Pregando e Ensinando - Estudos Bíblicos

Buscar
Ir para o conteúdo

Menu principal:

Pregando e Ensinando

Esboço II
Pregando e Ensinando
Esboço Para Sermão
2Tm 4:1-5

INTRODUÇÃO

Pregando o que tens ouvido e Ensinando o que tens aprendido. A finalidade precípua da pregação é fazer notório o Reino de Deus entre os homens. Tudo que passar disto é prejudicial. Como sal da terra é dever do pregador: Promover a paz, e contribuir para que haja equilibro em uma sociedade, que em tudo demonstra que perdeu o rumo. Como luz do mundo, é dever do pregador, levar a luz do evangelho nos lugares escuros. Promovendo alegria, porque afinal de conta, ninguém gosta de andar na escuridão. Respondendo, porém, Pedro e João, lhes disseram: Julgai vós se é justo, diante de Deus, ouvir-vos antes a vós do que a Deus; porque não podemos deixar de falar do que temos visto e ouvido. (At 4:19-20) 
 
1. PREGAR É O ATO DE ENSINAR ATRAVÉS DE SERMÃO = Homilia = Falar de forma bem familiar = Sem gritarias = Repetir quando necessário = Provocar perguntas da parte do auditório = Interagir. 

2. Prega-se enquanto Ensina e Ensina-se enquanto Prega.

3. Da mesma forma: Ensina-se enquanto Aprende e Aprende-se enquanto Ensina.

4. O obreiro quando for pregar, é necessário que ele conheça o texto e os contextos do assunto em tese.

5. É necessário que ele esteja inteirado sobre o que vai pregar para evitar mensagens infundadas – Ap 22:18-19.

6. É necessário que o ensino seja inteligível, compreensível, claro, simples e salvo os pleonasmos,  fácil de entender).

7. É necessário que o pregador saiba o que está pregando.

CONCLUSÃO

Os modismos têm levado muitos pregadores dos tempos modernos à confusão. Por todos os cantos se vê práticas, as mais bizarras sendo aplicadas nas pregações, e pior: até mesmo entre as Igreja tradicionais que sempre primaram por caminhar segundo os moldes traçados por Jesus. Ressalto que, pior do que o que é péssimo é a infeliz prática do indivíduo que se coloca no lugar de pregador e ao invés de pregar, fica ordenando aos ouvintes a: pegarem na mão um do outro – profetizar no ouvido um do outro – declarar para o que estiver ao lado, palavra de vitória – mandar repetir o que se diz, ou lê – mandar o indivíduo tirar o pé do chão, para vê-los pulando desnecessariamente – mandar que um grite para o outro, palavra de ordem. Isto é pecado, pode ser crime também, é enrolação, é falta de unção, é falta de conhecimento da Palavra, é desconsiderar os princípios bíblicos, é explorar o lado místico do povo, é falta de respeito. Pior ainda: é falta de assunto – é abominável perante o Espírito Santo de Deus.

Jorge Albertacci
 
Pastor Emérito da Igreja Evangélica Assembleia de Deus do Retiro
Volta Redonda - Rio de Janeiro
 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal