Dependência - Estudos Bíblicos

Buscar
Ir para o conteúdo

Menu principal:

Dependência

Pr. José Edson
Pastor José Edosn


Todos nós fomos, somos e seremos sempre, dependentes. Nosso ego procura fugir, e rejeitar ser dependente. Nossa vaidade, orgulho, prepotência não tolera a dependência. Porque a dependência exige humildade e submissão. Um dependente é carente, é necessitado, e está sempre submisso à vontade de quem o ajude. Muitos, para não serem dependentes, procuram se abastecer, guardar, preparar e poupar. Mas, por mais previdente que sejam sempre irão depender de alguém, e a expectação é saber de quem ser dependente: grande ou pequeno, perto ou longe, bom ou mau com satisfação ou insatisfeito, com alegria ou de má vontade.  Não adianta se orgulhar, se gloriar em não ser mais dependente do pai, da mãe, do amigo; porque não se sabe se o destino o fará voltar a ser dependente deles outra vez. 

Visitei um senhor de idade que tinha tido um AVC e numa cama ele era dependente de tudo e de todos da sua família. E fiquei apreensivo se eu também iria cair naquela mesma situação na minha velhice. Somos dependentes, desde que nascemos, alguém que cortasse o nosso umbigo, nos limpasse, nos vestisse, para que nos alimentasse nos protegesse e nos educasse. Lembramo-nos das primeiras aulas que tivemos no primário.

Até na morte somos dependentes de alguém que nos leve e nos sepulte. Então caímos na realidade que é melhor interagir com todos porque somos iguais e dependentes um dos outros. 
Não obstante, a dependência ser uma carência, muitos têm a petulância ou o orgulho de rejeitar a ajuda, embora sabendo que está se definhando, mas não dá o braço a torcer, não quer mostrar que é dependente e ainda se irrita facilmente com aquele que o está ajudando. É um triste comportamento de quem não quer reconhecer que é dependente. Outros escolhem de quem quer ser dependente. Para não cair nas mãos de quem vai querer humilhar, tirar proveito da fragilidade do carente. Bom é ser dependente de quem tem grandes recursos, tem bom coração, ou de quem já foi dependente porque vai reconhecer e lembrar que já foi também um dependente.

Quando Jesus estava no fim do seu jejum de quarenta dias, Satanás o inimigo de Deus e dos homens. Ofereceu ajuda, um conselho a Jesus que estava muito debilitado; mandou que ele transformasse aquelas pedras em pães e se alimentasse; porque Satanás sabia que o Senhor tem poder sobre todas as coisas. Mas na Sua debilidade, Jesus não cedeu ao inimigo, mas preferiu depender exclusivamente de Deus Pai, que supre todas as coisas. E respondeu a Satanás, que o homem não depende somente de pão, mas de todas as palavras que saem da boca de Deus, disso depende o homem.

Deus é o único, que o homem deve reconhecer e depender, porque nunca Ele irá decepcionar ninguém, pelo contrário, Deus tem prazer em se revelar mostrando Sua bondade e misericórdia. E que na realidade, todas as suas criaturas dependem dele. 
O salmista Davi reconheceu isto e escreveu na sua poesia: Ó Senhor, quão variadas são as tuas obras! Todas as coisas fizestes com sabedoria; cheia está a terra das tuas riquezas.
 
Tal é este vasto e espaçoso mar, onde se movem seres inumeráveis, animais pequenos e grandes. Ali passam os navios; e o leviatã que formaste para nele folgar. Todos esperam de ti, que lhes dê o seu sustento em tempo oportuno. Dando-lho tu, eles o recolhem; abres a tua mão, e enchem-se de bens. Escondes o teu rosto, e ficam perturbados; se lhes tiras a respiração, morrem e voltam ao próprio pó. Envias o teu Espírito, e são criados, e assim renovas a face da terra. (Salmos 104.24-30).
 
Para que o homem seja real e genuíno. Ele deve reconhecer a sua dependência e se voltar para aqueles que estão dependendo de sua ajuda. Essa é a melhor maneira de se viver entre os homens e diante de Deus. Jesus declarou o texto áureo para os homens de todas as épocas de todas as culturas e religiões no mundo: Ele respondeu a um homem que O interrogou: Amarás ao Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças, e de todo o teu entendimento e ao teu próximo como a ti mesmo. E disse-lhe: Respondeste bem; faze isso e viverás. (Lucas 10.27,28).

Temos e devemos reconhecer que, para alcançarmos a vida eterna no Paraíso de Deus; dependemos da fé no sacrifício de Cristo na cruz. Do arrependimento dos nossos pecados, de congregarmos numa igreja que ama e vive conforme a Palavra de Deus, e viver uma vida de vigilância longe dos pecados aguardando a vinda de Jesus que se dará a qualquer momento.

Pastor José Edson é Lider da 
Assembleia de Deus em Barra Mansa
Av. Presidente Kennedy, 1502 – Ano Bom – BM - RJ
 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal