A Importância da Santa Ceia Para os Servos do Senhor - Estudos Bíblicos

Buscar
Ir para o conteúdo

Menu principal:

A Importância da Santa Ceia Para os Servos do Senhor

Escatologia Bíblica

_________

O QUE REPRESENTA PARA O CRENTE A CEIA DO SENHOR 
 
João 17:1-22


INTRODUÇÃO


Através de Jesus, Deus o Pai, revelou a este mundo a maior prova de amor em toda a história da humanidade – Medir – Pesar  – Pensar – Dissecar – Escrever – Descrever, não seria possível, tendo em vista, sua dimensão este.


A SANTA CEIA DO SENHOR

A origem da Ceia do Senhor é relatada nos Evangelhos Sinóticos (Mt 26:26-29; Mc 14:22-25; Lc 22:14-20) e em 1 Coríntios 11:23-26. Uma atenção particular deve ser dada ao cenário pascal e de aliança. O apóstolo Paulo claramente declara que Cristo, a nossa Páscoa, foi sacrificado (1 Co 5:7). João Batista havia anteriormente identificado Jesus como o verdadeiro Cordeiro de Deus (Jo 1:25), antecipando que o seu corpo partido e o seu sangue derramado seriam oferecidos para a redenção de seu povo. No cenáculo, Cristo apresentou os novos símbolos:  o pão e o vinho - como uma lembrança de sua morte sacrificial, que deve ser comemorada na comunhão dos crentes. Além disso, a obra pascal de Cristo é o cumprimento da aliança Divina de redenção. 

PARTICIPAR JUNTOS

O comer e beber juntos tem o significado de uma refeição de aliança na qual as duas partes tinham comunhão e prometiam lealdade uma à outra (cf. Gn 26:28-30; 31:44-46,54; Êx 24:1-11). A nova aliança entre o Senhor e o seu povo (Jr 31:31-34) foi assim ratificada por nosso Senhor na refeição de comunhão antes de sua morte. Ao instituir a ceia de comunhão, o Senhor Jesus enfatizou os aspectos messiânicos e escatológicos da refeição da Páscoa. Nesta festa, judeus piedosos aguardavam ansiosos um outro livramento como aquele do Egito (cf. Is 51:9-16). Agora é o Messias que veio em pessoa para esta festa pascal, tomando o cálice do juízo e da salvação que significa livramento para o povo de Deus. Contudo, a refeição também prevê o banquete messiânico final (Is 25:6; cf. Lc 14:15-24), quando a obra Divina de salvação for consumada e houver um cumprimento da completa comunhão com o Senhor (Mt 26:29). Embora João não forneça um relato sobre a Última Ceia, há pouca dúvida de que o milagre de alimentar a multidão na época da Páscoa, e o discurso resultante de (Jo 6), provejam o entendimento do significado sacramental da Última Ceia. 

JESUS, O PÃO DA VIDA

Cristo é aqui o verdadeiro pão prefigurado pelo maná do tempo de Moisés (Jo 6:31-35,48-51). O Senhor Jesus deu a sua vida por nós, para que a vida eterna seja alcançada pela participação nele (vv, 40,47,51-58), Isto só é possível, porém, no Espírito e pela fé salvadora em resposta à sua Palavra (v 63). Aplicando este simbolismo ao seu corpo partido e ao seu sangue derramado, temos uma pista sobre o correto uso e entendimento da ceia. 

SANTA CEIA DO SENHOR, AÇÃO DE GRAÇAS, AMOR E COMUNHÃO

A Ceia do Senhor representa a realidade da auto oferta de Cristo. O sacrifício em si não é repetido. Antes, ele é recordado, e concede a garantia de que o próprio Deus tem se lembrado de seu povo em cumprimento à promessa da aliança. Cumprindo o seu significado de aliança, a Ceia do Senhor tem um outro aspecto. A nossa participação no Senhor e em sua obra implica em uma resposta de ação de graças e auto dedicação, um sacrifício bíblico de louvor, Ela expressa tanto a glorificação a Deus pelo que Ele tem feito, como também o compromisso a que Ele nos conclama. É uma alegre festa de amor na qual o amor de Cristo por nós evoca, confirma e exige o nosso amor a Ele e de igual modo uns pelos outros também. (Wycliffe Bible Dictionary - Casa Publicadora das Assembleias de Deus).


 ESBOÇO

01. Uma vez cumprido Seu Ministério terreno, lhe era chegado então o momento de regressar ao Seu lugar no céu, à destra do Pai.
 
02. E agora? Como ficariam aqueles que haviam convivido com Ele - Nas Curas - Nas Caminhadas – Na Ressurreição de Mortos - Na Multiplicação dos pães – No Monte da Transfiguração - No Getsêmani e finalmente no Calvário? E agora? Ir para onde e com quem?
 
03. Ficariam eles às margens do esquecimento? Sem o Mestre que os amou tanto?
 
04. Esta havia sido a grande preocupação de Jesus: Tanto que Ele disse, no sentido de consolá-los: Na Casa de Meu Pai há muitas moradas - João 14:2 - Não vos deixarei órfãos - João 14:18 - E tudo quanto pedirdes em meu Nome eu farei - João 14:13 - Virei outra vez e vos levarei - João 14:3 - Voltarei para vós - João 14:18 – Virá outro Consolador - João 14:16 - Fará a obra que Eu faço - João 14:12 - Só que Ele deixa um novo mandamento - João 13:34. Seria esse o 11º? Não, porque aquele que observar este Novo Mandamento, cumpriu toda lei – (Romanos 13:8).
 
05. E foi para isso que ele instituiu a Santa Ceia, para não esquecermos dele:  

“E, tomando o cálice e havendo dado graças, disse: Tomai-o e reparti-o entre vós,  porque vos digo que já não beberei do fruto da vide, até que venha o Reino de Deus.  E, tomando o pão e havendo dado graças, partiu-o e deu-lho, dizendo: Isto é o meu corpo, que por vós é dado; fazei isso em memória de mim. Semelhantemente, tomou o cálice, depois da ceia, dizendo: Este cálice é o Novo Testamento no meu sangue, que é derramado por vós.”  (Lucas 22:18-20)
 
06. A expectativa: Desejei muito comer com vocês esta (Lucas 22:15).
 
07. Fazei isto em memória de mim (Lucas 22:19).
 
08. Ele sabia da facilidade que Seus filhos teriam e que ainda hoje tem para esquece-lo.
 
09. Da cruz não ficou nenhum cavaco para provar nada.
 
10. Este cuidado de Jesus o levou à Oração Sacerdotal de João 17vv:   

“Pai, aqueles que me deste quero que, onde eu estiver, também eles estejam comigo, para que vejam a minha glória que me deste; porque tu me hás amado antes da criação do mundo.” (João 17:24).
 
11. Finalmente, enquanto o Senhor lhes dava as mais ricas instruções, eles foram surpreendidos com Sua volta para a Casa do Pai: 

“Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra.  E, quando dizia isto, vendo-o eles, foi elevado às alturas, e uma nuvem o recebeu, ocultando-o a seus olhos.  E, estando com os olhos fitos no céu, enquanto ele subia, eis que junto deles se puseram dois varões vestidos de branco,  os quais lhes disseram: Varões galileus, por que estais olhando para o céu? Esse Jesus, que dentre vós foi recebido em cima no céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir.  Então, voltaram para Jerusalém, do monte chamado das Oliveiras, o qual está perto de Jerusalém, à distância do caminho de um sábado. E, entrando, subiram ao cenáculo, onde habitavam Pedro e Tiago, João e André, Filipe e Tomé, Bartolomeu e Mateus, Tiago, filho de Alfeu, Simão, o Zelote, e Judas, filho de Tiago.  Todos estes perseveravam unanimemente em oração e súplicas, com as mulheres, e Maria, mãe de Jesus, e com seus irmãos.” (Atos 1:8-14).
 
12. O capítulo 16 do evangelho de João inteiro, trata estritamente deste assunto, na forma abaixo:
 
Tenho-vos dito essas coisas para que vos não escandalizeis.  Expulsar-vos-ão das sinagogas; vem mesmo a hora em que qualquer que vos matar cuidará fazer um serviço a Deus.  E isso vos farão, porque não conheceram ao Pai nem a mim. Mas tenho-vos dito isso, a fim de que, quando chegar aquela hora, vos lembreis de que já vo-lo tinha dito; e eu não vos disse isso desde o princípio, porque estava convosco. E, agora, vou para aquele que me enviou; e nenhum de vós me pergunta: Para onde vais? Antes, porque isso vos tenho dito, o vosso coração se encheu de tristeza. Todavia, digo-vos a verdade: que vos convém que eu vá, porque, se eu não for, o Consolador não virá a vós; mas, se eu for, enviar-vo-lo-ei. E, quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça, e do juízo: do pecado, porque não creem em mim; da justiça, porque vou para meu Pai, e não me vereis mais; e do juízo, porque já o príncipe deste mundo está julgado. Ainda tenho muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora. 

Mas, quando vier aquele Espírito da verdade, ele vos guiará em toda a verdade, porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará o que há de vir. Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar. Tudo quanto o Pai tem é meu; por isso, vos disse que há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar. Um pouco, e não me vereis; e outra vez um pouco, e ver-me-eis, porquanto vou para o Pai. Então, alguns dos seus discípulos disseram uns para os outros: Que é isto que nos diz: Um pouco, e não me vereis, e outra vez um pouco, e ver-me-eis; e: Porquanto vou para o Pai? Diziam, pois: Que quer dizer isto: um pouco? Não sabemos o que diz. Conheceu, pois, Jesus que o queriam interrogar e disse-lhes: Indagais entre vós acerca disto que disse: um pouco, e não me vereis, e outra vez um pouco, e ver-me-eis?  Na verdade, na verdade vos digo que vós chorastes e vos lamentareis, e o mundo se alegrará, e vós estareis tristes; mas a vossa tristeza se converterá em alegria.  A mulher, quando está para dar à luz, sente tristeza, porque é chegada a sua hora; mas, depois de ter dado à luz a criança, já se não lembra da aflição, pelo prazer de haver nascido um homem no mundo.

Assim também vós, agora, na verdade, tendes tristeza; mas outra vez vos verei, e o vosso coração se alegrará, e a vossa alegria, ninguém vo-la tirará.  E, naquele dia, nada me perguntareis. Na verdade, na verdade vos digo que tudo quanto pedirdes a meu Pai, em meu nome, ele vo-lo há de dar.  Até agora, nada pedistes em meu nome; pedi e recebereis, para que a vossa alegria se cumpra. Disse-vos isso por parábolas; chega, porém, a hora em que vos não falarei mais por parábolas, mas abertamente vos falarei acerca do Pai.  Naquele dia, pedireis em meu nome, e não vos digo que eu rogarei por vós ao Pai, pois o mesmo Pai vos ama, visto como vós me amastes e crestes que saí de Deus. Saí do Pai e vim ao mundo; outra vez, deixo o mundo e vou para o Pai.  Disseram-lhe os seus discípulos: Eis que, agora, falas abertamente e não dizes parábola alguma. Agora, conhecemos que sabes tudo e não precisas de que alguém te interrogue. Por isso, cremos que saíste de Deus.   Respondeu-lhes Jesus: Credes, agora?   Eis que chega a hora, e já se aproxima, em que vós sereis dispersos, cada um para sua casa, e me deixareis só, mas não estou só, porque o Pai está comigo.   Tenho-vos dito isso, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo; eu venci o mundo.
_________

CONCLUSÃO
 
Enquanto escrevia o presente artigo me veio à memória a resposta de Jesus para os discípulos de João Batista, quando este, João, estava encarcerado. Como precursor do Senhor, e depois de haver cumprido cabalmente o seu ministério, ele precisava saber se aquele Homem que mexia com a opinião pública era realmente o Cristo que ele havia anunciado ou se convinha continuar esperando, para tanto ele, João, comissionou dois dos seus discípulos, na forma a seguir: 

E João, ouvindo no cárcere falar dos feitos de Cristo, enviou dois dos seus discípulos  a dizer-lhe: És tu aquele que havia de vir ou esperamos outro?  E Jesus, respondendo, disse-lhe: Ide e anunciai a João as coisas que ouvis e vedes:  Os cegos veem, e os coxos andam; os leprosos são limpos, e os surdos ouvem; os mortos são ressuscitados, e aos pobres é anunciado o evangelho. E bem-aventurado é aquele que se não escandalizar em mim.”  (Mateus 11:2-6).

Mas, o que me veio à memória é que a Igreja do Senhor, nestes últimos dias vive com a mesma expectativa de João Batista. Acontecimentos sobrenaturais tem mexido com a opinião pública em todos os cantos da terra. Todas as nações do mundo passam por experiências jamais vistas. Os crentes veem nestes episódios que Jesus está às portas! Ele está voltando! Tudo que acontece de sobrenatural na estava prevista na Sua Palavra. Se assim como nos dias de João Batista, Jesus fosse abordado por uma comissão para saber dele se estes acontecimentos são prenúncios da sua volta – não tenho dúvida de que a resposta seria, tão simplesmente, para atentarmos para os acontecimentos, sanando todas as dúvidas na Sua santa Palavra:   

E, logo depois da aflição daqueles dias, o sol escurecerá, e a lua não dará a sua luz, e as estrelas cairão do céu, e as potências dos céus serão abaladas. Então, aparecerá no céu o sinal do Filho do Homem; e todas as tribos da terra se lamentarão e verão o Filho do Homem vindo sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória.  E ele enviará os seus anjos com rijo clamor de trombeta, os quais ajuntarão os seus escolhidos desde os quatro ventos, de uma à outra extremidade dos céus.  Aprendei, pois, esta parábola da figueira: quando já os seus ramos se tornam tenros e brotam folhas, sabeis que está próximo o verão.  Igualmente, quando virdes todas essas coisas, sabei que ele está próximo, às portas.  Em verdade vos digo que não passará esta geração sem que todas essas coisas aconteçam.  O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não hão de passar. Porém daquele Dia e hora ninguém sabe, nem os anjos dos céus, nem o Filho, mas unicamente meu Pai.  

E, como foi nos dias de Noé, assim será também a vinda do Filho do Homem.  Porquanto, assim como, nos dias anteriores ao dilúvio, comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca,  e não o perceberam, até que veio o dilúvio, e os levou a todos, assim será também a vinda do Filho do Homem.  Então, estando dois no campo, será levado um, e deixado o outro; Estando duas moendo no moinho, será levada uma, e deixada outra. Vigiai, pois, porque não sabeis a que hora há de vir o vosso Senhor. Mas considerai isto: se o pai de família soubesse a que vigília da noite havia de vir o ladrão, vigiaria e não deixaria que fosse arrombada a sua casa.  Por isso, estai vós apercebidos também, porque o Filho do Homem há de vir à hora em que não penseis.  Quem é, pois, o servo fiel e prudente, que o Senhor constituiu sobre a sua casa, para dar o sustento a seu tempo?  Bem-aventurado aquele servo que o Senhor, quando vier, achar servindo assim.”  (Mateus 24:29-46).
_________



Jorge Albertacci
E-mail - prjorgealbertacci@yahoo.com.br
Atualmente Pastor Emérito da Catedral das Assembleias de Deus do Retiro
Presidida desde de 2008 pelo Pastor Pedro Gonçalves da Luz
Rua Engº Joaquim Cardozo, 448 - Retiro - 27281-360 - Volta Redonda - Rio de Janeiro

 
 
 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal