culto ao grande libertador da Índia – Mahatmha Ghandi. Nos dias de hoje o culto mais proeminente e disfarçado é o culto ao corpo – o narcisismo.

ADORAÇÃO E CULTO

1. - O verdadeiro significado de culto: Será que realmente cultuamos a Deus como a Bíblia o requer? Vejamos em primeiro lugar, o que significa culto. O próprio significado da palavra “culto”, ou “serviço”, já sugere, em si mesmo, o ato de adoração que, por sua vez, implica na reverência que todos devemos prestar ao Todo-Poderoso (Sl 29:2). Cultuar a Deus significa adorá-lo, exaltá-lo, prestar-lhe a devida reverência (Sl 96:9).

Infelizmente, muitos vão ao culto, cantam e até oram, mas não adoram ao Senhor, pois o seu coração acha-se distante de sua presença (Is 29:13). O culto para os tais é apenas um ponto de encontro, um momento de interatividade social.

Deus se compraz naqueles que o buscam com um coração puro e sincero, e alegra-se naqueles que o adoram “em espírito e em verdade” (Sl 15:1-5; Jo 4:23-24). Por conseguinte, não devemos prestar-lhe culto como se estivéssemos a barganhar-lhe as bênçãos e os favores. Há muitos que, desprezando a soberania divina, passam a determinar seus “direitos” e a decretar suas “posses” como se o Senhor lhes fosse um mero empregado. Isso é falta de reverência e temor diante dAquele a quem devemos adorar pelo que é e pelo que já fez por nós (Jo 3:16; Ef 2:8-9; 1 Jo 4:19; Ap 4:10).

2. - A essência do culto a Deus é a adoração: O ato de adorar a Deus constrange-nos a submetermo-nos incondicionalmente à sua vontade (Mt 6:10) e a nos humilharmos até ao pó diante de sua presença (Gn 18:27). A mulher pecadora, que ungiu a Jesus com fino unguento, “beijava-lhe os pés” em santa adoração (Lc 7:38). Se adorar é um ato de rendição, gratidão e exaltação ao Deus que nos criou (Sl 95:6), cheguemo-nos, pois, diante do Todo-Poderoso com temor e tremor, reconhecendo-lhe o senhorio sobre nossas vidas.

3. - Adoração completa e incondicional: Se todo culto é um ato de adoração, nem todo ato de adoração é necessariamente um culto. Os judeus dos tempos de Isaías e Miqueias não sabiam fazer tal distinção, por isso o Senhor repreendeu-os energicamente (Is 1:11; Mq 6:3-8). Aliás, até mesmo nossas atividades profissionais têm de ser realizadas como atos de sincera adoração ao Senhor (Ef 6:5-9). O que isto significa? A vida do crente deve ser um contínuo ato de adoração e louvor a Deus (Sl 146:1).

COMENTÁRIO

Disse Jesus: Adorarás o Senhor teu Deus, e somente a Ele prestarás culto (Lc 4:8), a citação acima foi uma alusão a Deuteronômio (6:13). Em Isaías 42:8, assim disse o Senhor: Eu sou o Senhor; este é o meu nome; a minha glória, pois, a outrem não darei, nem o meu louvor às imagens de escultura. Aos hebreus depois de atravessarem o Rio Jordão, em uma reunião para os acertos finais, Josué disse lhes disse: "Vocês não têm condições de servir ao Senhor. Ele é Deus santo! É Deus zeloso! Ele não perdoará a rebelião e o pecado de vocês. (Josué 24:19 NVI). Entretanto, depois das exortações do líder, e de sua declaração: Se, porém, não lhes agrada servir ao Senhor, escolham hoje a quem irão servir, se aos deuses que os seus antepassados serviram além do Eufrates, ou aos deuses dos amorreus, em cuja terra vocês estão vivendo. Mas, eu e a minha família serviremos ao Senhor. Joel 24:15). O povo, porém, respondeu a Josué: "De maneira nenhuma! Nós serviremos ao Senhor." Disse então Josué: "Vocês são testemunhas contra vocês mesmos de que escolheram servir ao Senhor." "Somos", responderam eles. (Josué 24:21-22). Diante das exortações de Josué, o líder por excelência, a resposata deles foi positiva.

PRESERVANDO A BOA ORDEM NO CULTO

Formalismo é uma observância estrita a regras e formas, e isso em algumas igrejas vem se tornando um problema no momento do culto. Em alguns lugares, o culto é tão mecânico que sua previsibilidade engessa a adoração. Em outros casos, uma pessoa pode até não andar realmente de acordo com os padrões de Deus, mas se ela seguir o formalismo do culto, pode até ministrar a adoração. Isso é errado! Pois, os adoradores verdadeiros, mais do que seguir regras, seguem uma vida de obediência a Deus. Não existe fervor nas orações, que já se tornaram vãs repetições. A forma como o culto é apresentado é muito mais importante que o Deus que se pretende adorar. Ir à igreja tornou-se uma tradição.

Semelhante a comunidade em Corinto, em várias Igrejas a abundância de dons, que deveria ser um sinal de bênção, tem se tornado motivo de tribulação. Em alguns lugares há tanto louvor que não é possível ter pregação da Palavra; já em algumas comunidades o momento da oferta tornou-se o centro do culto, ocupando a maior parte do tempo. Como faz falta uma boa e genuína liturgia nestes lugares! A forma de pedir dinheiro, além de escandalizar as pessoas, ainda constitu-se pecado. Mesmo assim, mediante à vida pomposa dos líderes, o povo doam de forma mui prazerozamente, sob o pretexto de que, diferente do evangelho da cruz de Cristo, ele tem que desfrutar do melhor desta terra.

Não existe culto sem a manifestação de Deus, as operações espirituais sem a mediação do amor tornam-se puro exibicionismo e espetáculo que somente atrapalham o culto e afastam a glória de Deus.

NA IGREJA PRIMITIVA

Partindo do entendimento cristão e à luz das Sagradas Escrituras, culto é a aproximação do homem a Deus, de forma coletiva quando reunidos no templo, ou individual, até mesmo em nossas casas. Culto é a prática em que apresentamos os nossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o nosso culto racional, sobretudo, o culto correto, o culto da razão. (Rm 12:1; 1Pe 2:5).

O principal motivo que leva os crentes a comparecem ao templo deve ser unicamente o de prestar culto a Deus, e junto com os irmãos, adorá-lO em espírito e em verdade. É mister, observarmos para não confundirmos: Templo espaço – prédio, com Templo, nós, nosso corpos, nossos corações.

Este é o momento em que nós nos submetemos integralmente à Palavra de Deus, estreitando assim, nossa comunhão com todos os irmãos e consequentemente, com Deus também. Como membros da Igreja, formamos o Corpo do Senhor Jesus! A união destes membros, é que forma a unidade, ou seja, o Corpo. (Efésios 4:4-6) Há um só corpo e um só Espírito, assim como a esperança para a qual vocês foram chamados é uma só; há um só Senhor, uma só fé, um só batismo, um só Deus e Pai de todos, que é sobre todos, por meio de todos e em todos. E a cada um de nós foi concedida a graça, conforme a medida repartida por Cristo.

Cada membro particularmente, é uma unidade, assim como é, cada uva de um cacho, que com a união de todas é que se forma a unidade, o cacho. A união de todas, talvez, com dezenas de unidades, é que forma o cacho que é também uma unidade! Observemos Atos dos Apóstolos 2:37-47.

CONCLUSÃO

Destarte, vale ressaltar, que o culto de adoração a Deus, deve ser apresentado de forma a contribuir para edificação Igreja num todo. Observemos que, de Gênesis a Apocalipse, a Palavra de Deus nos mostra que a centralidade do culto é sempre a mesma: o Senhor Jesus, ao Deus trino, Pai, Filho e Espírito Santo. Quanto mais estreita for nossa comunhão com Deus, quanto mais intimidade tivermos com o Espírito Santo, mas, abençoado seremos!
______________

BIBLIOGRAFIA
LB - EBD - CPAD 

Jorge Albertacci
Pastor Emérito da Assembleia de Deus
Retiro - Volta Redonda
Rio de Janeiro - Brasil


Voltar para o conteúdo