A Pedagogia de Jesus em Relação à Sua Vinda - Estudos Bíblicos

Buscar
Ir para o conteúdo

Menu principal:

A Pedagogia de Jesus em Relação à Sua Vinda

Escatologia Bíblica
______________

A Pedagogia de Jesus em Relação à Sua Vinda
A parábola das dez virgens

Mateus 25:1-13
 
INTRODUÇÃO
 
Jesus para falar aos homens sobre o Reino dos céus, fez alusão às coisas e fatos vividos no dia a dia da humanidade. Para que assim, Sua mensagem fosse mais facilmente entendida por todos, dos mais diferentes meios, como, pescadores, funcionários públicos, pastores, escrivães, doutores, como médicos e outros. Lavradores, donas de casa, prostitutas, avarentos, ricos, pobres, religiosos, homossexuais, ladrões, leprosos e outros. Jesus, como Mestre por excelência, Seu falar era acessível a todas e quaisquer pessoas. Afinal de contas Ele veio para todos.
 
A PEDAGOGIA DE JESUS
 
Quando Ele quis dar uma explicação sobre Sua volta para buscar a Igreja, Ele usou uma festa de casamento, o que Mateus reportou no Evangelho que escreveu, no texto supracitado. Onde por parábola ou de forma alegórica, Jesus deu ênfase ao assunto em epígrafe, falando das dez virgens que normalmente acompanhavam todo cortejo matrimonial, comparando assim, Seu encontro com a Igreja, no caso, Sua noiva, onde essas virgens estariam juntas até a conclusão de todo processo nupcial. Observemos que Jesus, o Mestre, em Sua pedagogia ilustra a figura do casamento que é usada frequentemente nas Escrituras para representar a relação entre Deus e Seu povo. No Velho Testamento, Deus é o marido e o povo de Israel, a mulher. No Novo Testamento, Cristo é o Noivo e a Igreja, a noiva. Ao compreender a riqueza desse símbolo, daremos mais importância à obediência no dia a dia.
 
A FALTA DE VIGILÂNCIA DO POVO
 
Só que, entre as dez mencionadas por Jesus, cinco eram prudentes, estavam devidamente trajadas e preparadas para acompanhar todo o cerimonial, enquanto que as outras cinco eram néscias. No episódio citado por Jesus, o Noivo atrasou-se, e com isto as moças dormiram, cochilaram, mas, à meia-noite, ouviu-se um clamor: Aí vem o esposo! Saí-lhe ao encontro!
 
Com as prudentes não houve problema nenhum, mas com as néscias sim, pois lhes faltou o principal: O AZEITE PARA AS LAMPARINAS. Somente aí que elas se deram por conta de que lhes faltava o principal – imediatamente elas apelaram para as prudentes pedindo emprestado: E as loucas disseram às prudentes: Dai-nos do vosso azeite, porque as nossas lâmpadas se apagam! Mas as prudentes responderam, dizendo: Não seja caso que nos falte a nós e a vós; ide, antes, aos que o vendem e comprai-o para vós.
 
Claro que de última hora, ainda mais, à meia noite, não se consegue mais nada com facilidade. Elas saíram para comprar, mas quando voltaram A PORTA JÁ SE HAVIA FECHADO! Pior do que lhes faltar o azeite em suas lamparinas, foi a resposta do Noivo: E, depois, chegaram também as outras virgens, dizendo: Senhor, senhor, abre-nos a porta! E ele, respondendo, disse: Em verdade vos digo que vos não conheço. Vigiai, pois, porque não sabeis o Dia nem a hora em que o Filho do Homem há de vir.
 
A PORTA DA GRAÇA ABERTA NO CALVÁRIO
 
Porta é por onde se entra ou sai – ou não se faz nenhuma das duas coisas, podendo ficar do lado de fora. Nos dias de Noé, a porta da arca se manteve aberta o tempo necessário para o povo entrar, bem como os demais seres viventes também (Gn 7:1). Assim é a porta que Jesus com Seu precioso sangue nos abriu. Ela estará aberta até o Grande Dia em que Ele há de voltar para Sua Esposa!
 
O pecador deve entrar pela porta da graça agora ou nunca, pelos seguintes motivos:
 
01)- Atualmente nossa Arca é Jesus ­– Lucas  17:32;
02)- Ele é o Caminho – João 14:6;
03)- Ele é a Porta – João 10:9;
04)- Ele é o Esposo – Marcos 2:19;
05)- A Igreja é a Esposa – Apocalipse 19:7;
06)- Ele é a Luz – João  8:12;07)- Ele é o Salvador e Mediador entre Deus e o homem – Atos 5:31; 1 Timóteo 2:5
08)- Ele deseja entrar em nossa casa  Apocalipse 3:20;
09)- Hoje Ele é o nosso Advogado  1 João 2:1;
10)- Amanhã Ele pode ser o nosso Juíz  Atos 10:42.

Vale entretanto ressaltar que, as virgens loucas estavam com todos os paramentos necessários para o ato. Olhando para elas ninguém notaria o que estava faltando. Pois para o azeite, elas tinham o recipiente em suas mãos, só que vazio. Talvez que elas tivessem se preocupado com muitas outras coisas. Como é normal nestes dias em que tudo nos alerta que Cristo está prestes a voltar, muitas pessoas estarem preocupadas com tantas coisas efêmeras deste mundo, sem a menor preocupação, sem o menor preparo para se encontrarem com Jesus! É bom saber que lamparina sem azeite não acende, e se acender, sua chama não passa de um ligeiro borrão e fumaça.
 
CONCLUSÃO
 
Esta parábola refere-se a um casamento. Naqueles tempos, no dia do casamento, o noivo ia à casa da noiva para a cerimônia. Então, os nubentes e um grande número de convidados dirigia-se à casa do noivo, onde se realizava uma festa, que geralmente durava uma semana inteira. As dez virgens eram damas de honra que esperavam para juntar-se aos convidados, a fim de participar da festa, mas, na parábola, devido à demora do noivo, cinco delas ficaram sem azeite para as suas lâmpadas. Quando conseguiram comprar o azeite necessário, já era tarde demais, e com isto não puderam unir-se aos convidados para a festa. Isso significa que, quando Jesus voltar para levar o seu povo para o céu deveremos estar prontos. A preparação espiritual não pode ser comprada ou emprestada no último minuto. O nosso relacionamento com Deus é pessoal e individual, pertence somente a cada um de nós.

______________
 

NOTAS

Bíblia Aplicação Pessoal – RC/1995 – CPAD – Rio de Janeiro
 
Jorge Albertacci
Pastor Emérito da Igreja Evangélica Assembleia de Deus do Retiro
Volta Redonda – Rio de janeiro.
 
 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal