Pregar Segundo o Espírito Santo de Deus - Estudos Bíblicos

Buscar
Ir para o conteúdo

Menu principal:

Pregar Segundo o Espírito Santo de Deus

Teologia do Obreiro III
______________


PREGUE A PALAVRA HONESTAMENTE SEM EXAGERO E SEM SIMULAÇÃO
 
Quão suaves são sobre os montes os pés do que anuncia as Boas-Novas, que faz ouvir a paz, que anuncia o bem, que faz ouvir a salvação, que diz a Sião: O teu Deus reina! (Isaías 52:7).
 
INTRODUÇÃO
 
A suavidade dos pés dos que anunciam as Boas-Novas deve refletir nas suas mãos, no seu rosto, no seu coração, nas suas palavras de bênçãos, no seu carácter e no seu modo de vida em geral! Tanto no sentido material, como pessoa física, como no espiritual, onde o Espírito Santo o restitui ao seu estado primitivo como disse o Criador à Corte Celestial: “E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra. E criou Deus o homem à Sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou” (Gênesis 1:26-27).
 
SOBRE TODAS AS COISAS
 
Sobretudo, não banalize os dons espirituais nas orações e nas pregações como fazem muitos e muitos pregadores atuais com trejeitos esquisitos, no anseio de levar o auditório a impressão de que está cheio do poder de Deus. Mas que, na verdade, nele, nada tem do poder de Deus. Os dons espirituais, diferente do Fruto do Espírito, pode ser facilmente imitado. Os dons demonstram autoridade e poder, enquanto que o Fruto demonstra o caráter da pessoa. O dom revela a desenvoltura, a eloquência do pregador quando discorre sobre determinado tema, revela o que ele tem, enquanto que o Fruto revela o que ele realmente é. 
 
NÃO ENTRISTEÇAIS
 
“E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual estais selados para o dia da redenção. Toda amargura, e ira, e cólera, e gritaria, e blasfêmias, e toda malícia seja tirada de entre vós. Antes, sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo.” (Efésios 4:30-32).
 
O Espírito Santo foi enviado ao mundo não para substituir o Senhor Jesus, mas, para consolar os irmãos que conviviam com Ele  pessoalmente até o dia da Sua ascenção ao Céu (João 14:16-28). Através do qual, como a Terceira Pessoa da Trindade cumpriria a profecia de Joel 2:28-32.
 
O PERDÃO DO SENHOR
 
"Portanto, eu vos digo: todo pecado e blasfêmia se perdoará aos homens, mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada aos homens. E, se qualquer disser alguma palavra contra o Filho do Homem, ser-lhe-á perdoado, mas, se alguém falar contra o Espírito Santo, não lhe será perdoado, nem neste século nem no futuro." (Mateus 12:22-32).
 
SUBMETA-SE AO ESPÍRITO SANTO
 
“Se tiveres de pregar em uma Igreja, não te esqueças de que a finalidade da pregação é apresentar Cristo, o Salvador. Não te esqueças, também, de que as pessoas presentes foram à Igreja para adorar a Deus, umas, e outras ali foram para serem salvas e não para admirar a tua cultura, se é que orgulho e vanglória podem ser considerados cultura."
Trecho de um pequeno artigo do jornal Mensageiro da Paz, ano 19, nº 16 - 2ª quinzena de agosto de 1949.

A PREGAÇÃO E A SALVAÇÃO DOS PECADORES
 
“Porque a Escritura diz: Todo aquele que nele crer não será confundido. Porquanto não há diferença entre judeu e grego; porque um mesmo é o Senhor de todos, rico para com todos os que o invocam.Porque todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo. Como, pois, invocarão aquele em quem não creram? e como crerão naquele de quem não ouviram? e como ouvirão, se não há quem pregue? E como pregarão, se não forem enviados? como está escrito: Quão formosos os pés dos que anunciam o evangelho de paz; dos que trazem alegres novas de boas coisas. Mas nem todos têm obedecido ao evangelho; pois Isaías diz: Senhor, quem creu na nossa pregação? De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus. Mas digo: Porventura não ouviram? Sim, por certo, pois por toda a terra saiu a voz deles, e as suas palavras até aos confins do mundo.” (Romanos 10:11-18).
 
Pregue a Palavra com poder do céu. Mas, simplesmente – pregue-a como que se você fosse realmente imagem e semelhança de Deus! É simples, porque o poder para pregar vem do Espírito, e sem Ele  nem adianta pregar, porque somente Ele é que pode convencer os pecadores dos seus atos, conforme narrou João no evangelho que escreveu:  "E, quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça, e do juízo:  do pecado, porque não creem em mim;  da justiça, porque vou para meu Pai, e não me vereis mais;  e do juízo, porque  o príncipe deste mundo está julgado. Ainda tenho muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora.  Mas, quando vier aquele Espírito da verdade, ele vos guiará em toda a verdade, porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará o que há de vir.  Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar" (João 16:8-14).

 
O poder do Espírito Santo
Myer Pearlman
Trecho do Mensageiro da Paz de Julho-Agosto de 1932
 
Poder Regulador
 
1 - Irmãos não sejais meninos no entendimento, mas sede meninos na malícia e adultos no entendimento 1 Co 14:24.
 
Parece que certos meios religiosos supõem a ser a entrada do Espírito seguida da saída do senso comum. Nada podia ser mais contrário às Escrituras, que ensinam ser o Espírito de poder o mesmo de sabedoria.Paulo ensina, no versículo citado, que os crentes, quando se trata do mal, devem manifestar a simplicidade de menino; no entanto, em relação aos negócios da Igreja de Deus, mostrarão a sabedoria de adultos.

 
Qual foi um dos segredos de Moody? Não foi ter ele coordenado à espiritualidade profunda, com o bom senso comum? Que tranquilidade teríamos se soubéssemos que a usina elétrica estava a cargo de crianças ou que o governo do nosso país estava nas mãos de um menino incapaz? Entretanto quanto de nós não têm mostrado uma meninice lamentável no uso do poder e dons a nós confiados?
 

2 - Faça-se de tudo para edificação (v26) cada manifestação do poder de Deus deveria ser, não uma massa mal trabalhada, que vai deformar o edifício e repelir inquiridores sinceros da verdade, mas sim, uma parte de material espiritual bem trabalhado, para edificação e embelezamento da casa espiritual – a Igreja.
 

3 - Porque Deus não é Deus de confusão, senão de paz. A ordem é a primeira lei do céu. Os céus que manifestam a glória de Deus e o firmamento que declara a obras das suas mãos foram obras de Cristo, pelo Espírito. Ambos trazem o cunho da ordem. O mesmo Espírito que, no princípio, estabeleceu a ordem no meio da confusão e caos, trará porventura, confusão às nossas assembleias? Não, nunca!
 

Para ilustrar o seu regulamento, Paulo dá-nos um quadro de duas reuniões: uma de desordem (v 23) e outra de ordem (v 24) ele descreve uma reunião de desordem, onde há, certamente, poder, mas não regulado. Notai, então, o que diz o apóstolo sobre o efeito que tal reunião traz aos incrédulos: “eles não dirão que vós estais loucos?” Depois de ter mostrado uma reunião com ordem, ele apresenta o resultado da mesma sobre um incrédulo: “ele adorará a Deus, publicando que Deus está, verdadeiramente, entre vós.”
 
Não há coisa mais abençoada do que uma reunião onde a atmosfera está carregada e sobrecarregada do poder do Espírito, onde o pregador é ungido, onde os corações se derretem, onde os olhos se enchem de lágrimas, e onde os incrédulos são compungidos no coração.
 
Que qualidade de reunião vamos escolher? Aquele que é mencionado no verso  23 ou a do 24?
 
O  poder realizado
 
Como pode o poder de Deus tornar-se real em nossas vidas? Vamos novamente voltar ao assunto da eletricidade, para nossa ilustração. Quando os homens chegaram a conhecer a existência do poder da eletricidade, fizeram três coisas: primeiramente, empenharam-se em descobrir as suas leis; quando as descobriram, obedeceram-nas.

Obedecendo as essas leis chegaram a conhecer as grandes despesas que precisavam fazer para edificar e preparar usinas e transformadores, etc. Apliquemos isto, agora, à experiencia cristã. Notemos que os homens procuraram descobrir as leis da eletricidade. Estamos estudando as nossas Bíblias para descobrir as leis do Espírito? Estamos usando todo o esforço para aproveitar tudo que nos pode fazer um obreiro, que não precisa ser envergonhado? Evangelista, pastor, estais porventura preparados “tanto para admoestar com a são doutrina, como para convencer os contradisentes?" Estais persistindo em ler, exortar e ensinar? Crentes, estais sempre prontos para dar uma resposta a cada um que pede a razão da esperança que há em vós? Estudemos nossas Bíblias, regular e sistematicamente, e com oração.
 
Notai também que, quando os homens descobriram as leis da eletricidade, obedeceram-nas e; então descobriram ainda novas leis. Não é suficiente descobrir as leis do Espírito, e preciso haver obediência absoluta a elas. Conforme obedecemos as leis do Espírito, ser-nos-ão dadas novas revelações, que nos guiarão  para o poder acrescentado. “para cada um que tem, será dado.”
 
CONCLUSÃO
 
Aconselho aos meus amados irmãos pregadores a que orem, consagrem-se, santifiquem-se e depois pregue. Pregue consciente e com coerência, dentro das suas limitações! Sem exageros, sem simular línguas estranhas, sem gritarias extravagantes, cuspindo na bola do microfone. Se você se santificar, pregue que Deus honra você, fazendo valer a sua palavra. Desde que, você não fique naquele desespero, gritando, assoprando e prometendo que no final do culto Deus irá realizar um grande milagre – e finalmente termina a reunião dentro de um clima frenético e nada acontece além disto.
______________
 
No Santo Amor de Deus
O Servo do Senhor Jesus
Pr. Jorge Albertacci
 
 
 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal