Como estão nossas raízes? - Estudos Bíblicos

Buscar
Ir para o conteúdo

Menu principal:

Como estão nossas raízes?

Estudos Bíblicos
Como estão nossas raízes?
 
Porque brotará um rebento do tronco de Jessé, e das suas raízes um renovo frutificará - Isaías 11:1.
 
INTRODUÇÃO
 
A referência acima, está entre as mais importantes, sobre o termo raiz, em toda Bíblia Sagrada, por se tratar de uma profecia referente ao Filho de Deus, Jesus Cristo. Para nós que precisamos crescer “para cima” é necessário que de igual modo “cresçamos também para baixo” e que estejamos enraizados em terreno fértil, e às margens de ribeiro de água, para que assim possamos ter raízes aprofundadas. No sentido literal, são estas a porção do eixo das plantas superiores que cresce para baixo, em geral dentro do solo, e cuja função fundamental é fixar o organismo vegetal e retirar do substrato os nutrientes e a água necessários à vida da planta.
 
OS BEM-AVENTURADOS DO SALMO PRIMEIRO
 
“Bem-aventurado o varão que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes, tem o seu prazer na lei do SENHOR, e na sua lei medita de dia e de noite. Pois será como a árvore plantada junto a ribeiros de águas, a qual dá o seu fruto na estação própria, e cujas folhas não caem, e tudo quanto fizer prosperará”
(Sl 1:1-3).
 
A RAIZ DE JESSÉ
 
Jessé é um exemplo para todos quantos querem permanecer firmes na presença de Deus. Sua ascendência abaixo descrita é produto do terreno fértil que não sofreu erosão e nenhum mal provocado pela ação do homem. Evidenciando assim, a base genealógica de Jesus Cristo nosso Senhor, descrita no evangelho segundo escreveu Mateus, 1:1-17.
 
AS RAIZES

Rute 4:18 Estas são, pois, as gerações de Perez: Perez gerou a Esrom;

Rute 4:19 e Esrom gerou a Arão, e Arão gerou a Aminadabe;

Rute 4:20 e Aminadabe gerou a Naassom, e Naassom gerou a Salmom;

Rute 4:21 e Salmom gerou a Boaz, e Boaz gerou a Obede;

Rute 4:22 e Obede gerou a Jessé, e Jessé gerou a Davi.
 
Davi seria a raiz da qual descenderia Jesus:
 
“E disse-me um dos anciãos: Não chores; eis aqui o Leão da tribo de Judá, a Raiz de Davi, que venceu para abrir o livro e desatar os seus sete selos” - Apocalipse 5:5.
 
“Judá é um leãozinho; da presa subiste, filho meu. Encurva-se e deita-se como um leão e como um leão velho; quem o despertará? O cetro não se arredará de Judá, nem o legislador dentre seus pés, até que venha Siló; e a ele se congregarão os povos” - Gênesis 49:9-10.
 
“Porque brotará um rebento do tronco de Jessé, e das suas raízes um renovo frutificará.  E repousará sobre ele o Espírito do SENHOR, e o Espírito de sabedoria e de inteligência, e o Espírito de conselho e de fortaleza, e o Espírito de conhecimento e de temor do SENHOR.  E deleitar-se-á no temor do SENHOR e não julgará segundo a vista dos seus olhos, nem repreenderá segundo o ouvir dos seus ouvidos;  mas julgará com justiça os pobres, e repreenderá com equidade os mansos da terra, e ferirá a terra com a vara de sua boca, e com o sopro dos seus lábios matará o ímpio” - Isaías 11:1-4.
 
E outra vez Isaías diz: “Uma raiz em Jessé haverá, e, naquele que se levantar para reger os gentios, os gentios esperarão” - Romanos 15:12.
 
QUANTO A NÓS

Quanto a nós, que uma vez plantados como lavoura de Deus, aprofundemos nossas raízes no solo que o Senhor nos tem plantado, para que com efeito mostremos para o mundo que realmente somos herdeiros do reino celestial.

Descenderá de nossas raízes algo que se relacione com o Cordeiro de Deus? Tem nossas raízes alguma ligação com as de Jessé?

Estão ainda nossas raízes plantadas onde o Senhor as plantou quando aceitamos a fé, ou nós as mudamos de lugar em face às tantas novidades que aparecem?
 
Nossas raízes tem se aprofundado no solo ao ponto de nos firmar, ou estão tão superficiais não sendo capazes de nos sustentar nas horas dos vendavais?

Nossas raízes são capazes de retirar do substrato o lenitivo que possa saciar a sede de nossas almas?

E quanto aos que estão de fora, terão estes o lenitivo necessário para preencher a lacuna que há no profundo de suas almas mediante o efeito das nossas raízes?

Toda árvore que não produz bom fruto é cortada e lançada no fogo - Mt 3:10 – Nossos  frutos estão sendo bons, ou próprios para o fogo?

Somos lavoura de Deus - 1Co 3:9 – Como lavoura de Deus, está claro que estamos produzindo frutos, com poupas o suficiente para matar a fome dos famintos, e com suco suficiente agradável para saciar a sede dos sedentos que estão a nossa volta.

Eu plantei Apolo regou, mas Deus deu o crescimento - 1Co 3:6.
 
Paulo plantou a semente da mensagem das Boas Novas no coração das pessoas. Paulo foi um missionário pioneiro; trouxe a mensagem da salvação. Apolo regou a semente; ajudou os crentes a crescerem mais fortes na fé. Paulo fundou a Igreja em Corinto, e Apolo construiu sobre esse alicerce. Tragicamente, os crentes de Corinto se dividiram em facções, garantindo lealdade a diferentes mestres (1Co 1:11-13). Apos o trabalho dos pregadores. Deus e quem da aos cristãos o crescimento. Nossos líderes certamente devem ser respeitados, mas nunca devemos coloca-los em pedestais que criem barreiras entre as pessoas, ou considera-los como substitutos de Cristo (Bíblia Aplicação Pessoa – CPAD).

Não haja raiz que produza erva venenosa - Dt 29:18.
 
Moises alertou que no dia em que os israelitas se afastassem de Deus, uma raiz brotaria e produziria amargura e frutos venenosos (Hb 12:15). Quando decidimos fazer o que sabemos ser errado, plantamos uma semente que cresce descontroladamente, gerando magoas e dores. Mas podemos impedir que tais sementes de pecado formem raízes. Se você cometeu algum erro, confesse-o a Deus e aos outros imediatamente. Quando a semente não encontra solo fértil, seu fruto amargo nunca amadurecerá.

OUTRAS REFERÊNCIAS
 
Não tinha raiz secou-se - Mt 13:6

Se a raiz é santa, também os ramos o são – Rm 11:16.

Não és tu que sustentas a raiz, mas a raiz a ti – Rm 11:18.

A tua mulher como videira frutífera e teus filhos como planta de oliveira – Sl 128:3.

Jesus amaldiçoou a figueira que apesar de ter lindas folhagem não havia nela fruto - Mc 11:13.

CONCLUSÃO

1. Hoje falamos muito sobre avivamento, evangelismo, missões e outras atividades, e é necessário que haja, mas, e nossas raízes como estão? Superficiais ou profundas?

2. Sempre quando falamos em avivamento consideramos as ramagens pomposas, as copas opulentas, as folhagens exuberantes, mas, e as nossas raízes como estão? E os frutos?

3. No Antigo Testamento Deus sempre abençoou aqueles que fizeram jus; Deus nunca tratou como rebeldes e desobedientes, a não ser para destruição e castigo.
 
“Deseja o ímpio a rede dos maus, mas a raiz dos justos produz o seu fruto” - Provérbios 12:12.
 
“Efraim foi ferido, secou-se a sua raiz; não darão fruto; sim, ainda que gerem, eu matarei os frutos desejáveis do seu ventre” - Oséias 9:16.

4. Nos dias atuiais, Deus, somente tem a tratar com pessoas, convertidas, abnegadas, regeneradas. É bem verdade que Jesus veio para os perdidos, miseráveis, doentes e destituídos até mesmo do convívio com as pessoas de bem. Para estes Ele empenhou todo Seu amor, reintegrando-os não somente ao convívio com as pessoas de bem, mas, por Sua incomensurável graça aos que um dia entrarão na cidade santa pelas portas.

5. Deus não tem a tratar com pessoas obstinadas, que se dizem ter pavio curto ou comprido; que tem sangue desta ou daquela raça na veia. Mas Ele trata sim, com todos quantos aceitaram a fé em Cristo e que tenham suas raízes arraigadas nos ensinos do Seu Filho, Jesus.

6. Como estão suas raízes?

7. Caules, galhos, folhas e frutos bons e bonitos, provem de raízes profundas.

8. Caules, galhos e folhas bonitas, mas, sem frutos bons,  para nada vale a não ser para ser queimado ou quem sabem amaldiçoado por Jesus?

9. A única evidência de AVIVAMENTO é a presença de frutos (salvação de pecadores) esta não é a maior evidência, mas, a única – não havendo salvação, desconsidera-se o termo AVIVAMENTO.


Pastor Jorge Albertacci
Volta Redonda - Rio de Janeiro
Assembleia de Deus do Retiro



 
 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal