Páscoa e Santa Ceia - O Primeiro deu Lugar ao Segundo - Estudos Bíblicos

Buscar
Ir para o conteúdo

Menu principal:

Páscoa e Santa Ceia - O Primeiro deu Lugar ao Segundo

Mensagens Bíblicas
__________

A SANTA CEIA DO SENHOR JESUS

"O antigo pacto era um símbolo transitório - Cristo é mediador de um pacto melhor e eterno"

Mateus 26:26-30; Hebreus 9; 10

INTRODUÇÃO

Uma das festas mais significativas para Israel e a Igreja — a Páscoa. Deus queria que seu povo nunca se esquecesse desta comemoração especial. Por isso, esta data foi santificada. A Páscoa era uma oportunidade para os israelitas descansarem, festejarem e adorarem a Deus por tão grande livramento, que foi a sua libertação e saída do Egito. Hoje, o nosso Cordeiro Pascal é Cristo. Ele morreu para trazer redenção aos judeus e gentios. Cristo nos livrou da escravidão do pecado e da condenação eterna. Exaltemos ao Senhor diariamente por tão grande salvação.

1. A Santa Ceia foi instituída por Jesus:

a) A Páscoa deu lugar à Santa Ceia. Foi na noite da celebração da última Páscoa que o  Senhor instituiu a Ceia, usando, inclusive, outros elementos: Pão e Vinho. Para os cristãos, a Páscoa contém rico simbolismo profético ao falar de Jesus Cristo. O Novo Testamento ensina explicitamente que as festas judaicas “são sombras das coisas futuras” (Cl 2:16-7; Hb 10-1, ou seja: a redenção pelo sangue de Jesus Cristo. Os três elementos da Páscoa eram: o pães ázimos, as ervas amargas e o cordeiro sem mácula. No Livro de Êxodo 12, o ato da celebração da Páscoa nos faz lembrar do nosso Salvador e do seu propósito para a Igreja.

O âmago do evento da Páscoa era a graça salvadora de Deus. Deus tirou os israelitas do Egito, não porque eles eram um povo merecedor, mas porque Ele os amou e porque Ele era fiel ao seu concerto (Dt 7:7-10). Este foi o principal objetivo de tão importante celebração, o que somente encerará no dia do arrebatamento da Igreja! Semelhantemente, a salvação que recebemos de Cristo nos vem através da maravilhosa graça de Deus (Ef 2:8-10; Tt 2:11, 3:4-5). Alimentar-se do cordeiro representava a identificação da comunidade israelita com a morte do cordeiro, morte esta que os salvou da morte física (1Co 10:16-17; 11:24-26).
 
Assim como no caso da Páscoa, somente o sacrifício inicial, a morte de Jesus na cruz, foi um sacrifício eficaz. Realizamos em continuação a Ceia do Senhor como um memorial, “em memória” dEle, Jesus Cristo (1Co 11:24).

b) O Senhor, começou Seu ministério com o batismo e o terminou com a Santa Ceia - (Mateus 3:13-15).

c) O batismo é solicitado pelo novo convertido ao Senhor, na pessoa de quem o vai  batiza-lo – João 3:13-17.

d) A Santa Ceia, o Senhor desejou participar com os discípulos – Lucas 22:7-23.

e) A Santa Ceia Ele faz-nos lembrar a Páscoa - Lc 22:7-20.

2. A Ceia do Senhor, celebrada pela Igreja:

a) Desde seus primeiros dias a Igreja se manteve firme com a celebração da Santa Ceia - At 2:42.

b) A Ceia tornou-se a maior festa espiritual na Igreja.

c) A quem aceita baseado em Atos 20:7 que a Igreja Primitiva acatava a Ceia com tanto apreço que a realizava todas as semanas.

3. A Ceia do Senhor interpretada na Bíblia:

a) embora haja várias linhas de interpretação bíblica, tais como: Pães ázimos, elemento adotado por muitas denominações - transubstanciação e consubstanciação do Catolicismo Romano - consubstanciação Luterana.

4. A finalidade da Ceia do Senhor:

a) A Ceia tem por objetivo anunciar a Nova Aliança de Deus com a humanidade - Mt 26:26-28.

b) Se constitui em um memorial que a Igreja manterá até a volta de Jesus - Lc 22:19.

c) A Ceia não é para consertar a vida de ninguém. A Santa Ceia é para os que já estão consertados com Jesus.

d) A Ceia é para preservar a nossa comunhão com Deus e com toso os nossos irmãos.

5. A Ceia do Senhor em nossos dias: (1Co 11:24-26, 28):

O crente deve estar sempre em vigilância: Olhando para o sacrifício de Jesus por nós, Olhando para o passado, olhando para dentro de si e olhando atendo para o futuro.

a)  Olhar retrospectivo (Calvário);
 
b) Olhar introspectivo (Dentro de nós);

c) Olhar expectativo (Esperança no porvir - Mt 26:29).

CONCLUSÃO

A vontade de Deus era que  Seu povo Israel, nunca se esquecesse da Páscoa, por isso a data foi santificada. Da mesma forma é a Santa Ceia, para a Igreja. A Páscoa era uma oportunidade para os israelitas descansarem, festejarem e adorarem a Deus por tão grande livramento, que foi a sua libertação e saída do Egito. Hoje, o nosso Cordeiro Pascal é Cristo. Ele morreu para trazer redenção aos judeus e gentios. Cristo nos livrou da escravidão do pecado e da condenação eterna. Exaltemos ao Senhor diariamente por tão grande salvação. (COHEN, A. C. Êxodo. 1 ed., RJ: CPAD, 1998, p.42; LB CPAD, 26 de Janeiro de 2014).

__________


Jorge Albertacci
Atualmente Pastor Emérito da Catedral das 
Assembleias de Deus do Retiro
Presidida desde de 2008 pelo Pastor Pedro Gonçalves da Luz
Rua Engº Joaquim Cardozo, 448 - Retiro - 27281-360  
Volta Redonda - Rio de Janeiro
 
 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal