O Superintendente da Escola Dominical e Seus Liderados - Estudos Bíblicos

Buscar
Ir para o conteúdo

Menu principal:

O Superintendente da Escola Dominical e Seus Liderados

Escola Dominical
_____________


O Superintendente da Escola Bíblica Dominical

INTRODUÇÃO
 
Além de o ministério regular da Igreja, responsável direto pela sua administração, há ainda outras classes de ministérios, levados a efeito por obreiros locais. São eles: os diáconos, o Superintendente da Escola Dominical com os respsctivos  professores e secretários; líderes de mocidade, líderes de Círculos de Oração, líderes de departamentos de crianças e adolescentes, entre muitos outros. Estes são aqueles irmãos que, além da adoração no culto comum, estão empenhados no trabalho do Senhor, visando o progresso do Reino de Deus na Terra. Todavia, neste artigo tratarei especificamente do Superintendente da Escola Bíblica Dominical (EBD), do Corpo Docente da mesma, dos seus secretários e outros cooperadores.

A palavra superintendente é originária do latim, e significa aquele que superintende. Ou seja: Aquele que dirige na qualidade de chefe, que inspeciona e supervisiona. Como sinônimos de superintendente, podemos listar também estes substantivos: administrador, dirigente, inspetor e intendente. No caso específico da Escola Dominical, faríamos bem em declinar um outro sinônimo: diretor. Por enquanto, basta-nos assenhorear-nos das implicações que acarreta essa palavra. O Dirigente da Escola Dominical, por conseguinte, é o obreiro encarregado de administrar, inspecionar e dirigir o principal departamento da Igreja. É a sua função básica manter a Escola Dominical funcionando perfeitamente para que esta venha a alcançar todos os seus objetivos.
 
1. As qualificações do superintendente e ou dirigente

a- Autêntica conversão a Cristo
Seria desnecessário reprisar aqui ser a conversão imprescindível para o superintendente de Escola Dominical. Infelizmente, não são poucos os que se dizem operários do Senhor, mas ainda não tiveram uma real experiência com a sua obra redentora. Requer-se, pois, tenha o superintendente de Escola Dominical uma autêntica experiência de salvação. Afinal, terá ele de dirigir uma agência, cujo principal objetivo é justamente propagar a Cristo como Salvador do mundo. Por isso, tem de ser ele plenamente convertido. A conversão, portanto, é a mudança que Deus opera na vida do que aceita a Cristo como o seu Salvador pessoal, modificando-lhe inteiramente a maneira de ser, pensar e agir.

b- Bom testemunho
A principal evidência da conversão é a qualidade da vida espiritual, moral e social que o pecador passa a ter logo após haver recebido a Cristo como Salvador. Quem já aceitou a Cristo, deve andar como Cristo andou (1Jo 2:6). A isto chamamos bom testemunho. É a forma como o novo crente porta-se diante do mundo, da Igreja e do próprio Deus.
Entendemos pela Palavra de Deus que o bom testemunho é sinônimo de novidade de vida. Sobre este assunto escreveu o apóstolo do Senhor, Paulo: “Fomos, pois, sepultados com ele pelo batismo na morte, para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida” (Rm 6:4).

c- Amor à Palavra de Deus
Eurico Bergstén, o saudoso missionário do Senhor exortava continuamente os obreiros a nutrirem-se de um amor sempre renovado pela Palavra de Deus. Somente assim, lembrava ele, poderá o homem de Deus cumprir perfeitamente a tarefa que lhe confiou o Senhor Jesus.´
 
Amar a Palavra de Deus! Deve esta ser uma das principais características do Superintendente da Escola Dominical. Porque estará ele a dirigir um educandário que tem como Livro Texto justamente a Bíblia Sagrada. Se não amar o Livro dos livros, como induzirão os professores, os alunos a andarem de conformidade com os preceitos dos profetas e dos apóstolos de Nosso Senhor Jesus Cristo?
 
Amar a Palavra de Deus requer que nos mantenhamos em permanente contato com ela. Lendo-a todos os dias; estudando-a sistemática e devocionalmente. Ensinando-a a tempo e a fora de tempo. De quem a ensina, demanda-se uma singular intimidade com os seus preceitos e doutrinas. Assim cantava o salmista Davi: "Oh! Quanto amo a tua lei; é a minha meditação todo o dia" (Salmo 119:97).

d- Vida devocional
Além da leitura bíblica diária, devocional e sistemática, deverá o Superintendente da Escola Dominical manter uma vida de oração, e exercícios espirituais regulares. Terá que ser um homem em tudo piedoso, e santo. Você está preparado a reconsagrar totalmente a sua vida, a partir de agora, em prol do Rei Jesus?

e- Correta concepção do Reino de Deus
Como o superintendente da Escola Dominical estará atuando no âmbito eclesiástico, terá ele de orar como o Senhor Jesus ensinou aos seus discípulos: “Venha o teu Reino.” Se assim não orarmos, certamente estaremos a formar nossos reinos particulares. E, ao invés de sermos considerados filhos do Rei, ver-nos-á a Igreja como aqueles cruéis régulos da Canaã pré-israelita.
 
Deus o chamou para um trabalho específico dentro do Reino. Não faça da Escola Dominical um feudo; não a transforme numa possessão. Não utilize o cargo para fazer oposição ao seu pastor.

f- Dedicação ao estudo
Além do amor que deve ter o superintendente pela Palavra de Deus, haverá ele de demonstrar muita dedicação ao estudo. No entanto, volto a frisar: o seu interesse supremo tem de estar centrado nas Sagradas Escrituras. Se não as ler cotidianamente, se não as estudar de maneira regular e sistemática, não poderá jamais assumir semelhante cargo; a Escola Dominical outra coisa não é senão uma escola que se dedica ao estudo da Palavra de Deus.
  
2. Professores da Escola Dominical
A Escola Dominical é sem dúvida alguma a maior e mais antiga escola popular de instrução teológica e doutrinaria da Igreja nos tempos modernos. A sua influência tem sido de inestimável valor na preparação dos mais variados tipos de obreiros para a causa de Cristo. Até onde sabemos, não existe nenhum obreiro bem sucedido que antes não tenha sido aluno da Escola Dominical. Seria uma incoerência falarmos da importância da Escola Dominical excetuando a pessoa do professor, peça principal da potente máquina desta mesma Escola. O seu valor excede a todo o sistema logístico da Escola Dominical. Por isso esperamos que não só o ministério da Igreja reconheça o valor que tem o professor da Escola Dominical, mas que o próprio professor considere isto, procurando viver e agir no sentido de não desapontar a Deus e à Igreja que lhe confiou tão digno ofício. Do professor da Escola Dominical que deseja sucesso no desempenho do seu ministério, requer-se o seguinte:

a- Estudar a sua Bíblia
A Bíblia deve ser a fonte de inspiração do professor da Escola Dominical, pois só aquele que com ela tem intimidade é que possui subsídios suficientes as necessidades dos seus alunos. É impossível que alguém seja ignorante quando conhece a Bíblia, como é impossível que alguém seja sábio ignorando-a. O professor pode não ser dotado de refinada cultura secular, porém, se conhece a sua Bíblia, pode estar certo de que terá a atenção dos seus alunos. Só quando o professor tem familiaridade com o livro de Deus é que poderá inspirar a seus alunos a busca-lo, lê-lo e a obedece-lo.

b- Preparar a Sua Lição
O Professor diligente deve preparar a sua aula da Escola Dominical não no sábado - mas durante toda a semana que antecede o domingo em que vai ensinar. Só um professor negligente é que deixa para se preparar momentos antes da aula, ou não se prepara de forma alguma. Esse tipo de professor deve ter sempre em mente as palavras do profeta Jeremias: “Maldito aquele fizer a obra do Senhor relaxadamente” (Jr 48:10). O Professor da Escola Dominical deve preparar a sua aula em espírito de oração, estudo e meditação. Além do conhecimento sobre o comportamento humano. Deve ser bom observador, de sorte que possa tirar de fatos reais da vida, exemplo a serem aplicados nas aulas.

c- Amar a Seus Alunos
A maior virtude que o professor da escola Dominical pode mostrar no ensino é o amor a seus alunos. O professor deve agir de sorte que demonstre sempre este amor e interesse por seus alunos. É o que a escola secular não faz. Ali o professor dá aula mas não se preocupa com o aluno. É interessante que o professor conheça os nomes dos seus alunos, pelos quais deve chamar sempre que necessário. Isto mostrará que o professor está tratando com aluno não como um grupo, mas como um indivíduo pelo qual nutre interesse especial.

d- Visitar a seus alunos
A função do professor da Escola Dominical junto a seus alunos vai além das suas atividades na sala de aula. por isso o professor diligente há de achar sempre algum tempo para visitar aquele aluno que por razões que o professor ignora, não tem comparecido à escola dominical. Como são vários os motivos que impedem um aluno deixar de comparecer à Escola Dominical, o professor deve estar preparando para que ao visita – lo procure dar a resposta correta, ajudando na solução maior fraternidade entre o professor e seu aluno. o aluno vai descobrir quão importante é, e que alguém muito importante se importa com ele.

e- Ser exemplo dos seus alunos
Há na nossa língua uma palavra de grande significado, mas que é pouco usada. Esta palavra é discipulador, ou aquele que faz discípulos. O discipulador é alguém que se constitui padrão para aqueles a quem ensina. É na qualidade de discipulador que o professor da Escola Dominical procura imprimir suas marcas espirituais e morais, na vida dos seus alunos. Para tanto, o professor tem que viver aquilo que prega, só assim poderá ser exemplo para os seus alunos, na piedade, fé, amor, humildade e sacrifício.

CONCLUSÃO

Nos grandes centros a Escola Dominical sempre foi imprescindível para que os crentes aprendam de forma sistemática a Palavra de Deus, sua forma de aplicá-la na evangelização, bem como em todos os trabalhos atinentes à obra de Deus neste mundo. Médicos, advogados, engenheiros, professores, pedagogos, psicólogos, pedreiros, mestres de obras, donas de casa, empregadodas domésticas, serventes de pedreiros, comerciantes, comerciários, empresários, garís e muitos outros de todas as camadas sociais se misturam e juntos aprendem a Palavra de Deus. Não há porque estranhar de em uma classe da EBD haver homens e mulheres que fizeram faculdades terem como professores uma pessoa que sequer teve a opotunidade de fazer o antigo primeiro grau da escola secular, inclusive, este é o meu caso. Milagres acontecem onde se estuda a Palavra de Deus! Bênçãos sobrenaturais Deus concede aos crentes aos domingos na Escola Dominical! Compartilho meu modo de viver com outros pastores que não tiveram meios para frequentar as escolas seculares, mas, que nem por isto, são igrorantes. Como membros do Corpo de Cristo, todos os crentes são humildes. Na maioria das vezes não eram antes, mas, mediante a conversão a Cristo se tornaram afáveis e a homogeneidade formada na classe de EBD faz isto, porque nunca houve outra pauta para ser tratada nas classes da Escola Dominical, a não ser estudar e aprender a Palavra de Deus, preparar para a evangelização à tarde, bem como para visitas aos necessitados e enfermos. Deus faz do Seu povo uma grande família trabalhadora, da qual Ele é o Pai que cuida, capacita e lança na Sua seara!

_____________


Volta Redonda, Rio de Janeiro
09/09/2017
Pastor Jorge Albertacci
Filiado às Convenções CONFRADER e CGADB
Membro da OMEBE




 
 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal