Ana, Uma Mulher de Oração e Ação de Graças - Estudos Bíblicos

Buscar
Ir para o conteúdo

Menu principal:

Ana, Uma Mulher de Oração e Ação de Graças

Estudos Bíblicos II
ANA, UMA MULHER DE ORAÇÃO

1Sm 1:1-19

INTRODUÇÃO
 
A Oração de Ana – O Ministério de Samuel – A Queda do Sacerdote 

Quando Deus quis dar um salvador a Israel, Ele escolheu uma mulher de oração, Ana – Quando quis dar um Salvador ao mundo, escolheu uma Santa imaculada, Maria. Ana era uma mulher temente a Deus e desejava ser mãe, mas era estéril e sofria as injúrias de sua rival, Penina. Mas Deus ouviu sua oração e lhe deu um filho que se tornou um tipo de Jesus em seu triplo ministério: Sacerdote, Profeta e Rei. Samuel foi o último juiz em Israel e julgou o povo durante toda sua vida. Essa foi a felicidade de um filho gerado sob o poder da oração (1 Sm 7:15). O nascimento de Samuel, foi fruto da oração de sua mãe.
 
A ANGÚSTIA DE ANA

1. Orou ao Senhor (v10).
“Com amargura de alma, chorou abundantemente” Ana, além de sincera era fervorosa (vv 13, 15) – Às vezes temos que chorar como Ana para recebermos a resposta de Deus.

2. Amargura, com aflição pediu um filho
Com Agar e Léia também não foi diferente Gn 16:11; 29-32. Hoje muitas evitam, escolhem o tempo que querem, como também abortam inescrupulosamente.

3. A de oração Ana não era vingativa: 
Penina tinha muitos filhos e escarnecia de Ana e a irritava (v 6), mas Ana não pediu vingança contra ela. Ana preferiu falar com Deus somente sobre o seu problema.

4. Sua oração foi definida e clara: 
Ana não perdeu tempo com pedidos confusos. Foi uma oração, segundo a vontade de Deus, simples, mas, objetiva  (v11).
 
ANA PEDIU UMA SÓ COISA: UM FILHO

5. Não foi uma oração interesseira:
Pediu um filho para consagrá-lo ao Senhor. O objetivo de Ana era gerar em seu ventre um filho, para em seguida entrega-los a Deus! (v11).

6. Ana pediu Samuel a Deus, e ele livrou seu povo da decadência espiritual.

7. Com três anos de idade, Samuel já adorava a Deus (vv28-19).

8. Na adolescência já era sacerdote (1Sm 2:18-19).

9. Oração perseverante (v12) – Não desanimava do propósito.
 
A ALEGRIA E GRATIDÃO DE ANA

1. Ana creu antes de ver o milagre acontecer (v18). “E o seu semblante já não era triste” - (Mc 11:24) “tudo o que pedirdes, crede que recebereis e tê-lo-eis.
 
2. Ana cumpre o voto (vv 24-28) – apenas desmamou o menino e o entregou ao Senhor “Quando a Deus fizerdes um voto, não tarde em cumpri-lo” (Ec 5:4-5). E foi assim que Ana fez!
 
3. Ação de Graças (1Sm 2:11) – a partir de então, a oração de Ana, não era de aflição, mas de gratidão. Não era mais de pedido, mas, de Ação de Graças pelo reconhecimento do que Deus fizera em sua vida!
 
4. Deus deu à Ana, além de Samuel, mais três filhos e duas filhas (1Sm 2:21).
 
5. Ana entregou Samuel a Deus. Aquilo  que lhe era mais precioso na vida. Que exemplo esse de Ana para os nossos dias, quando egoisticamente se pede tudo e quando recebe não se lembra de render Ação de Graças ao Pai Celestial. Mas não se esquece de uma festa com os mesmos arranjos dos que não aprenderam servir a Deus. É normal não se lê sequer um versículo na Palavra de Deus. Nos aniversários de crianças não é lembrado o dom da vida concedido pelo Criador. Os personagens exaltados são idealizados por incrédulos e forjados nos bastidores da televisão. Diferente de quando as famílias agradeciam a Deus, era lido o Salmo 103 e outros. Eram entoados louvores ao Criador e explanação da Palavra de Deus.

 
Os filhos do próprio sacerdote eram rebeldes: (Hofni e Finéias). A impiedade deles: (1Sm 2:12-17, 22).

1. Eles foram culpados por impiedade (2:12,17).

2. Eles foram culpados por intimidação (2:13-16)

3. Eles foram culpados por imoralidade (2:22)

4. Foram corrigidos pelo pai quando já era tarde (1Sm 2:23-25).

5. Finalmente junto com o pai, foram corrigidos pelo profeta (1Sm 2:27-36).
 
Ato contínuo, morre o sacerdote e seus filhos, e Samuel o filho de Ana o substitui.

As Derrotas, que são duas: 1Sm 4:1-11

1. Os filisteus matam 4.000 israelitas.

2. Em seguida os israelitas levam a Arca; os filisteus matam 30.000 incluindo os filhos de Eli e ainda confiscam a Arca.

O Sacerdote recebe a notícia, cai da cadeira, quebra o pescoço e morre.

A esposa de Hofni entra em trabalho de parto, dá à luz e morre.

A esposa de Finéias pouco antes de sua morte dá a seu filho e dá-lhe o nome de ICABÔ – (1Sm 4:21-22).
 
CONCLUSÃO
 
Pela fidelidade e persistência, Deus honrou a humilde Ana. Mulher de oração, mulher de determinação, mulher que não tinha egoísmo. Mulher que reconhecia que Deus merecia o melhor da sua vida. Ana não se desesperava, antes, derramava sua alma nos pés do Senhor. Quieta, não se descabelava, mas orava baixinho, demostrando que realmente mantinha uma estreita comunhão com Deus, e tinha.

Ana serve de exemplo não somente para as mulheres, mas também para muitos obreiros que lutam e lutam e permanecem infrutíferos. Tudo quanto vai fazer dá errado. Não realizam batismos, não ganham almas. Este é o momento em que o obreiro deve correr para a amurada do barco (no caso do obreiro, a amurada do altar do Senhor) e banha-la de lágrimas quentes, vertidas entre sussurros inefáveis com Deus. Clamando, Senhor: dai-me almas, dai-me filhos na fé, dai-me dom do céu. Senhor, que eu tenha palavras temperadas com sal; que eu possa falar inspirado não por sabedoria secular, mas pela do Espírito.


Pastor Jorge Albertacci 
Assembleia de Deus - Volta Redonda - Rio de Janeiro
 
 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal