As Bem-Aventuranças - Estudos Bíblicos

Buscar
Ir para o conteúdo

Menu principal:

As Bem-Aventuranças

Artigos
As Bem-Aventuranças  Aplicadas às Nossas Vidas 
Mateus 5:1-12

INTRODUÇÃO

Aqui nosso Salvador dá oito características da gente bem-aventurada que para nós representam as graças principais do cristão.

1) Os pobres de espírito são bem-aventurados. Estes levam suas mentes a sua condição quando é baixa. São humildes e pequenos segundo seu próprio critério. Vêem suas necessidades, se lamentam por suas culpas e têm sede de um Redentor. O reino da graça é desses tais; o reino da glória é para eles.

2) Os que choram são bem-aventurados. Parece ser que aqui se trata dessa tristeza santa que opera verdadeiro arrependimento, vigilância, mente humilde e dependência contínua para ser aceito pela misericórdia de Deus em Cristo Jesus, com busca constante do Espírito Santo para limpar o mal residual. O céu é o gozo de nosso Senhor; um monte de gozo, rumo ao qual o nosso caminho atravessa um vale de lágrimas. Tais doentes serão consolados por seu Deus.

3) Os mansos são bem-aventurados. Os mansos são os que se submetem silenciosamente a Deus; os que podem suportar insultos; são calados ou devolvem uma resposta branda; os que, em sua paciência, conservam o domínio de suas almas, quando escassamente têm possessão de alguma outra coisa. Estes mansos são bem-aventurados ainda neste mundo. A mansidão fomenta a riqueza, o consolo e a segurança, ainda neste mundo.

4) Os que têm fome e sede de justiça são bem-aventurados. A justiça está aqui colocada por todas as bênçãos espirituais. Estas são compradas para nós pela justiça de Cristo, confirmadas pela fidelidade de Deus. nossos desejos de bênçãos espirituais devem ser fervorosos. Embora todos os desejos de graça não são graça, contudo, um desejo como este é um desejo dos que são criados por Deus, e Ele não abandonará a obra de Suas mãos.

5) Os misericordiosos são bem-aventurados. Devemos não somente suportar nossas aflições com paciência, senão que devemos fazer tudo o que pudermos por ajudar os que estejam passando misérias. Devemos ter compaixão pelas almas dos próximos, e ajudá-los; compadecer-nos dos que estão em pecado, e tratar de tirá-los como brasas fora do fogo.

6) Os limpos de coração são bem-aventurados, porque verão a Deus. aqui são plenamente descritas e unidas a santidade e a felicidade. Os corações devem ser purificados pela fé e mantidos para Deus. Cria em mim, oh Deus, um coração limpo. Ninguém senão o limpo é capaz de ver a Deus, nem o céu é prometido para o impuro. Como Deus não tolera olhar para a iniqüidade, assim eles não podem olhar para Sua pureza.

7) Os pacificadores são bem-aventurados. Eles amam, desejam e se deleitam na paz; e lhes agrada ter quietude. Mantêm a paz para que não seja perdida e a recuperam quando é quebrantada. Se os pacificadores são bem-aventurados, aí dos que quebrantam a paz!

8) Os perseguidos por causa da justiça são bem-aventurados. Este ditado é peculiar do cristianismo; e se enfatiza com maior intensidade que o resto. Contudo, nada há em nossos sofrimentos que possa ser mérito ante Deus, mas Ele verá que os que perdem por Ele, ainda a própria vida, não percam finalmente por causa dEle.

Bendito Jesus, quão diferentes são tuas máximas das dos homens do mundo! Eles chamam ditoso ao orgulhoso, e admiram o alegre, o rico, o poderoso e o vitorioso. Alcancemos nós misericórdia do Senhor; que possamos ser reconhecidos como seus filhos, e herdemos o reino. Com estes deleites e esperanças, podemos dar as boas-vindas com alegria às circunstâncias baixas e dolorosas.

O sermão da montanha foi dirigido em geral à multidão e aos discípulos em particular. A multidão era de admiradores do Reino. Os discípulos eram os cidadãos do Reino. Os súditos do Reino deveriam entender que a religião é muito mais interior do que exterior.

AS BEM-AVENTURANÇAS APLICADAS NAS VIDAS DOS DISCÍPULOS TORNA-OS:

1. Isentos de pretensões:

“Bem-aventurados os pobres de espírito (humildes)” (v3). Esses são os que nada veem em si que justifique confiança em seus méritos e por isso erguem os olhos e suplicam por Sua graça e misericórdia.

2. Reconhecedores das suas impiedades:

“Bem-aventurado os que choram” (v4). Convencidos de suas próprias faltas, sentindo os pecados e tristezas que elas provocam, reconhece que Deus enxuga as suas lágrimas.

3. Distingues-se pela paciência:

“Bem-aventurados os mansos” (v5). Não revida as ofensas do inimigo; sabe suportar os insultos e as injúrias com o espírito que as suportou o seu Senhor e Mestre.

4. Anelantes pela santidade:

“bem-aventurados os que tem fome e sede de justiça” (v6). Jesus é a nossa justiça. Deseja-la ardentemente, é sentir a revivência divina da santidade, da vida e do amor.

5. Sente o sofrimento alheio:

“Bem-aventurados os misericordiosos” (v7). Assistir aos que está necessitado, ter atitude caridosa para com os que lutam com as suas fraquezas.

6. Puros de sentimentos:

“ Bem-aventurados os limpos de coração” (v8). Deus quer fazer morada no coração do crente, mas não pode coabitar com a impureza, feliz é aquele que pode ver a Deus quando olha para dentro de si.

7. Promove o bem estar:

“Bem-aventurados os pacificadores” (v9). Pregar o evangelho é promover a paz entre os homens.

8. Sofrem pelo evangelho:

Bem-aventurados os que sofrem perseguições por causa da justiça” V10-12. Participar dos sofrimentos de Cristo é arrolar-se na galeria dos santos e mártires aos quais foi prometido o reino dos céus.

CONCLUSÃO

Após a exposição do Senhor sobre As Bem-Aventuranças -  nos versículos 13-16, Ele os qualificadizendo: Vocês são o sal da terra - Vocês são a luz do mundo. A humanidade, na ignorância e maldade, era como um monte enorme, prestes a apodrecer, mas Cristo enviou seus discípulos para sazoná-la, por suas vidas e doutrinas, com o conhecimento e a graça. Se não são como deveriam ser, são como sal que perdeu seu sabor. Se um homem pode adotar a confissão de Cristo e, contudo, permanecer sem graça, nenhuma outra doutrina, nenhum outro meio o faz proveitoso. Nossa luz deve brilhar fazendo obras tais que os homens possam vê-las. O que há entre Deus e nossas almas deve ser guardado para nós mesmos, mas o que, de si mesmo, fica aberto à vista dos homens, devemos procurar que se conforme a nossa profissão e que seja elogiável. Devemos apontar à glória de Deus. O principal objetivo das Bem-Aventuranças é para que Cristo viva nos discípulos e  seja glorificado nas vidas deles. Tudo que do Senhor aprendemos e somos, é para ser exclusivamente empregado na obra dele.

Fonte de Pesquisa: 
Bíblia Sagrada – 3.0 – RC/1995 – SBB – Rio de Janeiro
Pontos Salientes – JUERP – Rio de Janeiro
Matthew Henry - Comentário Bíblico NT - CPAD - Rio de Janeiro
Pr. Jorge Albertacci - Assembleia de Deus do Retiro em Volta Redonda - Rio de Janeiro


 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal