A evangelização no livro de Atos dos Apóstolos - Estudos Bíblicos

Buscar
Ir para o conteúdo

Menu principal:

A evangelização no livro de Atos dos Apóstolos

Evangelismo e Missões
___________


NO LIVRO DE ATOS HAVIA APENAS DOIS TIPOS DE EVANGELISMO,  a saber: evangelismo pessoal, e evangelismo em massa.    Mas, dentro de pouco tempo depois da morte dos apóstolos, a controvérsia teológica usurpou o lugar da conquista agressiva de almas para o Reino de Deus,  e em consequência disso o resultado foi a apostasia, o desleixo. Ao chegar o IV século, a Idade das Trevas já havia começado, sendo implantado a partir daí a inversão  dos valores,  os líderes inescrupulosos da igreja passaram a valorizar as propriedades de muitas terras, ao poder humano de  indivíduos sem  conversão a Cristo que vinham para a igreja somente com a  finalidade de lavar não as suas almas, mas, suas riquezas de procedência escusas. E esses indivíduos eram inseridos sem se converterem, sem passarem pelo batismo, no rol dos clérigos.


SOMENTE A PARTIR DO SÉCULO DEZOITO QUE O EVANGELISMO EM MASSA  começou a reaparecer comandado por Wesley, mas, o evangelismo pessoal, conforme era praticado pela Igreja Primitiva, não foi ainda redescoberto com a paixão central propulsora da Igreja Cristã Esta geração evangeliza a Igreja, as salas de aulas teológicas, os púlpitos, as congregações, as casas dos crentes, uma reunião e outra da Igreja, mas, não o mundo. Isto é simplesmente incrível! O edifício da Igreja tornou-se a área mais segregada na terra - o local onde grupos denominacionais se reúnem e ministram a si mesmos em isolamento.

OS CRENTES SE ENCONTRAM ENCLAUSURADOS E TRADICIONALMENTE FIXOS DENTRO  de um grupo de frases cuidadosamente elaboradas que chamamos de nossa Declaração Doutrinária. Fora desse conceito humano tudo é anátema, e com isso a evangelização sofre detrimento, visto que, o ponto de vista humano deve ser observado minuciosamente, respeitando os paradigmas, e partindo desse princípio a evangelização na forma da Igreja Primitiva não dá para ser levada a efeito, porque são tantos esses princípios formais que não há lugar para a genuína evangelização.

COMO SE JÁ NÃO BASTASSE AS FORMALIDADES LEGAIS A SEREM OBSERVADAS  pelos pastores presidentes de Igrejas, no sentido de "Dar a César o que é de César, e a Deus o que é dele" - ainda há outras impeditórias, sob o pretexto de tem que ser tudo certinho que são formadas na cabeça dos que poderiam estar desimpedidos para buscar os pecadores para o edifício da Igreja.

NUNCA TIVE DIFICULDADES PARA DESEMPENHAR  o ministério de evangelizador, também nunca me faltou recurso para adquirir as literaturas necessárias, Deus sempre me supriu delas.

OUTRO MINISTÉRIO QUE DEUS ME CONFIOU, FOI O DA MÚSICA
Tive o privilégio de aprender música junto com o Pastor José Israel do Nascimento. Assim como, as coisas são realçadas com um enfeite, a música não veio como um substitutivo, mas veio para complementar o evangelismo pessoal que fazíamos. As músicas que executávamos com os metais na banda, nos quartetos e corais impeliam os pecadores para o edifício da Igreja, facilmente eles vinham atraídos pelos hinos de Deus e se convertiam. Eram novos músicos e novos coristas se ingressando para conquistarem outros para Cristo. Nessa época havia nas Igrejas muitos crentes que haviam entrado pela primeira vez na Igreja pelo ouvir a execução de um hino para o Senhor. As músicas eram suáveis e atrativas, o Espírito Santo operava e o pecador não resistia.

UMA EXPERIÊNCIA INUSITADA EXPERIMENTADA POR MIM: - os crentes que vem ao Senhor através da música, normalmente são afáveis, mansos e facilmente choram na presença do Senhor.

NOSSA INSISTÊNCIA TEM SIDO ACIRRADA PARA ALISTAR HOMENS E MULHERES  para o edifício da Igreja na expectativa de que lá eles se decidirão aos pés de Cristo, e isso é estimulante para os poucos que já frequentam a Igreja. Mas temos esquecido do mais importante, é que, aproximadamente 90% dos pecadores jamais entrarão numa Igreja, portanto eles nunca poderão ser ganhos para Cristo.

FICAMOS ENTUSIASMADOS  com a presença de uma pessoa importante, da alta sociedade, quando essa adentra os átrios do Senhor, e as vezes até lhe oferecemos um bonita Bíblia de Estudo, mas, os outros milhões se virem terão essa deferência.

É COMUM NÓS INVERTERMOS AS COISAS, não é a classe, as diferentes sociedades, a Igreja, DEPOIS Cristo. Em tudo, Cristo deve estar em primeiro lugar, depois a Igreja. Essa falha predomina na Igreja de hoje, a falta de incentivar e ensinar os crentes a ganhar almas para Cristo - mas, ganhá-las lá onde elas estão, na fábrica, no comércio, no parque, nas ruas, nos lares, nas escolas, nas faculdades.

A CONQUISTA PESSOAL DE ALMAS desenclausura o leigo e leva-o para fora da Igreja, o qual deixa de ser um mero "ouvinte da Palavra". De repente ele entra na arena e torna-se um "pregador da Palavra".  Um reavivamento de evangelismo pessoal será uma redescoberta do Espírito do cristianismo do Novo Testamento.

___________


NOTAS BIBLIOGRÁFICAS

Bíblia Sagrada 3.0 – RC/1995/ARA – SBB
Conquistando Almas – Dr. Terense Osborn 
Jorge Albertacci
30/12/2014
 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal