O Brilho no Rosto do Crente em Cristo Jesus - Estudos Bíblicos

Buscar
Ir para o conteúdo

Menu principal:

O Brilho no Rosto do Crente em Cristo Jesus

Teologia do Obreiro III
 
_____________


O QUE REFLETE O NOSSO ROSTO PARA ESTE MUNDO?

Atos dos Apóstolos 6:8-15
 
“Mas todos nós, com cara descoberta, refletindo, como um espelho, a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória, na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor” - (2Co 3:18).

Vocês são a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade construída sobre um monte. E, também, ninguém acende uma candeia e a coloca debaixo de uma vasilha. Pelo contrário, coloca-a no lugar apropriado, e assim ilumina a todos os que estão na casa. Assim brilhe a luz de vocês diante dos homens, para que vejam as suas boas obras e glorifiquem ao Pai de vocês, que está nos céus" (Mateus 5:14-16).
 
Paulo fala da ousadia que  temos para, sem véu, falar com Deus, quando e onde quisermos através do caminho Novo que Jesus nos abriu  - (Hb 10:19-22).

Como sal da terra e luz neste mundo deteriorado pelo pecado nas mais densas trevas. Está sob nossa responsabilidade preservá-lo do apodrecimento total, causado pelo pecado da secularização, da corrupção, da sexualidade promíscua, da violência e de toda sorte de maldade promovida por satanás. O crente não está neste mundo simplesmente por estar, e desfrutar dos manjares que satanás oferece de acordo com o gosto de cada um.  Como luz fomos chamados para iluminar as trevas e apontar o caminho que pode levar ao céu. Fomos salvos e chamados pelo Senhor Jesus não apenas para usufruir dos benefícios da salvação, mas para testemunhar. Coloquemo-nos como luz em meio às trevas, como astros a refletir a luz de Cristo. 

"Não fomos chamados apenas para usufruir dos benefícios da salvação, mas também para testemunhar do Salvador a um mundo que jaz no maligno"

Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem o vosso Pai, que está nos céus” (Mt 5:16).
 
 
O BRILHO NO ROSTO PROMOVE RECONCILIAÇÃO
 
Refletindo a glória de Jesus; transmitindo a semelhança de Deus! - (Gn 1:26)
 
Então, disse Jacó: Não! Se, agora, tenho achado graça a teus olhos, peço-te que tomes o meu presente da minha mão, porquanto tenho visto o teu rosto, como se tivesse visto o rosto de Deus; e tomaste contentamento em mim” (Gn 33:10).
 
O encontro de Esaú, com seu irmão gêmeo, Jacó, para o qual, havia vendido seu direito de primogenitura – (Gn 25:30-34). Tendo depois perseguido para matá-lo (Gn 27). Finalmente reconciliam-se e em um encontro maravilhoso, Jacó faz a seguinte declaração: porquanto tenho visto o teu rosto, como se tivesse visto o rosto de Deus – Gn 33:10). Que testemunho maravilhoso! Como é bom quando uma pessoa sente a presença de Deus com a nossa presença. Para o servo de Deus isto não deveria ser novidade, pois, para isto foi que Ele nos chamou das trevas para Sua maravilhosa luz. A glória da Antiga Aliança desvaneceu ante a glória superior da Aliança revelada em Cristo Jesus.
 
MOISÉS NÃO SUPORTOU FIXAR OS OLHOS NO SENHOR
 
Disse mais: Eu sou o Deus de teu pai, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó. E Moisés encobriu o seu rosto, porque temeu olhar para Deus - (Êxodo 3:6).
 
Deus  lembrou-se das promessas feitas aos patriarcas, segundo a aliança existente, e identificou-se como o Deus deles - (Gn 26:24; 28:13; 31:42; 32:9. Moisés escondeu o rosto, em respeito ao Senhor.
 
AO SERVO DE DEUS NÃO SE DESAFIA
 
E disse-lhe Faraó: Vai-te de mim e guarda-te que não mais vejas o meu rosto; porque, no dia em que vires o meu rosto, morrerás - (Êx 10:28).
 
Moisés respondeu: bem dissestes, eu nunca mais verei o teu rosto” Êxodo 10:29, o adversário, também tenta com o seu rosto impor o respeito que nunca fez jus - assim como Moisés devemos rebate-lo e resistílo no nome de Jesus.
 
QUANDO VIVEMOS NA PRESENÇA DE DEUS
 
E aconteceu que, descendo Moisés do monte Sinai trazia as duas tábuas do testemunho em suas mãos, sim, quando desceu do monte, Moisés não sabia que a pele do seu rosto resplandecia, depois que falara com ele - Êxodo 34:29
 
Quando temos contato com Deus, nosso rosto testifica, nossa face externa o que vai dentro de nós. Nossa face reflete a glória de Deus! Nossa face reflete o brilho do Espírito Santo. 
 
Olhando, pois, Arão e todos os filhos de Israel para Moisés, eis que a pele do seu rosto resplandecia; pelo que temeram de chegar-se a ele - (Êx 34:30).
 
A liderança de Moisés foi confirmada pela luz da glória de Deus que refletia na sua pele. Em temerem a chegar-se a Moisés não significa medo, mas o respeito produzido pela manifestação da glória de Deus em seu nele. A liderança do ministro de Deus para os liderados não é reconhecida por imposição, mas, é adquirida pelo respeito do qual faz jus! Deus honra os Seus filhos e faz deles labaredas de fogo (Salmo 104:4; Hebreus 1:7. 

O Sermão do Monte evidencia a importância que os discípulos de Cristo tinham em relação ao mundo. Eles estavam incumbidos de influenciar o mundo da época com suas ações e ensino. Por isso, o Mestre usou os exemplos do sal e da luz, que têm as funções de conservar, dar sabor e iluminar. Dentre outras coisas, a vida cristã objetiva o testemunho diante da sociedade, demonstrando o nível de compromisso que o crente possui em relação a Deus e, sobretudo, a promoção de sua glória através das nossas boas atitudes. Ter vida cristã relevante não é uma simples opção para os crentes; é um imperativo: “Assim, resplandeça a vossa luz”. Através do Sermão do Monte compreendemos que a genuína fé só pode ser demonstrada na prática dos ensinamentos e no amor de Cristo. (Lições Bíblicas EBD/CPAD 2º Trimestre de 2001).
 
A ESCOLHA DO SÁBIO SALOMÃO
 
E todos os reis da terra procuravam ver o rosto de Salomão, para ouvirem a sua sabedoria que Deus lhe dera no seu coração - (2 Cr 9:23).
 
Salomão escolheu sabedoria – Ex 1:7-10, a exemplo disto, temos o testemunho da rainha de Sabá quando procurou ver os feitos de Salomão e entusiasmada disse ao rei: Foi verdadeira a palavra que ouvi na minha terra acerca dos teus feitos e da tua sabedoria. Porém não cria nas suas palavras, até que vim, e meus olhos o viram; e eis que me não disseram a metade da grandeza da tua sabedoria – (2 Cr 9:5-6) O rosto do homem refletia a glória pela escolha que fez quando Deus lhe disse pede-me o que queres que Eu te darei.
 
A EXPRESSÃO DO ROSTO DE NEEMIAS PERANTE O REI ARTAXERXES
 
Sucedeu, pois, no mês de Nisã, no ano vigésimo do rei Artaxerxes, que estava posto vinho diante dele, e eu peguei o vinho e o dei ao rei; porém eu nunca estivera triste diante dele. E o rei me disse: Por que está triste o teu rosto, pois não estás doente? Não é isto senão tristeza de coração; então temi sobremaneira. (Nee 2:1-2).
 
O tema principal de Esdras e Neemias é que Deus opera soberanamente por meio de agentes humanos responsáveis afim de realizar o seu propósito redentor. O autor desenvolve este tema em Neemias com a atenção especial à reconstrução e dedicação das muralhas defensivas de Jerusalém
 
E isto é despertado através do rosto de Neemias! Deus mostra a Artaxerxes a necessidade de Jerusalém no rosto deste homem responsável. O rei leu na face do seu copeiro a necessidade da reconstrução de Jerusalém!
 
E Neemias disse ao rei: Viva o rei para sempre! Como não estaria triste o meu rosto, estando a cidade, o lugar dos sepulcros de meus pais, assolada, e tendo sido consumidas as suas portas a fogo?” (Nee 2:). Como poderia não estar triste o meu rosto?
 
O ROSTO DO CRENTE REVELA O QUE VAI NO SEU CORAÇÃO
 
O coração alegre aformoseia o rosto, mas, pela dor do coração, o espírito se abate - (Pv 15:13).
 
O coração para estar alegre, é preciso que nele esteja habitando o Espírito Santo, e isto pode ser entendido pelo rosto do crente.
 
No rosto do sábio se vê a sabedoria, mas os olhos do louco estão nas extremidades da terra - (Pv 17:24).
 
Assim como o de Salomão, o rosto de um servo cheio do Espírito Santo, é desejado em todo o momento, por promover a sabedoria que vem de Deus. Os olhos dos loucos (ímpios) em nada edifica a ninguém, estão cheio de violência, lascívia, prostituição, adultério, fornicação,  roubo e tudo o que desagrada a Deus.
 
O aspecto do seu rosto testifica contra eles; e publicam os seus pecados, como Sodoma; não os dissimulam. Ai da sua alma! Porque fazem mal a si mesmos - Isaías 3:9).
 
“Deus determinando juízo contra Israel, e isto se via na cara, o pecado de um povo obstinado. A  aparência do seu rosto fazia-se notório sua condição pecaminosa, assim como era patente o pecado dos sodomitas. Que reflete nosso rosto para este mundo deteriorado, atolado no pecado, a glória de Deus? Ou o mesmo que o mundo manifesta? Dá para se notar em nosso rosto que estamos realmente livres da condenação eterna? Ou deixa transparecer que estamos sub júdice?”
 
Ó SENHOR, a nós pertence a confusão do rosto, aos nossos reis, aos nossos príncipes e a nossos pais, porque pecamos contra ti - (Dn 9:8).
 
Confusão, rosto de santo manchado, mascarado pelo pecado. Diante de tal situação, Daniel faz uma oração que pode ser dividida em quatro partes, a saber: a) adoração (V. 4); b) confissão de pecados (Vs 5-11; c) reconhecimento da justiça de Deus em seu julgamento contra o pecado (Vs 11-14); e d) um apelo pela misericórdia de Deus.
 
ESTEVÃO, O PRIMEIRO MARTIR
 
Então, todos os que estavam assentados no conselho, fixando os olhos nele, viram o seu rosto como o rosto de um anjo - (At 6:15).
 
O primeiro mártir, mesmo diante de seus algozes, era cheio de fé e de poder, fazia grandes prodígios e sinais, era poderoso em palavras (as más conversações corrompem os bons costumes 1Co 15:33). Com toda a razão resistia as falsas testemunhas e diante de todos, seu rosto foi visto como o rosto de um anjo, manifestando a glória de Deus. Suportaríamos tais acusações sem deixar de manifestar em nosso rosto a glória de Deus?
 
DO CULTO SE PARTICIPA, NÃO SE ASSISTE
 
Porque, se alguém é ouvinte da palavra e não cumpridor, é semelhante ao varão que contempla ao espelho o seu rosto natural - (Tg 1:23).
 
Para o mero ouvinte, a Palavra de Deus não tem valor algum, mas, quando cumpridor, a Palavra promove vida abundante. O mero ouvinte, contempla seu rosto no espelho, como se contempla um rosto qualquer, natural; não vê em seu rosto a manifestação da glória de Deus.

PEDRO NÃO CONSEGUIU DISFARFAR
 
Prenderam Jesus, e Pedro o seguiu de longe, mas em tudo ele parecia com Jesus. Tentou disfarçar-se diante do povo, mas, nele havia as marcas de Jesus, seu rosto mostrava Jesus, suas palavras, seu jeito de ser mostrava que ele pertencia a Jesus, o Senhor - (Mt 26:57-63).
 
O SENHOR, Deus dos céus, que me tomou da casa de meu pai e da terra da minha parentela, e que me falou, e que me jurou, dizendo: À tua semente darei esta terra, ele enviará o seu Anjo adiante da tua face, para que tomes mulher de lá para meu filho - (Gênesis 24:7).
 
O amor que ainda paira sobre a humanidade a partir deste episódio tem sido uma inesgotável fonte de inspiração para os celebrantes de cerimônias de casamento, a ordem de Abraão, o pai, para Eliezer, o servo maior, para buscar a esposa para Isaque, o filho. Tudo deu certo, porque adiante da sua face (rosto) ia o Anjo do Senhor, esse Anjo foi que inspirou a Eliezer, junto à fonte a fazer a oração: dá-me hoje bom encontro.  Antes de qualquer coisa, tenhamos o Anjo do Senhor diante da nossa face!
 
E Pedro, com João, fitando os olhos nele, disse: Olha para nós. “Pedro e João subiam “juntos!” Ao Templo na hora da oração, o cocho os aborda pedindo, eles nada tinham a não o poder de Deus em suas vidas; responde para o cocho: - olha para nós (nossa face, nosso rosto),   E disse Pedro: Não tenho prata nem ouro, mas o que tenho, isso te dou. Em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, levanta-te e anda. E, tomando-o pela mão direita, o levantou, e logo os seus pés e tornozelos se firmaram. E, saltando ele, pôs-se em pé, e andou, e entrou com eles no templo, andando, e saltando, e louvando a Deus. E todo o povo o viu andar e louvar a Deus (Atos 3:4).

CONCLUSÃO

A ação da luz tanto realça o que é bonito, bem feito, bem acabado, como não deixa encoberto os defeitos, o mau acabamento, a fealdade que na escuridão não seria revelada. Neste ponto, a luz é como a espada de dois gumes, com isto aprendemos a responsabilidade, de como luz, temos diante da sociedade - (Lucas 12:47-48).

_____________

Pastor Jorge Albertacci
Assembleia de Deus do Retiro
Volta Redonda - RJ
13 de outubro de 2004

 
 
 
 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal