Idolatria nas Igrejas Evangélicas - Estudos Bíblicos

Buscar
Ir para o conteúdo

Menu principal:

Idolatria nas Igrejas Evangélicas

Artigos
________________


IDOLATRIA NAS IGREJAS EVANGÉLICAS, UM DOS MAIORES PECADOS DO MOMENTO
Isaías 42:5-8

“Assim diz Deus, o SENHOR, que criou os céus, e os estendeu, e formou a terra e a tudo quanto produz, que dá a respiração ao povo que nela está e o espírito, aos que andam nela.  Eu, o SENHOR, te chamei em justiça, e te tomarei pela mão, e te guardarei, e te darei por concerto do povo e para luz dos gentios;  para abrir os olhos dos cegos, para tirar da prisão os presos e do cárcere, os que jazem em trevas.  Eu sou o SENHOR; este é o meu nome; a minha glória, pois, a outrem não darei, nem o meu louvor, às imagens de escultura.”
 
INTRODUÇÃO
 
Há coisas que acontecem nos dias de hoje, sobre as quais o povo de Deus precisa ser orientado, e entre estas está o caso da idolatria, pecado  que pode levar o homem à perdição eterna. O pecado de idolatria corresponde ao desprezo da salvação que Deus nos concedeu através do sacrifício vicário do Seu Filho Amado, Jesus Cristo, nosso Senhor.
 
COMENTÁRIO 

A idolatria é um dos pecados mais terríveis listados na Bíblia, porque consiste em dar glória e veneração a algo ou a alguém que não seja o próprio Deus, o único que é digno de toda honra e toda glória, todo louvor e toda adoração.  Entretanto, apesar de tão claro, este é um dos pecados mais praticados e mais ignorados em nossos dias no meio evangélico. É triste dizer, mas está se tornando cada vez mais comum jovens evangélicos que desenvolvem verdadeiros comportamentos idolátricos em relação à pessoas e coisas que, obviamente, não devem receber a nossa adoração.

Infelizmente, hábitos próprios do público do meio artístico secular estão cada vez mais, sendo reproduzidos no meio evangélico brasileiro. Não, não há nada demais em gostar de um determinado cantor ou cantora evangélicos, de admirá-lo, de sentir-se inspirado positivamente pelo seu ministério, de orar por ele, mas, quando o vínculo emocional da pessoa com aquele cantor que é admirado começa a se tornar exagerado, afetando todo comportamento dessa pessoa, então a coisa já descambou-se para os caminhos da idolatria.

Quando a presença daquela pessoa admirada no culto passa a ser mais importante do que o culto em si, então já estamos diante de um caso de idolatria.  Quando a ordem do culto começa a ser quebrada em nome de um frenesi enlouquecido diante do cantor admirado, então estamos diante de um clássico de idolatria dentro da Igreja.  Quando a verdadeira ortodoxia é desprezada  pela presença de um cantor, de uma cantora, ou de um pregador, desde a liderança da Igreja até o culto em si, então a coisa já saiu fora do controle.

Lembremo-nos que há o fogo estranho e o fogo de Deus; há a verdadeira adoração e há a mera agitação carnal confundida com a adoração a Deus. E não, não estamos condenando aqui a adoração a Deus com hinos animados, de celebração e alegria! Tudo isso é maravilhoso e legítimo! Estamos falando do perigo do culto se tornar um mero show, de o local de adoração a Deus se tornar um ambiente de torcida organizada, de o púlpito se tornar um palco onde o foco é o homem e não a Deus, e isso tem a ver tanto com a atitude de quem ministra o louvor como com a atitude daqueles ministrados, daqueles que estão ali para participar daquele momento.  Quando o culto a Deus dá lugar ao show do homem, então estamos diante de um pecado. Isso desagrada a Deus e ofende-O profundamente. Podemos chamar isso do que quisermos, mas não de culto a Deus, pois já deixou de sê-lo há muito tempo. E culto ao homem, é idolatria versão evangélica.

CONCLUSÃO

O Deus eterno criou-nos exclusivamente para Ele. Em todas as dispensações Satanás tentou desviar o homem dos caminhos traçados por Deus. Tentou o próprio Deus, no céu, razão da sua queda (Is 14:14:12-15; Ez 28:12-18) É notório que essas duas passagens estão se referindo especificamente ao rei da Babilônia e ao rei de Tiro, todavia, elas também se referem ao poder espiritual por trás daqueles reis – Satanás. Tentou o primeiro casal, causando sua expulsão do Jardim do Éden (Gn 3:22-23). Tentou Jó na presença de Deus, no céu (Jó 1:1-22). Tentou o próprio Senhor Jesus (Mt 4:1-11) e continua tentando os servos de Deus enquanto estes estiverem neste mundo - e este tem sido um dos motivos que tem levado muitos crentes ao descaminho, à idolatria.

________________


Pastor Jorge Albertacci 
21 de Julho de 2013
Tópicos de Geração JC – Julho/2013 – CPAD – Sobre Cuidado com a Idolatria

 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal