Ui, que susto!!! - Estudos Bíblicos

Buscar
Ir para o conteúdo

Menu principal:

Ui, que susto!!!

Artigos
___________


Ui! Que Susto!
 
Mt 14:13-21 - Mc 6:48-51 - Lc 9:10-17 - Jo 6:1-11

Texto Bíblico
 
“E, vendo que se fatigavam ao remar, porque o vento lhes era contrário, perto da quarta vigília da noite, aproximou-se deles, andando sobre o mar, e queria passar adiante deles, mas, quando eles o viram andar sobre o mar, pensaram que era um fantasma e deram grandes gritos. Porque todos o viram e perturbaram-se; mas logo falou com eles e disse-lhes: Tende bom ânimo, sou eu; não temais. E subiu para o barco para estar com eles, e o vento se aquietou; e, entre si, ficaram muito assombrados e maravilhados”
 
 INTRODUÇÃO
 
O texto em apreço decorreu da sequência de fatos, dentre estes, o excêntrico episódio da decapitação e sepultamento de João Batista (Marcos 6:22-28). Com isso, os apóstolos se ajuntaram a Jesus, o qual os convidou para um lugar deserto, onde pudessem descansar, tendo o Mestre com os Seus discípulos entrado num barco e partido.
 
O DESEJO DE ESTAR JUNTO DO MESTRE
 
Só que  a multidão viu-os partir, e muitos o conheceram; e correram para lá, a pé, de todas as cidades, e ali chegaram primeiro do que eles, e aproximavam-se dele! E Jesus, saindo do barco, viu uma grande multidão, e teve compaixão deles, porque eram como ovelhas que não tinham pastor; e começou a ensinar-lhes muitas coisas. Que privilégio para essa multidão que agora longe das preocupações da cidade se encontrava reservadamente com Jesus e os Seu apóstolos - enquanto o Mestre lhes aplicava as mais excelentes matérias em uma Escola Bíblica que para a qual não havia feito nenhum anúcio prévio! (Marcos 6:29-34).
 
A GRANDE EXPERIÊNCIA

O que para a grande multidão se tornou em uma grande bênção – para os discípulos, motivo de preocupação e grande aperto, visto que, com o aproximar da tarde, eles previam deficuldade em dar contas do que estava sob a responsabilidade de cada um.
 
Com o entardecer, o problema logo começaria com alimentação, motivo que, os levou a abordarem a Jesus: Mestre, o lugar é deserto e já está ficando tarde, despede-os, para que vão aos lugares e aldeias circunvizinhas, e comprem pão porque nós não trouxemos nada para comer.
 
O aperto em que os discípulos se envolveram nele não significava nada, face à experiência que simultaneamente eles teriam – Aleluia! A resposta de Jesus foi peremptória: Dai-lhes vós de comer! E eles disseram-lhe: Iremos nós, e compraremos duzentos dinheiros de pão para lhes darmos de comer? Era muita gente, para quem não tinha nada! E Ele disse-lhes: Quantos pães vocês têm aí? Confere entre vocês. Tão logo tomaram conhecimento responderam a Jesus: Temos cinco pães e dois peixes.

A SOLUÇÃO
 
E ordenou-lhes que fizessem assentar a todos, em grupos, sobre a erva verde. E assentaram-se repartidos de cem em cem, e de cinquenta em cinquenta. E, tomando Ele os cinco pães e os dois peixes, levantou os olhos ao céu, e abençoou, e partiu os pães, e deu-os aos Seus discípulos para que os pusessem diante deles. E repartiu os dois peixes por todos.  E todos comeram e ficaram fartos, e levantaram doze cestos cheios de pedaços de pão e de peixe.  E os que comeram foram quase cinco mil homens, além das mulheres e crianças! Que experiencia maravilhosa! Na verdade os apóstolos estavam tendo uma aula, não somente teórica, mas, prática também, sobre como procederiam a partir de então no exercício de tão nobre e excelente Ministério! – (Marcos 6:37-44). Com Jesus, se aprende no deserto, as matérias atinentes ao céu – matérias estas que as mais renomadas universidades as desconhecem. Matérias sobre milagres! Matérias sobre salvação! Matérias que ao homem natural não compete entende-las! (1Coríntios 2:14-18): "Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente.  Mas o que é espiritual discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido.  Porque quem conheceu a mente do Senhor, para que possa instruí-lo? Mas nós temos a mente de Cristo."

SACIADOS DO ALIMENTO MATERIAL E CHEIOS DO ESPIRITUAL

Os discípulos a partir de então passaram somar nas suas bagagens uma experiência que, só mesmo no deserto com Jesus poderiam adquiri-la! Quando a fome aperta, estando com Jesus dá tudo certo, Ele é o nosso Pastor; e nesse dia que o versículo alude, não foi diferente. As dificuldades chegaram, mas eles estavam com Jesus. É melhor estar com Jesus no deserto sem nenhum recurso aparente, do que estar na cidade, com todos os recursos necessários, mas, sem Ele. Foi oportuno quando Ele recomendou aos Seus discípulos: "Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam.  Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam, nem roubam. Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração." (Mateus 6:19-21).
 
HORA DE VOLTAR PARA BETSAIDA
 
Finalmente, Jesus os obriga a subirem no barco para irem embora, enquanto Ele, ficaria ainda um pouco para despedir a multidão, e ainda ir ao monte para concluir com oração (Mc 6:45-46).  E, com o passar das horas, o barco já estava no meio do mar, e Ele, sozinho em terra. Momento em que, os discípulos depararam com um forte vento que lhes era contrário, e ao se esforçarem para remar, começaram a fatigar-se,  e já era perto da quarta vigília da noite (quarta vigília, período entre três e seis horas da manhã) - Jesus se aproxima deles andando sobre o mar; era madrugada, aproximadamente entre três e seis horas da manhã. Eles não conheceram o Senhor! Assustaram! Pensaram que Jesus fosse um fantasma! E começaram a gritar. De alegria? Não! De susto! De medo! Isto mesmo, medo de Jesus!
 
Talvez que o pão que de forma tão milagrosa  haviam comigo há tão poucas horas, ainda estivesse sob o processo de digestão  nos seus estômagos! Assim é o ser humano: inteiramente dependente de Deus! Quão bom seria de todos entendessem assim!
 
AMNÉSIA ESPIRITUAL
 
Quantos que oram: Jesus, abençoa meu filho e o Senhor Jesus atende, daí a pouco a pessoa esquece do que Jesus fez. Se esquece até do próprio Senhor! Muitos crentes, tão logo tenham suas orações respondidas, nada mais existe a se preocuparem, e pior: nem mesmo para prestar Ação de Graças. Uma vez abastados, não há mais motivo para incomodar o Mestre! Uma vez abençoados, somente lhes resta tranquilidade, assim como nos dias de Noé, sobre os quais Jesus falou (Mateus 24:37-39).
 
CONCLUSÃO
 
Tributemos a Deus a glória que lhe é devida. Materialmente, quando a pessoa está esquecendo muito as coisas, o médico dá uma solução, receitando certas vitaminas. Mas esquecer de Jesus, não reconhecê-lo, é necessário não simplesmente orar, mas, procurar manter com Ele uma comunhão mais estreita – o que pode ser resolvido através da dedicação da vida somente  a Ele!
 
Confundir Jesus com outro profeta, com outro homem, é uma coisa, mas, com uma assombração! Só estando mesmo muito desligado, incorrendo inclusive, o grande perigo de ficar neste mundo quando finalmente a Igreja for arrebatada (1 tessalonicenses 4:13-18). 
___________

Pr. Jorge Albertacci
15 de dezembro de 2013
Volta Redonda/RJ
 
 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal